Empréstimo (linguística)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Empréstimo linguístico é a incorporação ao léxico de uma língua de um termo pertencente a outra língua, seja mediante a reprodução do termo sem alteração de pronúncia e da grafia (exemplo:know-how, spray), seja mediante adaptação fonológica e ortográfica (exemplos:garçom, futebol). Em geral, a palavra mantém o sentido da língua de origem. As palavras tomadas como empréstimo são igualmente denominadas 'empréstimos'. Há que distinguir entre o empréstimo e o neologismo, que é uma palavra criada numa língua, com base em palavras de outras línguas.

Empréstimos do português[editar | editar código-fonte]

Alguns exemplos de palavras exportadas pelo português para outras línguas:

Língua Na língua Em Português
indonésio sekolah escola
inglês caste casta
japonês bateren padre
konkani zonel janela
malaio bendera bandeira
suaíle mesa mesa
tetum paun pão


Ver também: palavras japonesas de origem portuguesa

Palavras de origem estrangeira[editar | editar código-fonte]

O uso de palavras de origem estrangeira em português é denominado estrangeirismo: galicismo do francês, anglicismo do inglês, latinismo do latim etc. Tal uso é desaconselhado por certos eruditos da língua; no entanto, tal posição não reflete a dinâmica da formação do próprio português, que, tal como todas as outras línguas europeias, teve a sua origem e continua hoje a transformar-se mediante o contato e a mistura com outras línguas.

Segue-se uma pequena lista de palavras que a língua portuguesa tomou emprestadas de outros idiomas:

Língua Na língua Em português
algonquiano moccasin mocassim
árabe shiikh xeque
aramaico abba abade
balti polo polo (hipismo)
cantonês shî-yaū soja
checo robotnik robô
cingalês toramalli turmalina
copta tube adobe
dharuk bumariny bumerangue
divehi atolu atol
francês tourisme turismo
grego antigo hypokrisis hipocrisia
guguyimidjir gaNurru canguru
hindi gymkhana gincana
inglês beef bife
inuit qajaq caiaque
italiano squadrone esquadrão
malaio bambu bambu
malayalam tēkka teca
malgaxe rafia ráfia
cantonês cha chá
mongol orda horda
náuatle tomatl tomate
sânscrito svastika-s suástica
sueco tungsten tungsténio
taino batata batata
tâmil kattu-maram catamarã
tonganês ta-bu tabu
Línguas tungúsicas shaman xamã
tupi jaguara jaguar
uólofe banana banana

Ver também: palavras portuguesas de origem árabe

Falsos cognatos[editar | editar código-fonte]

Por vezes, as palavras emprestadas podem mudar de significado na língua de destino, denominando-se neste caso por vezes de "falsos cognatos". Por exemplo, a palavra portuguesa marmelada (doce de marmelo) foi tomada de empréstimo pela língua inglesa como marmalade, não com o significado original, mas significando geleia de laranja com pedaços de casca ou qualquer espécie de compota ou doce pastoso.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.