Universidade Nova de Lisboa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Universidade Nova de Lisboa
NOVA
Lema Omnis civitas contra se divisa non stabit
"Toda a cidade dividida contra si mesma, não permanecerá"
Fundação 11 de Agosto de 1973
Tipo de instituição Pública
Localização Lisboa
Reitor(a) []]
Docentes 1746
Total de estudantes 19867
Página oficial http://www.unl.pt/

A Universidade Nova de Lisboa ou NOVA é uma universidade pública portuguesa, criada em 11 de agosto de 1973[1], integrada por nove unidades orgânicas localizadas na área metropolitana de Lisboa (Lisboa, Oeiras, Almada e Cascais)[2]. A Universidade NOVA de Lisboa é a 15ª melhor da Europa e está entre as 50 melhores do mundo com menos de 50 anos de acordo com o ranking QS Top 50 under 50, que avalia critérios como a reputação e a internacionalização. A NOVA está ainda no top 10 das jovens Universidades Europeias

A Reitoria encontra-se instalada em Lisboa, na freguesia de Campolide[3]. A Universidade Nova de Lisboa conta com um total de mais de 19 mil alunos, mais de 1700 docentes, em cinco faculdades, três institutos e uma escola superior, que ministram um leque diversificado de cursos em todos os domínios do conhecimento[4].

História[editar | editar código-fonte]

A Universidade Nova de Lisboa foi criada pelo Decreto-Lei n.º 402/73, de 11 de agosto, no quadro de um projeto de expansão do ensino superior desenvolvido por Veiga Simão, Ministro da Educação Nacional do último Governo do Estado Novo[1].

Projetada pela sua primeira comissão instaladora como uma universidade de modelo departamental, fórmula inovadora no quadro das universidades portuguesas então existentes, as vicissitudes por que passou o desenvolvimento do projeto levaram à sua transformação, em 1977, numa universidade organizada em faculdades[5].

Integrada inicialmente pelas Faculdades de Ciências e Tecnologia, Ciências Sociais e Humanas e de Economia[5], foram sendo, progressivamente criadas ou incorporadas novas unidades orgânicas:

  • Faculdade de Ciências Médicas, incorporada em 1977[6];
  • Instituto de Higiene e Medicina Tropical, incorporado em 1980[7];
  • Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação, criado em 1989[8];
  • Instituto de Tecnologia Química e Biológica António Xavier, incorporado em 1993[9];
  • Escola Nacional de Saúde Pública, integrada em 1994[10];
  • Faculdade de Direito, criada em 1996[11].

Passou a fundação pública de direito privado em fevereiro de 2017.[12]

Unidades orgânicas[editar | editar código-fonte]

A Universidade Nova de Lisboa possui nove unidades orgânicas[2]:

Unidades de investigação[editar | editar código-fonte]

A Universidade Nova de Lisboa tem Unidades de Investigação próprias, inseridas nas suas diversas áreas de especialidade.[13] Atualmente conta com vários centros de investigação, sob a alçada das suas nove Unidades Orgânicas. Por exemplo, só na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas é possível encontrar 16 centros[14] de investigação.

Localização[editar | editar código-fonte]

Edifício da Reitoria da NOVA, Prémio Valmor e Municipal de Arquitectura 2002, Campus de Campolide

A Universidade Nova de Lisboa está sediada freguesia de Campolide, em Lisboa[15] e possui unidades orgânicas em Lisboa, Oeiras e Almada.

Reitores[editar | editar código-fonte]

Atualidade[editar | editar código-fonte]

No ano letivo de 2015-2016 a Universidade Nova de Lisboa contava com um total de 18 867 alunos (dos quais 7% estrangeiros),[4][24], 1746 docentes (254 de origem internacional)[4] e 804 funcionários.

