Línguas tungúsicas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tungúsicas
Falado em: Mongólia, Sibéria, Manchúria
Total de falantes: aproximadamente 75 mil
Família: Altaica[1]
 Línguas Norte Tungúsicas e Línguas Sul Tungúsicas
  Tungúsicas
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2:
Mapa mostrando a distribuição das línguas tungúsicas.

As línguas tungúsicas (também chamadas de Manchu-Tungus) formam um grupo de línguas faladas no leste da Sibéria e em partes da China (Manchúria) e Mongólia. Especula-se que tenham origem num filo altaico, o qual, se existente em realidade, incluiria as famílias de línguas Turcomanas e as Mongólicas e talvez também as línguas japônicas e o coreano. A maior parte das línguas tungúsicas está extinta ou em extinção, sendo o futuro dessa família incerto.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Diversos linguistas propuseram diferentes classificações das línguas tungúsicas baseadas em vários critérios, que incluem morfologia, vocabulário, fonologia. Uma das classificações mais adequadas em relação às demais propõe que as Línguas Tungúsicas sejam divididas em ramos Norte e Sul, com o ramo Sul se subdividindo em Sudeste e Sudoeste.

Tungúsicas Norte

As seguintes são consideradas como dialetos ou correlatas ao Evenki;

Tungúsicas Sul

Jurchen-Manchu (Jurchen e Manchu são apenas diferentes estágios da mesma língua; de fato, a palavra "Manchu" não apareceu antes de 1636, quando o imperador Hong Taiji decretou a mesma para substituir o termo "Jurchen") é a única língua Tungúsica com forma literária própria, o alfabeto jurchen, substituído pelo alfabeto manchu no final do século XII. É, portanto, um idioma importante para a reconstrução da língua "proto-Tungúsica".

Um dos considerados mais antigos e mais significativos textos escritos em Jurchen é uma inscrição no dorso da "estela memorial da vitória Jin" (Da Jin deshengtuo songbei), construída em 1185 durante o período do imperador Shizong de Jin (Dading), de 1161 a 1189. Parece ser uma versão resumida do texto em Chinês que fica na face frontal da estela.[2]

Características comuns[editar | editar código-fonte]

As Tungúsicas são do tipo morfológico aglutinativo, tendo algumas delas complexos sistemas de declinação bem como elaborados padrões de tempos e de aspectos verbais. São também complexos seus padrões de harmonia vocálica com base em características de "arredondamento" e "tensão" (força) das vogais.

Relação com outras línguas[editar | editar código-fonte]

As Tungúsicas são tradicionalmente relacionadas com as línguas Turcomanas, as Mongólicas e as altaicas. Alguns linguistas, porém, acreditam que haja relações externas, via "parafilos", com línguas como o Coreano, o Ainu e com línguas japônicas.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Ethnologue entry for Tungus languages
  • Kane, Daniel. The Sino-Jurchen Vocabulary of the Bureau of Interpreters. Indiana University Uralic and Altaic Series, Volume 153. Bloomington, Indiana: Indiana University Research Institute for Inner Asian Studies, 1989.
  • Miller, Roy Andrew. Japanese and the Other Altaic languages. Chicago: The University of Chicago Press, 1971.
  • Poppe, N.N. Vergleichende Grammatik der Altaischen Sprachen [A Comparative Grammar of the Altaic languages]. Wiesbaden: Otto Harrassowitz, 1960.
  • Tsintsius, V. I. Sravnitel'naya Fonetika Tunguso-Man'chzhurskikh Yazïkov [Comparative Phonetics of the Manchu-Tungus languages]. Leningrad, 1949.
  1. Gordon, 2005 (Altaic)
  2. Hoyt Cleveland Tillman, Stephen H. West, China Under Jurchen Rule: Essays on Chin Intellectual and Cultural History. Published by SUNY Press, 1995. ISBN 0-7914-2274-7. Partial text on Google Books. Pp 228-229

Referências externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]