Hipocrisia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Hipocrisia é o ato de fingir ter crenças, virtudes, ideias e sentimentos que a pessoa na verdade não possui, frequentemente exigindo que os outros se comportem dentro de certos parâmetros de conduta moral que a própria pessoa extrapola ou deixa de adotar. A palavra deriva do latim hypocrisis e do grego hupokrisis -- ambos significando a representação de um ator, atuação, fingimento (no sentido artístico). Essa palavra passou mais tarde a designar moralmente pessoas que representam, que fingem comportamentos.

Um exemplo clássico de ato hipócrita é denunciar alguém por realizar alguma ação enquanto realiza ou realizava a mesma ação.

O linguista e analista social Noam Chomsky define hipocrisia como "...a recusa de aplicar a nós mesmos os mesmos valores que se aplicam a outros",[1][2] A hipocrisia é um dos maiores males do comportamento social humano, que promove a injustiça como guerra [3][4] e as desigualdades sociais, num quadro de auto-engano, que inclui a noção de que a hipocrisia em si é um comportamento necessário ou benéfico humano e da sociedade.[5]

François duc de la Rochefoucauld revelou de maneira mordaz a essência do comportamento hipócrita: "A hipocrisia é a homenagem que o vício presta à virtude". Ou seja, todo hipócrita finge emular comportamentos corretos, virtuosos, socialmente aceitos.

O termo “hipocrisia” é também comumente usado (alguns diriam abusado) num sentido que poderia ser designado de maneira mais específica como um “padrão duplo”. Um exemplo disso, é quando alguém acredita honestamente que deveria ser imposto um conjunto de morais para um grupo de indivíduos diferente do de outro grupo.

Hipocrisia é pretensão ou fingimento de ser o que não é. Hipócrita é uma transcrição do vocábulo grego "ypokritís" (υποκριτής). Os atores gregos usavam máscaras de acordo com o papel que representavam numa peça teatral. É daí que o termo hipócrita designa alguém que oculta a realidade atrás de uma máscara de aparência.

Hipocrisia na religião[editar | editar código-fonte]

O Novo Testamento da Bíblia refere-se especificamente aos hipócritas em vários lugares, em especial quando representando de maneira especial a seita dos fariseus, como por exemplo, o Evangelho de Mateus capítulo 23, versículos 13 a 15:

" Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que devorais as casas das viúvas, sob pretexto de prolongadas orações; por isso sofrereis mais rigoroso juízo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós.”[6]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra hipocrisia vem do grego antigo ὑπόκρισις (hupókrisis), que significa "encenar", "interpretar". O adjetivo hipócrita vem do grego ὑποκριτής (hupokritḗs), que significa "ator".

A estrutura da palavra grega é formada pelo prefixo hipo- (abaixo) e o verbo krinein (decidir), o que sugere uma deficiência na decisão. Tal indecisão, a respeito dos próprios sentimentos e crenças, informa o significado contemporâneo da palavra.[7]

Nas origens do termo, enquanto hupókrisis (hipocrisia) era utilizado para qualquer tipo de performance pública, incluindo a arte da retórica, hupokritḗs (hipócrita) era um termo técnico para um ator de palco e não era considerado um papel adequado para figuras públicas. Em Atenas, durante o século 4 aC, por exemplo, o grande orador Demóstenes ridicularizou o seu rival Ésquines, quem havia sido um bem sucedido ator (hupokritḗs) antes de ingressar na política. Por isso, Ésquines foi considerado um político pouco confiável. Essa visão negativa dos hupokritḗs, possivelmente combinada com o desdém romano[8] por atores, estigmatizou o termo.

Referências

  1. Chomsky, Noam (fevereiro de 2002). «Distorted Morality: America's War on Terror?» (em inglês). Consultado em 11 setembro 2008. Arquivado do original em 2 de junho de 2015 
  2. Chomsky, Noam (18 de janeiro de 2006). «Amnesty International Annual Lecture: "War on Terror"» (PDF) (em inglês). Consultado em 11 de setembro de 2008. Arquivado do original (PDF) em 5 de julho de 2008 
  3. Chomsky, Noam (9 de maio de 2006). «A Just War? Hardly» (em inglês). Consultado em =11-09-2008  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. Chomsky, Noam (2 de julho de 2002). «Terror and Just Response» (em inglês). Consultado em 11 de setembro de 2009 
  5. Noam Chomsky e Robert Trivers (6 de setembro de 2006). «Seed Magazine» (em inglês). Consultado em 11 setembro 2008 
  6. New Testament; Thai and English; pg 99; The New King James Version; (1982); Thomas Nelson Inc
  7. «Online Etymology Dictionary: "hypocrisy"». Etymonline.com. Consultado em 28 de março de 2013 
  8. Frank, Tenney (1931). «The Status of Actors at Rome». Classical Philology. 26 (1): 11–20. ISSN 0009-837X 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Hipocrisia

Ligações externas[editar | editar código-fonte]