Pilares e fundamentos[editar | editar código-fonte]

A estrutura da Universidade NOVA de Lisboa foi pensada, desde início, tendo em conta a necessidade do seu desenvolvimento estrutural. Aquando da sua reeleição em 2013, o atual Reitor da Universidade, António Rendas, reiterou a prossecução desses mesmos objetivos com base em quatro pilares essenciais: investigação, ensino, internacionalização e empreendedorismo.[25][26][27]

Rankings[editar | editar código-fonte]

Em 2015, a NOVA foi a única universidade portuguesa a figurar no ranking "QS Top 50 under 50", baseado na "QS World University Rankings" para instituições com menos de 50 anos,[28] tendo assim figurado nesta tabela pelo terceiro ano consecutivo.[29][30][31]

Por outro lado, em 2016, a lista ordenada da revista Times Higher Education destaca a NOVA como uma das 150 melhores do mundo com menos de 50 anos,[24] mas atrás da Universidade de Aveiro e da Universidade do Minho.[32] De notar que, nos rankings de 2012 a 2015 da THE, a NOVA se encontrava entre as 100 melhores do mundo com menos de 50 anos.[33][34][35][36]

Em 2015, a NOVA liderava, a nível nacional, o "CWTS Leiden Ranking".[37] Já em 2016, no comparador U-Multirank, a NOVA obteve a classificação máxima em 13 dos 31 indicadores avaliados.[38]

Com os resultados alcançados nos principais rankings de universidades com menos de 50 anos, a NOVA tornou-se um dos membros fundadores, em 2015, da Rede YERUN (Network of Young European Research Universities ou Rede Europeia de Jovens Universidades de Investigação).[39]

