Universidade da Beira Interior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade da Beira Interior
UBI
Lema Scientia et Labore Altiora Petimus
Fundação 1986, Instituto Universitário da Beira Interior (1979), anteriormente Instituto Politécnico da Covilhã (1973)
Tipo de instituição Pública
Localização Covilhã, Castelo Branco
 Portugal
Docentes 693
Reitor(a) António Carreto Fidalgo
Vice-reitor(a) Mário Lino Barata Raposo, Paulo Rodrigues Lima Vargas Moniz, João Manuel Messias Canavilhas
Total de estudantes 7.110
Graduação 5988
Doutorado 256
Orçamento anual ‎€ 23.375.998 (2009)[1]
Página oficial http://www.ubi.pt/

A Universidade da Beira Interior (UBI) é uma universidade pública portuguesa, fundada em 1986, com sede na cidade de Covilhã, em Portugal. A instituição engloba um conjunto de Faculdades, Departamentos e Centros que se estendem pelas mais variadas áreas do conhecimento, colocando a Covilhã e a região numa posição de destaque no que concerne ao conhecimento científico e artístico. Tal decorre não só do ensino ministrado mas também da investigação efectuada nos diversos departamentos e unidades de investigação. No ano lectivo 2014/2015, a UBI contava com 3384 alunos nas licenciaturas, 1974 em mestrados integrados, 1061 em mestrados regulares e 460 alunos de doutoramento, totalizando 6879 alunos.

História[editar | editar código-fonte]

A história desta instituição começa no ano de 1973, quando foi criado o então Instituto Politécnico da Covilhã. Não fugindo à tradição local dos lanifícios (a cidade da Covilhã ficou conhecida como a Manchester Portuguesa pela sua longa tradição na produção têxtil), os seus primeiros alunos (143) ingressaram nos cursos de Engenharia Têxtil e Administração e Contabilidade[2] em 1975. Em 1979 passa a denominar-se Instituto Universitário da Beira Interior, e em 1986 ganha o título de Universidade da Beira Interior.

O primeiro reitor da instituição foi o Prof. Doutor Cândido Manuel Passos Morgado, que exerceu o cargo de 21 de Agosto de 1980 a 19 de Janeiro de 1996. Seguiu-se o Prof. Doutor Manuel José dos Santos Silva, que se manteve no cargo até 19 de Junho de 2009. Nesta data toma posse, como terceiro Reitor da instituição, o Prof. Doutor João António de Sampaio Rodrigues Queiroz. Atualmente, exerce o cargo de reitor da UBI o Prof. Doutor António Fidalgo.

Cursos[editar | editar código-fonte]

A universidade adequou todos os seus cursos de acordo com a Declaração de Bolonha:

Licenciaturas (1º Ciclo) e Mestrados Integrados (1º e 2º ciclo)[editar | editar código-fonte]

Mestrados (2º Ciclo)[editar | editar código-fonte]

Entrada principal da universidade, e entrada do Museu de Lanifícios.

* Não consta da oferta formativa para o ano letivo 2016/2017

Doutoramentos (3º Ciclo)[editar | editar código-fonte]

Pós-Graduações[editar | editar código-fonte]

Candidatos[editar | editar código-fonte]

A UBI é uma universidade jovem, dinâmica e em constante desenvolvimento. Servir a região, o país e o mundo é prioridade da Instituição através de uma formação exigente e uma investigação ao mais alto nível, desenvolvidas num clima de proximidade só possível em cidades de dimensão média, como a Covilhã.

A instituição reúne as melhores condições de ensino e aprendizagem, preparada para os desafios que o futuro apresenta, com cursos adaptados a um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, que fomentam o empreendedorismo e a inovação.

Bem-vindo à UBI!

