Universidade Portucalense Infante D. Henrique

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde outubro de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde outubro de 2017).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário ou apologético. (desde março de 2016)
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{spam}}, regra n° 6 da eliminação rápida.
Universidade Portucalense Infante D. Henrique
UPT
Lema Do conhecimento à prática
Fundação 1986
Tipo de instituição Privado cooperativo
Localização Porto
Reitor(a) Alfredo Marques
Página oficial http://www.upt.pt/

A Universidade Portucalense Infante D. Henrique é um estabelecimento de ensino superior cooperativo e de investigação científica cuja criação foi suportada legalmente através do Despacho n.º 122/86, de 28 de junho sendo reconhecida a sua utilidade.

Em conformidade com esta determinação legal e sob a designação de Universidade Portucalense Infante D. Henrique, iniciou a 30 de junho desse ano, as suas atividades e o início do funcionamento dos cursos em 16 de outubro de 1986.

Esta instituição ministra diferentes cursos reconhecidos pela tutela, para o que conta com um corpo docente próprio habilitado e qualificado, distribuído por quatro Departamentos: Direito, Psicologia e Educação, Economia Gestão e Informática e Turismo Património e Cultura.

Localização[editar | editar código-fonte]

A UPT disponibiliza um amplo e moderno campus, inserido no pólo Universitário da Asprela, no Porto, junto ao Hospital de S. João e ao IPO do Porto.

À entrada da universidade estão disponíveis vários meios de transporte, nomeadamente as linhas 6, 54, 59 e 79 dos autocarros da STCP e o Metro do Porto com a Linha D (Amarela).

Departamentos e oferta formativa[editar | editar código-fonte]

Departamento de Direito[editar | editar código-fonte]

O departamento de Direito da Universidade Portucalense Infante D. Henrique, criado aquando da formação da Universidade em 1986 e tem sabido conquistar um lugar de destaque no universo das profissões jurídicas, ao longo dos anos, por intermédio dos seus destinatários – os alunos. Na advocacia, na magistratura, na política, nos Registos e Notariado, na banca, na consultadoria jurídica e, em geral, em todas as profissões jurídicas para as quais prepara os seus formandos, a Universidade Portucalense marca presença reconhecida na cidade do Porto e no país.

Licenciaturas[editar | editar código-fonte]

Direito

Relações Internacionais

Solicitadoria

Mestrados[editar | editar código-fonte]

Direito: Ciência Jurídica Forense

Direito:

Especialização em Ciências Jurídico-Administrativas e Tributárias

Especialização em Ciências Jurídico-Empresariais

Especialização em Ciências Jurídico-Políticas

Direito Europeu e Comparado

Globalização, Economia e Direito

Formações Aplicadas[editar | editar código-fonte]

Direito do Trabalho

Os Direitos das Crianças e as Responsabilidades Parentais 

Registos e Notariado

Workshop de Documentoscopia e Grafotecnia

Cursos de Preparação[editar | editar código-fonte]

Admissão ao Centro de Estudos Judiciários 

Exame de Acesso à Carreira Diplomática

Exame de Admissão à Ordem dos Solicitadores e Agentes de Execução 

Departamento Economia, Gestão e Informática[editar | editar código-fonte]

O Departamento de Economia, Gestão e Informática (DEGI) é atualmente responsável pelos cursos de 1º e 2 ciclo e de pós-graduação nas áreas de Economia, Gestão e Informática. A sua oferta formativa incluí cursos inovadores, que cruzam diferentes áreas de saber, alguns dos quais pioneiros em Portugal.

O departamento atento aos grandes desafios existentes atualmente preocupa-se em dotar os seus estudantes com capacidades para um mundo cada vez mais global e competitivo, através da aquisição de saberes e competências profissionais, sociais e pessoais que lhes permitam construir de forma autónoma as suas aprendizagens, o espírito empreendedor e sentido de responsabilidade.