Em 2015 foi licenciada em Cascais a construção de um novo edifício para a Faculdade de Economia (NOVA School of Business and Economics). Está previsto que a nova estrutura, a construir até 2017 em Carcavelos, tenha a capacidade para cinco mil alunos. A saída desta faculdade do campus de Campolide faz parte de uma reestruturação que envolve também a tranferência da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Avenida de Berna para Campolide.[40][41]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Cf. artigo 8.º do Decreto-Lei n.º 402/73, de 11 de agosto.
  2. a b Cf. rede de ensino superior público Arquivado em 11 de outubro de 2016, no Wayback Machine. no site na Internet da Direção-Geral do Ensino Superior.
  3. Cf. contactos da Universidade Nova de Lisboa.
  4. a b c Quacquarelli Symonds (QS) (2015). «QS University Rankings : Universidade Nova de Lisboa» (em inglês). Londres: QS Top Universities. Consultado em 8 de maio de 2016 
  5. a b Cf. Decreto-Lei n.º 463-A/77, de 10 de novembro.
  6. Cf. o Decreto Lei n.º 481/77, de 15 de novembro.
  7. Cf. o Decreto Lei n.º 164/80, de 28 de maio.
  8. Cf. o Lei n.º 417/89, de 30 de novembro.
  9. Cf. o n.º 2 do artigo 2.º do Decreto-Lei n.º 188/92, de 27 de agosto, que autorizou a integração do Centro de Tecnologia Química e Biológica na Universidade Nova de Lisboa, e o Despacho n.º 4434/2014 (2.ª série), de 26 de março, que registou a alteração da denominação de Instituto de Tecnologia Química e Biológica para Instituto de Tecnologia Química e Biológica António Xavier.
  10. Cf. o Despacho n.º 14/ME/94 (2.ª série), de 29 de abril, pg. 3875.
  11. Cf. o Despacho n.º 164/ME/96 (2.ª série), de 13 de agosto, pg. 11378.
  12. Cf. o Decreto-Lei n.º 20/2017, de 21 de fevereiro.
  13. Elsa Araújo Rodrigues (24 de novembro de 2015). «Universidade NOVA de Lisboa está entre as 50 melhores do mundo». Observador. Consultado em 3 de maio de 2016 
  14. «Faculdade de Ciências Sociais e Humanas : Unidades de Investigação». Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Consultado em 6 de maio de 2016 
  15. Câmara Municipal de Lisboa (2016). «Reitoria - Universidade Nova de Lisboa». Sitio oficial da Câmara Municipal de Lisboa. Consultado em 2016--05-04  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  16. a b c Cf. DUARTE-RAMOS, Hermínio. Uma história breve.
  17. «Mestrado internacional marca 'reentré' na Nova». Revista human. 30 de agosto de 2010. Consultado em 2 de maio de 2016 
  18. Rui Batista (6 de agosto de 2004). «Manuel Pinto Barbosa é o novo presidente da TAP». TVI24. Consultado em 2 de maio de 2016 
  19. a b Agência Lusa (19 de novembro de 2002). «Leopoldo Guimarães eleito reitor da Universidade Nova de Lisboa». Indica Sousa Lobo reitor desde 1996. Jornal Publico. Consultado em 2 de maio de 2016 
  20. Universidade Nova de Lisboa, ed. (1 de janeiro de 1999). Tomada de posse do reitor da Universidade Nova de Lisboa Luís Sousa Lobo: concessão da posse aos Vice-Reitores e Pró-Reitores 1.ª ed. Lisboa: Universidade Nova. Reitoria 
  21. Diário Digital / Agência Lusa (9 de maio de 2009). «Universidade Nova de Lisboa: António Rendas reeleito reitor». Diário Digital. Consultado em 8 de maio de 2016 
  22. Germano Oliveira (15 de maio de 2009). «António Rendas reeleito na Universidade Nova». Jornal de Negócios. Consultado em 8 de maio de 2016 
  23. Agência Lusa (22 de julho de 2013). «Ensino Superior: António Rendas reeleito reitor da Universidade Nova». Notícias ao Minuto. Consultado em 8 de maio de 2016 
  24. a b «Times Higher Education World University Rankings : New University of Lisbon» (em inglês). Times Higher Education (THE). 2016. Consultado em 6 de maio de 2016 
  25. «Reitor diz que universidades não aguentam mais cortes». Rádio Renascença. 22 de julho de 2013. Consultado em 8 de maio de 2016 
  26. Universidade Nova de Lisboa (23 de julho de 2013). «António Bensabat Rendas reeleito Reitor da Universidade NOVA de Lisboa». Universia Portugal. Consultado em 2 de maio de 2016 
  27. Universidade Nova de Lisboa (23 de julho de 2013). «Professor Doutor António Rendas reeleito reitor da Nova». UDIREITO : Portal Estudante de Direito. Consultado em 2 de maio de 2016 
  28. Quacquarelli Symonds (QS) (2015). «QS University Rankings :Top 50 Under 50 2015» (em inglês). Filtro: Portugal. Londres: QS Top Universities. Consultado em 4 de maio de 2016 
  29. Quacquarelli Symonds (QS) (2014). «QS University Rankings : Top 50 Under 50 2014» (em inglês). Filtro: Portugal. Londres: QS Top Universities. Consultado em 4 de maio de 2016 
  30. Quacquarelli Symonds (QS) (2013). «QS University Rankings : Top 50 Under 50 2013» (em inglês). Filtro: Portugal. Londres: QS Top Universities. Consultado em 4 de maio de 2016 
  31. Agência Lusa (24 de novembro de 2015). «Nova de Lisboa desce nove lugares no ranking das 50 melhores». Jornal Público. Consultado em 8 de maio de 2016 
  32. «150 Under 50 Rankings 2016 : Portugal» (em inglês). Times Higher Education (THE). 2016. Consultado em 8 de maio de 2016 
  33. «Times Higher Education World University Rankings : New University of Lisbon» (em inglês). Times Higher Education (THE). 2012. Consultado em 8 de maio de 2016 
  34. «Times Higher Education World University Rankings : New University of Lisbon» (em inglês). Times Higher Education (THE). 2013. Consultado em 8 de maio de 2016 
  35. «Times Higher Education World University Rankings : New University of Lisbon» (em inglês). Times Higher Education (THE). 2014. Consultado em 8 de maio de 2016 
  36. «Times Higher Education World University Rankings : New University of Lisbon» (em inglês). Times Higher Education (THE). 2015. Consultado em 8 de maio de 2016 
  37. Centre for Science and Technology Studies (28 de julho de 2015). «CWTS Leiden Ranking 2015» (em inglês). Resultado de "Portugal" na opção "Country:". Leiden, Holanda: Leiden University. Consultado em 4 de maio de 2016 
  38. «U-Multirank | Universities compared. Your way.» (em inglês). Tabela comparativa resultante da selecção de 27 instituições portuguesas. Europa: U-Multirank. Consultado em 26 de abril de 2016 
  39. Andreia Sanches (30 de janeiro de 2015). «Nasceu uma rede europeia de universidades jovens e a Nova de Lisboa faz parte». Jornal Público. Consultado em 8 de maio de 2016 
  40. Agência Lusa (8 de junho de 2015). «Câmara de Cascais aprova construção da Faculdade de Economia em Carcavelos». Jornal Público. Consultado em 8 de maio de 2016 
  41. Cláudia Carvalho Silva (28 de outubro de 2015). «Sai a Economia, entram as Ciências Sociais - a renovação do campus de Campolide». Jornal Público. Consultado em 8 de maio de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]