Universidade do Porto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade do Porto
U.Porto
Lema Virtus Unita Fortius Agit
Fundação 1911
Tipo de instituição Pública
Localização Porto
Docentes 1.920 (ETI)
Reitor(a) Sebastião Feyo de Azevedo
Vice-reitor(a) Maria de Fátima Marinho, Maria João Ramos, Pedro Teixeira, Rui Ramos, José Manuel Martins Ferreira
Total de estudantes 30.898 [1]
Graduação 21.251 [1]
Pós-graduação 9.647 [1]
Orçamento anual 206 milhões (61% do OE) [1]
Página oficial http://www.up.pt/

A Universidade do Porto (UP) MHSE é uma universidade pública portuguesa localizada em Porto e fundada em 22 de março de 1911. É a segunda maior universidade portuguesa por número de estudantes inscritos, após a Universidade de Lisboa.

Em 2017, a Universidade do Porto entre as 300 melhores universidades do mundo no QS World University Rankings,[2] ranking internacional de ensino superior, sendo o melhor lugar obtido por uma instituição do ensino superior e de investigação em Portugal.[3]

Na edição de 2017 do Ranking de Xangai, a instituição ficou classificada no intervalo [301-400], sendo a segunda melhor universidade portuguesa classificada, após a Universidade de Lisboa.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Edifíco da Academia Politécnica, onde funcionou a Faculdade de Ciências e agora está instalada a Reitoria da Universidade do Porto e vários museus.

Criação[editar | editar código-fonte]

A Universidade do Porto foi criada por decreto, de 22 de março de 1911, do Governo Provisório da República Portuguesa[5][6]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Se bem que seja possível apontar como as suas antecessoras mais remotas a Aula de Náutica, estabelecida por D. José I em 1762, e a Aula de Debuxo e Desenho, criada por D. Maria I em 1779, a Universidade vai basear-se fundamentalmente em duas instituições de ensino superior criadas no século XIX: a Academia Politécnica e a Escola Médico-Cirúrgica do Porto.

A Academia Politécnica tinha como fim principal o ensino das ciências industriais e formava engenheiros de todas as classes, além de outras especialidades profissionais como oficiais de marinha, pilotos, comerciantes, agricultores, directores de fábricas e artistas. Herdeira da Academia Real da Marinha e Comércio do Porto, criada em 1803 pelo Príncipe-Regente D. João (futuro D. João VI), surgiu em resultado da reforma de Passos Manuel, ministro do Reino no Governo saído da revolução de Setembro. No âmbito desta reforma, o nome da Academia Real é alterado para Academia Politécnica em 1837, sendo adoptadas as anteriores disposições estatutárias. Contudo, o governo económico e literário da Academia, até ali sob a inspecção da Junta da Administração da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, é transferido para o Conselho dos Lentes. Não obstante as grandes dificuldades financeiras por que passou, a Academia Politécnica do Porto conheceu uma época de apogeu científico, com cientistas eminentes como Gomes Teixeira e Ferreira da Silva.

A Escola Médico-Cirúrgica do Porto também é resultado da reforma de Passos Manuel: em 1836, sucede-se à Real Escola de Cirurgia uma instituição criada em 1825 por D. João VI, que funcionava em ligação com o Hospital da Misericórdia do Porto. Em 1837, é estabelecido um novo plano geral de estudos, que, além de alargar o número de cadeiras, as dividia em cadeiras médicas e cadeiras cirúrgicas. A Escola Médico-Cirúrgica tinha o seu assento no Hospital de Santo António, anexando uma Escola de Farmácia que compreendia cursos teóricos e cursos práticos.