Licenciaturas[editar | editar código-fonte]

Economia

Gestão

Gestão da Hospitalidade

Gestão e Sistemas de Informação

Informática

Mestrados[editar | editar código-fonte]

Finanças

Gestão

Globalização, Economia e Direito

Informática Especialização em Engenharia de Software

Marketing e Negócios Digitais

Short Masters[editar | editar código-fonte]

Escanção - Especialidade em Vinhos

Gestão de Negócios de Hospitalidade e Turismo

MBA para Gestores de PME

Departamento de Psicologia e Educação[editar | editar código-fonte]

O departamento de Psicologia e Educação (DPE) pretende contribuir para o reforço da posição da UPT na academia e na sociedade científica, em Portugal e no mundo. Nos diferentes ciclos de estudo em funcionamento do DPE, há convergência em várias opções pedagógicas, tais como: Opção por avaliação continua ou mista, preferencialmente, em vez da avaliação final, metodologias vocacionadas para a participação ativa dos alunos, metodologias vocacionadas para preparação dos alunos para a investigação, visitas de estudo dentro do âmbito das unidades curriculares e realização de workshops com apoio dos Núcleos de Estudantes (NEP e NEES), organização de seminários no âmbito das unidades curriculares, sempre que os conteúdos o permitem, realização de ”Encontros Científicos” no âmbito dos Mestrados em funcionamento que promovem a troca de ideias entre mestrandos durante o processo de ensino.

Licenciaturas[editar | editar código-fonte]

Educação Social

Psicologia

Mestrados[editar | editar código-fonte]

Administração e Gestão da Educação

Ciências da Educação - Especialidade em Educação e Intervenção Sociocomunitária

Psicologia Clínica e da Saúde

Pós-Graduações[editar | editar código-fonte]

Coaching e Mentoring: Desenvolvimento do Potencial Humano

Formações Aplicadas[editar | editar código-fonte]

Comunicação e Liderança nas Organizações de Intervenção Social

Departamento de Turismo, Património e Cultura[editar | editar código-fonte]

O contínuo processo de Bolonha criou condições de desenvolvimento e inovação no seio das universidades que devem ser implementadas e alargadas na sua plenitude. Ciente das necessidades impostas pelas novas políticas do ensino superior e das rápidas e constantes mudanças operadas na sociedade e no mundo laboral, entendemos que o Departamento de Turismo, Património e Cultura deve seguir muito de perto as boas práticas e implementá-las com o máximo de rigor. Interessa-nos formar com qualidade e com valores, promovendo a criatividade, o espírito crítico e muitas outras competências que acreditamos necessárias às pessoas e aos profissionais.

Licenciaturas[editar | editar código-fonte]

Turismo

Mestrados[editar | editar código-fonte]

Património Artístico Conservação e Restauro

Património Cultural e Desenvolvimento do Território

Turismo e Hospitalidade

Short Masters[editar | editar código-fonte]

Cultura do Vinho e Enoturismo

Green Tourism - Ecoturismo

Turismo no Espaço Rural e Desenvolvimento Regional

Investigação[editar | editar código-fonte]

A política de investigação da UPT assenta num conjunto de princípios, valores e orientações modelados por uma visão de utilidade da I&D para a sociedade. Assume-se que a primeira função da Universidade é a de produzir conhecimento que posteriormente dissemina, internamente através do ensino, com utilização imediata pela UPT, e externamente através de iniciativas e meios em Open Access, de transferência de conhecimento contratualizada e de registo de propriedade intelectual.

A perspetiva de utilidade social do conhecimento produzido justifica o investimento nesta atividade. Este investimento pode ser próprio ou externo à instituição, podendo neste segundo caso provir do setor privado ou do setor público a nível nacional, europeu ou extraeuropeu.

Instituto Jurídico Portucalense

O Instituto Jurídico Portucalense foi criado em 2007, dando cumprimento às novas exigências legais estabelecidas pelo Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior.