Candidatos Nacionais Ou Equiparados[editar | editar código-fonte]

Candidatos de Angola[editar | editar código-fonte]

Os candidatos provenientes de Angola podem encontrar informações sobre cursos e procedimentos em

Candidatos do Brasil[editar | editar código-fonte]

Os candidatos provenientes do Brasil podem encontrar informações sobre cursos e procedimentos em

Candidatos de Cabo Verde[editar | editar código-fonte]

Os candidatos provenientes de Cabo Verde podem encontrar informações sobre cursos e procedimentos em:

Candidatos China[editar | editar código-fonte]

Os candidatos provenientes da China podem encontrar informações sobre cursos e procedimentos em:

Candidatos Moçambique[editar | editar código-fonte]

Os candidatos provenientes de Moçambique podem encontrar informações sobre cursos e procedimentos em

Candidatos PALOP e Timor Leste[editar | editar código-fonte]

Os candidatos provenientes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e de Timor Leste podem encontrar informações sobre cursos e procedimentos em

Candidatos Outras Nacionalidades[editar | editar código-fonte]

Os candidatos provenientes de países diferentes de Portugal ou que não seguem o concurso nacional de acesso ao ensino superior podem encontrar informações sobre cursos e procedimentos em

Campus[editar | editar código-fonte]

O pólo I da universidade, o edifício em primeiro plano alberga os departamentos de Matemática e Informática.
Bloco das engenharias - é neste edifício que são leccionadas as aulas e decorrem conferências da área das engenharias.
Auditório exterior da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (Pólo III)

A universidade situa-se no interior da cidade, e é constituída pelos seguintes pólos:

A maioria dos edifícios resulta da reconversão de antigas fábricas têxteis. O pólo I, situado junto à ribeira da Goldra (também conhecida por ribeira da Degoldra), resulta da recuperação da antiga Fábrica Real de Panos (inaugurada em 1764 por Marquês de Pombal), que entretanto também tinha servido como quartel militar. O bloco das engenharias, inaugurado a 8 de Maio de 2000, foi anteriormente a Empresa Transformadora de Lãs, conforme se pode observar na sua fachada actual. A biblioteca central, que serviu de sede aos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento, era originalmente a residência da família Mendes Veiga, enquanto que a reitoria resulta do restauro do Convento de Santo António, edifício do século XVI. Já o pólo IV, situado junto à ribeira da carpinteira, resulta da recuperação da antiga fábrica da empresa Ernesto Cruz, sendo por isso também denominado de pólo do Ernesto Cruz. O edifício do pólo III foi projectado de raiz para servir a Faculdade de Ciências da Saúde.

Será lançado em 2011 o concurso público para a construção do UBIMedical, a maior infra-estrutura científica do interior do país.[3]

Museu dos Lanifícios[editar | editar código-fonte]

Durante as obras de adaptação da Real Fábrica de Panos foram descobertas várias estruturas que serviam para a fabricação dos tecidos, incluindo as tinas para o tingimento dos panos. Essas estruturas foram preservadas com criação do Museu dos Lanifícios, a 30 de Abril de 1992.

Actualmente, para além do núcleo da Real Fábrica de Panos, o museu conta também com o núcleo da Real Fábrica Veiga (inaugurado a 18 de Maio de 2005), onde se situa o Centro de Documentação/Arquivo Histórico, e com núcleo das Râmolas de Sol. Para além das zonas de tinturaria, é possível visitar a zona de secagem das lãs (núcleo das Râmolas) e a antiga caldeira fabril da Real Fábrica Veiga, entre outros. Exposições permanentes e temporárias são organizadas ao longo de todo o ano.

O museu pode ser visitado todos os dias (incluindo feriados e excluindo segunda-feiras) das 9:30 às 12:00 e das 14:30 às 18:00. Considerado pela UNESCO o melhor museu têxtil da Europa,[4] recebeu ainda o prémio de "Melhor Museu" do país em 2002[5] sem sequer ter concorrido ao galardão da Associação Portuguesa de Museologia.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Universidade da Beira Interior


O povo portuguez nos seus costumes, crenças e tradições - Teófilo Braga - II.pdf