A organização da universidade em 1911[editar | editar código-fonte]

A implantação da República, em 5 de outubro de 1910, introduziu importantes modificações no campo do ensino, entre as quais se conta a criação de duas novas universidades, a de Lisboa e a do Porto. Pelo decreto de 19 de abril de 1911,[7] a Universidade do Porto ficou assim constituída:

  • Faculdade de Ciências, destinada ao ensino das Ciências Matemáticas, Físico-Químicas e Histórico-Naturais, e tendo anexas as cadeiras de engenharia da extinta Academia Politécnica do Porto[8]
  • Faculdade de Medicina, tendo anexa uma Escola de Farmácia;
  • Faculdade de Comércio, que nunca chegou a funcionar como tal.[9]

Em 1915 foi criada a Faculdade Técnica[10] que viria a ser renomeada Faculdade de Engenharia em 1926.

Em 1921 foi criada a Faculdade de Letras, pelo ministro Leonardo Coimbra.[11] Por razões alegadamente de ordem financeira foi extinta em 1928,[12][13] sendo restaurada em 1961.[14]

A Faculdade de Farmácia foi criada em 1921, autonomizando-se então da Faculdade de Medicina.[15]

A Faculdade de Economia foi criada em 1953.[16]

A direção e gestão da Universidade[editar | editar código-fonte]

A UP foi inaugurada a 16 de julho de 1911 e, nesse mesmo dia, foi eleito o primeiro Reitor, o matemático Gomes Teixeira. A partir de agora é confiado à Universidade o seu próprio governo económico e científico. Também a autonomia do ensino é reconhecida. O governo da Universidade pertence aos corpos Académicos: Senado, Assembleia Geral dos Professores, Conselhos das Faculdades e Escolas e aos seus Delegados efectivos - Director e Reitor.

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

A expansão da Universidade do Porto após 1974[editar | editar código-fonte]

A Universidade do Porto conheceu uma grande expansão após a Revolução do 25 de Abril.

Às seis faculdades existentes juntaram-se, através da criação de raiz ou integração de escolas pré-existentes, as seguintes:

A passagem ao regime fundacional[editar | editar código-fonte]

Em 2009, através do Decreto-Lei n.º 96/2009, de 27 de abril,[24] a Universidade do Porto transformou-se numa instituição de ensino superior pública de natureza fundacional, nos termos da Lei n.º 62/2007, de 10 de setembro.[25]

Estatutos[editar | editar código-fonte]

A Universidade do Porto rege-se pelos Estatutos da Fundação Universidade do Porto, aprovados em anexo ao Decreto-Lei n.º 96/2009, de 27 de abril[24] e pelos Estatutos da Universidade, aprovados pelo seu Conselho Geral em 26 e 27 de junho de 2014 e homologados pelo Governo através do Despacho Normativo n.º 8/2015, de 25 de maio.[26]

Localização[editar | editar código-fonte]

Edifício da Faculdade de Engenharia da U.Porto, no Polo da Asprela.

As 14 faculdades da Universidade do Porto estão localizadas por toda a cidade em três pólos, onde se agrupam escolas e outras infraestruturas. No centro da cidade, zona original da Universidade, localiza-se o Pólo 1; o Pólo 2 situa-se na zona da Asprela, no extremo Norte do concelho do Porto; o Pólo 3 encontra-se na zona do Campo Alegre, não muito distante do Pólo 1. Dispersos pela cidade, ou mesmo noutros concelhos, localizam-se ainda outros institutos e centros universitários.

Ensino[editar | editar código-fonte]

A Universidade do Porto possui atualmente cerca de 28 000 estudantes, 2300 docentes e investigadores e 1700 funcionários não docentes.

Com uma oferta de cerca de 475 diferentes programas de formação – entre licenciaturas, pós-graduações, mestrados, doutoramentos, cursos de formação contínua e de formação profissional –, a U.Porto propõe soluções de formação superior em todas as grandes áreas do conhecimento. A este nível, a Universidade do Porto já adequou a maioria dos seus cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento ao modelo implementado a partir da Declaração de Bolonha (num total de 172 novos ciclos já aprovados). A organização dos planos de estudos obedece ao modelo de três ciclos, conducentes ao grau de licenciado, de mestre e de doutor. Em algumas áreas possui, também, o ciclo de estudos integrado conducente ao grau de mestre (mestrado integrado), a cujos estudantes é conferido o grau de licenciado quando concluírem os 180 créditos correspondentes aos primeiros seis semestres do plano curricular.

