Marcelo Queiroga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Marcelo Queiroga
50.º Ministro da Saúde do Brasil
Período 23 de março de 2021
até a atualidade[1]
Presidente Jair Bolsonaro
Antecessor(a) Eduardo Pazuello
Dados pessoais
Nome completo Marcelo Antônio Cartaxo Queiroga Lopes
Nascimento 4 de dezembro de 1965 (56 anos)
João Pessoa, Paraíba
Alma mater Universidade Federal da Paraíba

Marcelo Antônio Cartaxo Queiroga Lopes (João Pessoa, 4 de dezembro de 1965) é um médico cardiologista brasileiro, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia e atual ministro da Saúde do Brasil, substituindo o general de divisão do Exército Brasileiro, Eduardo Pazuello.[2][3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Graduado pela Universidade Federal da Paraíba, fez residência no Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro, especializando-se em cardiologia[4] com área de atuação em hemodinâmica e cardiologia intervencionista.[5] Seu currículo Lattes informa estar em curso, desde 2010, um doutoramento em Bioética da Universidade do Porto.[6]

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia no biênio 2020-2021, foi conselheiro titular do Conselho Regional de Medicina do Estado da Paraíba[7] e indicado por Jair Bolsonaro para um cargo na direção da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).[8] Também atua como Dirigente da Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista, na qual já exerceu a presidência no biênio 2012/2013, sendo membro permanente do seu Conselho Consultivo.[3]

Ministério da Saúde[editar | editar código-fonte]

Queiroga foi cotado para ser o futuro Ministro da Saúde do Brasil[5] em 15 de março de 2021, tendo aceitado o convite após conversas e tratativas com outros médicos sem sucesso.[9][4][10] Na manhã de 23 de março de 2021 tomou posse como ministro da Saúde. A nomeação foi publicada horas depois no Diário Oficial da União.[1]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Gestos Obscenos[editar | editar código-fonte]

Durante a 76ª Assembleia Geral da ONU em Nova York no dia 20 de setembro de 2021, Queiroga respondeu com gestos obscenos a um protesto de brasileiros. O vídeo com a cena dos gestos viralizou nas redes sociais.[11]

Vida ou Liberdade[editar | editar código-fonte]

No dia 7 de dezembro de 2021, ao ser questionado sobre ser contra o passaporte vacinal, o ministro Queiroga respondeu "Que era melhor perder a vida do que a liberdade", fazendo referência ao hino da independência.[12]

Vacinação Infantil[editar | editar código-fonte]

Apesar da Anvisa já ter autorizado a utilização da vacina da Pfizer para COVID-19 em crianças de 5 a 11 anos, o Ministério da Saúde postergou sua posição oficial para 5 de janeiro de 2022 (data limite estipulada). Ao ser questionado sobre o caso, Queiroga afirmou que "a pressa é inimiga da perfeição".[13]


Referências

  1. a b «Bolsonaro dá posse a Marcelo Queiroga como ministro da Saúde». G1. 23 de março de 2020. Consultado em 23 de março de 2020 
  2. «Saiba quem é Marcelo Queiroga, indicado por Bolsonaro para ser o novo ministro da Saúde». G1. Consultado em 16 de março de 2021 
  3. a b «Perfil Marcelo Queiroga». Portal SBC. Homepage dos sócios (SBC) 
  4. a b Uribe, Gustavo; Colleta, Ricardo (15 de março de 2021). «"Cardiologista Marcelo Queiroga aceita convite de Bolsonaro para substituir Pazuello na Saúde"». Folha de S.Paulo. Consultado em 15 de março de 2021 
  5. a b «"Médico Marcelo Queiroga será o novo ministro da Saúde"». R7. Rádio e Televisão Record S.A. 15 de fevereiro de 2021. Consultado em 15 de março de 2021 
  6. «Marcelo Antônio Cartaxo Queiroga Lopes». Currículo Lattes. CNPq. 14 de outubro de 2020. Consultado em 16 de março de 2021 
  7. «Marcelo Queiroga (SBC) e Suzana Lobo (Amib) discutem no CFM temas de interesse para cardiologistas e intensivistas |». Consultado em 16 de março de 2021 
  8. «Nome ligado ao Centrão vai comandar agência que define preços e coberturas de planos de saúde – Blog Abramge». Consultado em 16 de março de 2021 
  9. Braziliense, Correio (15 de março de 2021). «Marcelo Queiroga aceita convite para assumir o Ministério da Saúde». Política. Consultado em 17 de março de 2021 
  10. «Bolsonaro escolhe médico Marcelo Queiroga para substituir Pazuello no Ministério da Saúde». G1. Consultado em 15 de março de 2021 
  11. «Queiroga responde com gesto obsceno a protesto de brasileiros em NY.». Política. 24 de janeiro de 2022. Consultado em 24 de janeiro de 2022 
  12. «'Melhor perder a vida do que a liberdade', diz Marcelo Queiroga». Política. 24 de janeiro de 2022. Consultado em 24 de janeiro de 2022 
  13. «'A pressa é inimiga da perfeição', diz Queiroga sobre vacinação de crianças.». Política. 24 de janeiro de 2022. Consultado em 24 de janeiro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias

Precedido por
Eduardo Pazuello
Ministro da Saúde do Brasil
2021-presente
Sucedido por