Este instituto resulta da reestruturação e reformulação do Instituto Jurídico já existente desde 1987, no seio do qual se desenvolveram todas as atividades do Departamento, desde o Curso de Preparação para a Admissão ao Centro de Estudos Judiciários (CEJ), passando pela publicação de uma revista científica (Revista Jurídica), até aos diversos cursos de pós-graduação e de especialização, conferências e debates da iniciativa do Departamento de Direito. Tem como principais objetivos promover o conhecimento e o desenvolvimento através da investigação científica fundamental e aplicada, planear e realizar formação complementar, profissional e de pós-graduação, cooperar com outras entidades públicas ou privadas, nacionais, comunitárias ou estrangeiras, entre outros.

Instituto de Desenvolvimento Humano Portucalense

O Instituto Portucalense de Desenvolvimento Humano foi criado com o intuito de promover a investigação científica do ser humano, ao longo do desenvolvimento, numa perspetiva integrativa promotora do bem-estar, da saúde e da melhoria dos processos educativos.

Desse modo, o Instituto encontra-se integrado na UPTi, responsável pela coordenação da Investigação na Universidade Portucalense, tendo por missão executar a política de investigação da UPT, colaborando também, neste domínio, na execução da política de internacionalização da instituição.

O Instituto apresenta uma estrutura abrangente e diversificada, pretendendo dar visibilidade à investigação produzida na Universidade Portucalense, promovendo a sua divulgação e estabelecendo parcerias com unidades de investigação congéneres nacionais e estrangeiras.

REMIT | Research on Economics, Management and Information Technologies

O REMIT – Research on Economics, Management and Information Technologies - é uma unidade de investigação multidisciplinar e interdisciplinar que visa responder a desafios societais com uma abordagem holística, em que concorrem vários domínios científicos: Economia; Gestão; Finanças; Turismo; Património; História; Engenharia, Tecnologia e Sistemas de Informação; Matemática e Estatística.

O REMIT visa produzir conhecimento teórico e aplicado que possibilite uma maior compreensão das dinâmicas e tendências económicas, empresariais, territoriais e tecnológicas do mundo contemporâneo e dos seus efeitos socioeconómicos, contribuindo para a conceção, implementação e avaliação de estratégias organizacionais e de políticas públicas.

O centro estrutura-se em cinco grupos de investigação, que compõem o seu núcleo científico:

1.      Inovação, Empreendedorismo e Dinâmicas Económicas;

2.      Estratégia e Competitividade;

3.      Território e Desenvolvimento;

4.      Finanças; 

5.      Análise de Dados e Apoio à Decisão. 

Estudar na Portucalense[editar | editar código-fonte]

A Universidade Portucalense pretende afirmar-se como um paradigma de conhecimento e excelência no ensino superior em Portugal. A taxa de empregabilidade verificada nos vários cursos revela que o foco da Universidade Portucalense resulta no sucesso de quem escolhe estudar na UPT. Na Portucalense vive-se uma experiência de ensino única, onde a oferta interdisciplinar e inovadora, aliada à exigência e ao rigor, permite desenvolver competências sólidas nas diferentes áreas de atuação.

A Universidade Portucalense orgulha-se em manter uma relação próxima e personalizada com os estudantes, professores e empresas, e proporciona múltiplos e diferentes serviços de apoio ao aluno e às suas aspirações e expectativas.

No campus há diversas áreas que, para além da Biblioteca, convidam à reflexão e ao estudo, bem como ao convívio, como a Livraria, os foruns, cantina, bares, esplanadas interiores e exteriores e parques de estacionamento.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Decreto-Lei n.o 64/2006 de 21 de Março - Decreto-lei regulador das provas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos

Decreto-lei nº 90/2008, de 30 de Maio: Regime geral de acesso e ingresso no ensino superior (república Decreto-Lei n.º 296-A/98)

Portaria n.º 1031/2009, de 10 de Setembro de 2009: Provas de ingresso obrigatórias

Decreto-Lei n.º 113/2014, de 16 de julho – Regula os concursos especiais

Deliberação n.º 1664/2008, de 17 de Junho: Regulamento da aplicação do disposto no artigo 20.º -A do Decreto -Lei n.º 296 -A/98

Deliberação n.º 890/2013: Exames Finais