Investigação[editar | editar código-fonte]

Os laboratórios da U.Porto subscrevem mais de um quinto dos artigos científicos portugueses.

A U.Porto é igualmente reconhecida, a nível internacional, pela investigação científica que produz, sendo que os seus laboratórios subscrevem mais de um quinto dos artigos científicos portugueses. Um facto que em 2007, foi reconhecido com a presença da U.Porto em vários dos principais rankigs internacionais de instituições de ensino superior. Destacam-se, nesse sentido, a presença no 11º posto do Ranking Iberoamericano de Instituciones de Investigación, a citação entre as 500 melhores universidades do mundo segundo o Academic Ranking of World Universities, bem como a distinção como única representante portuguesa no "top 500" das universidades com os melhores índices de produção científica do planeta, de acordo com o Performance Ranking of Scientific Papers for World Universities.

Entre os laboratórios com ligações à universidade, podem referir-se, a título de exemplo, o IBMC (Instituto de Biologia Molecular e Celular), o IPATIMUP (Instituto de Patologia e Imunologia Molecular), o INEB (Instituto de Engenharia Biomédica, o CIBIO (Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos), o CIIMAR (Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental) e o CAUP (Centro de Astrofísica). Destaca-se ainda a estreita relação que liga a universidade aos tecidos empresarial e industrial, bem como aos dois hospitais centrais do Porto (Hospital de Santo António e Hospital de São João).

Cooperação internacional[editar | editar código-fonte]

Estudantes Erasmus da Universidade do Porto.

A UP tem protocolos de cooperação com mais de 500 universidades estrangeiras, que permitem a estudantes provenientes de qualquer parte do mundo realizar um período de estudos na Universidade. Atualmente, estudam na UP cerca de 1913 estudantes estrangeiros (7% do total), 921 ao abrigo de programas de mobilidade. Entre estes, a maioria frequenta cursos de 1º Ciclo / Licenciaturas (465), 259 frequentam cursos de 2.º Ciclo / Mestrados e 177 estão cursos de 3.º Ciclo / Doutoramentos. Numa "comunidade" estrangeira onde estão representadas 61 nacionalidades, contam-se ainda 59 investigadores Post-Doc.

Reitores[editar | editar código-fonte]

Doutores honoris causa[editar | editar código-fonte]

Estudantes e professores famosos[editar | editar código-fonte]

Unidades orgânicas de ensino e investigação[editar | editar código-fonte]

Universidade do Porto
Logoup.jpg
Faculdades

Arquitectura
Belas-Artes
Ciências
Ciências Biomédicas
Ciências da Nutrição e Alimentação
Desporto
Direito
Economia
Engenharia
Farmácia
Letras
Medicina
Medicina Dentária
Psicologia e Ciências da Educação

Outras Unidades

Business School
UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto
Instituto Arquitecto José Marques da Silva
Coral do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto
Coral de Letras da Universidade do Porto
Orfeão Universitário do Porto
Sociedade de Debates da Universidade do Porto
Teatro Universitário do Porto

editar

Outras unidades da Universidade do Porto e instituições a ela ligadas[editar | editar código-fonte]

A lista completa das estruturas de investigação da Universidade do Porto e de outras entidades por ela instituídas ou a ela ligadas encontra-se em anexo aos Estatutos[26]

O reconhecimento dos serviços prestados ao país[editar | editar código-fonte]

A 22 de março de 2011 a Universidade do Porto foi feita Membro-Honorário da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[31]

Referências

  1. a b c d "A Universidade do Porto em Números" Reitoria da Universidade do Porto (2009), acesso em 28/11/2010
  2. Ranking mundial: Universidade do Porto é a melhor instituição de ensino superior em Portugal
  3. Universidade do Porto eleita como a melhor universidade de Portugal - Porto Canal
  4. Silva, Samuel. «Ranking de Xangai: cinco universidades portuguesas nas 500 melhores do mundo». PÚBLICO. Consultado em 15 de agosto de 2017 
  5. Decreto do Governo de 22 de março de 1911, publicado no Diário do Governo de 24 de março de 1911.
  6. Ver também o Decreto de 19 de abril de 1911, publicado no Diário do Governo de 22 de abril de 1911.
  7. Publicado no Diário do Governo de 22 de abril de 1911. Cf. o artigo 5.º
  8. Cf.artigo 23.º do Decreto de 22 de agosto de 1911 publicado no Diário do Governo de 24 de agosto de 1911.
  9. Cf. SANTOS, Cândido dos. História da Universidade do Porto. Porto : Universidade do Porto, 2007, pg. 199. Em 1953 viria a ser criada a Faculdade de Economia.
  10. Cf. artigo 77.º da Lei n.º 410, de 9 de setembro de 1915.
  11. Cf. artigo 11.º da Lei n.º 861, de 27 de agosto de 1919.
  12. «Por patente rancor político e espírito de reivindicta, envolto em eufemísticas razões de sabor tecnocrático». Cf. SANTOS, Cândido dos. História da Universidade do Porto. Porto : Universidade do Porto, 2007, pg. 128
  13. Cf. Decreto n.º 15365, de 14 de abril de 1928.
  14. Cf. Decreto-Lei n.º 43884, de 17 de agosto.
  15. Cf. Decreto n.º 7238, de 18 de janeiro de 1921.
  16. Cf. Decreto-Lei n.º 39226, de 28 de maio de 1953.
  17. Cf. Decreto-Lei n.º 429/75, de 12 de agosto.
  18. Cf. Decreto-Lei n.º 675/75, de 3 de dezembro.
  19. Cf. Decreto-Lei n.º 529/80, de 5 de novembro. Pelo Decreto n.º 12/77, de 20 de janeiro, tinha sido criado um curso superior de Psicologia a funcionar provisoriamente na Faculdade de Letras.
  20. Pelo Decreto-Lei n.º 498-F/79, de 21 de dezembro, por transformação da 1.ª secção da Escola Superior de Belas-Artes do Porto.
  21. Cf. Decreto-Lei n.º 10/89, de 6 de janeiro, que integrou na Universidade do Porto a Escola Superior de Medicina Dentária do Porto, criada pelo Decreto-Lei n.º 282/75, de 6 de junho.
  22. Cf. Despacho n.º 28/ME/94 (2.ª série), de 8 de julho de 1994.
  23. A criação da Faculdade, então com a denominação de Instituto Superior de Ciências da Nutrição e da Alimentação, foi autorizada pelo Despacho n.º 165/ME/96 (2.ª série), de 13 de agosto de 1996. Na sua génese esteve o curso de bacharelato em Nutricionismo cuja criação na Universdade do Porto fora autorizada pelo Despacho n.º 46/76, de 31 de maio de 1976, dos Ministros da Educação e Investigação Científica e dos Assuntos Sociais.
  24. a b Cf. Decreto-Lei n.º 96/2009, de 27 de abril.
  25. Lei n.º 62/2007, de 10 de setembro: Regime Jurídico das Institutições de Ensino Superior
  26. a b c Despacho Normativo n.º 8/2015, de 25 de maio.
  27. Cf. Porto Business School.
  28. Cf. Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto.
  29. Cf. Sociedade de Debates da Universidade do Porto.
  30. Cf. INEGI - Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial.
  31. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Universidade do Porto". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 7 de junho de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Universidade do Porto