Ruy Luís Gomes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ruy Luís Gomes
Nascimento 5 de dezembro de 1905
Porto
Morte 27 de outubro de 1984 (78 anos)
Porto
Nacionalidade Portugal Português
Progenitores Mãe: Maria José de Medeiros Alves Gomes
Pai: António Luís Gomes
Alma mater Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra
Causa da morte Enfarte do miocárdio
Campo(s) Matemática e Astronomia

Ruy Luís Gomes (Porto, 5 de dezembro de 1905 — Porto, 27 de outubro de 1984) foi um matemático português e um dos fundadores do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. [1] [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ruy Luís Gomes nasceu na freguesia de São Pedro de Miragaia, no concelho do Porto. Era filho de António Luís Gomes e de Maria José de Medeiros Alves Gomes.[1][2]

Formação académica[editar | editar código-fonte]

António Luís Gomes foi reitor da Universidade de Coimbra de 1921 a 1924 e a sua família viveu naquela cidade durante esse período. Ruy Luís Gomes concluiu o curso complementar de Ciências no Liceu Central de José Falcão, em Coimbra, em 1922. Frequentou em seguida o Curso de Ciências Matemáticas na Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, tendo concluído a licenciatura em 1926, com a classificação de 20 valores. Foi nomeado assistente da mesma faculdade ainda esse ano. Doutorou-se pela Universidade de Coimbra em 1928 com a tese Sobre o desvio das trajetórias dum sistema holónomo.[1][2]

Carreira académica e de investigação em Portugal[editar | editar código-fonte]

Logo após a conclusão da licenciatura, Ruy Luís Gomes foi nomeado assistente da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra.

Em 1929 inicia a carreira na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, na qualidade de assistente.

Em 1933 abriu um concurso para professor catedrático da secção de Matemática daquela Faculdade, ao qual Ruy Luís Gomes concorreu e cujo lugar lhe foi atribuído.

Ruy Luís Gomes foi diretor do Gabinete de Astronomia e cofundador do Observatório Astronómico da Universidade do Porto. Foi também cofundador da Sociedade Portuguesa de Matemática, em 1940. Em 1941, apresentou ao Instituto para a Alta Cultura uma proposta de criação do Centro de Estudos Matemáticos do Porto (atual Centro de Matemática da Universidade do Porto). Este foi fundado em 1942 e Ruy Luís Gomes foi o seu diretor até 1947.

Em 1943, juntamente com António Aniceto Monteiro e Aureliano de Mira Fernandes, criou a Junta de Investigação Matemática, uma associação privada de cientistas sem financiamento público.[nota 1][1][2]

A demissão[editar | editar código-fonte]

Em 1947, Ruy Luís Gomes foi demitido do cargo de professor catedrático da Universidade do Porto por iniciativa do Ministro da Educação Nacional, Fernando Pires de Lima, por ter reclamado contra a prisão pela PIDE de uma aluna sua.[1][2]

Atividade política[editar | editar código-fonte]

Entre 1945 e 1957 Ruy Luís Gomes esteve preso em, pelo menos, dez ocasiões, devido à sua atividade política.

Foi vice-presidente da Comissão Distrital do Porto da Candidatura de General Norton de Matos à Presidência da República, em 1949. Presidiu à Comissão Central do Movimento de Unidade Democrática (MUD) até à sua extinção, em 1956.

O MUD promoveu da sua candidatura à Presidência da República em 1951. Esta candidatura foi rejeitada pelo Conselho de Estado.[1][2]

Exílio[editar | editar código-fonte]

Ruy Luís Gomes exilou-se na América do Sul. Foi docente na Universidade de Bahia Blanca, na Argentina, de 1958 a 1962 e na Universidade de Pernambuco, no Recife (Brasil), de 1962 a 1974 (juntamente com o seu antigo aluno José Morgado), tendo-lhe sido atribuído o título de Professor Emérito daquela Universidade em 1978.[1][2]

Regresso[editar | editar código-fonte]

Regressou a Portugal após a Revolução de 25 de Abril, tendo-se tornado no primeiro reitor da Universidade do Porto após aquela revolução. Jubilou-se a 5 de dezembro de 1975, tendo sido então nomeado reitor honorário da Universidade do Porto. Foi o primeiro presidente da Delegação Norte da Sociedade Portuguesa de Matemática, em 1980–1981. Faleceu vítima de enfarte do miocárdio.

Fundou, em 1975, juntamente com personalidades como Corino de Andrade e Nuno Grande o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.[1][2]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

  • Ordem da Amizade dos Povos da União Soviética, em 23 de maio de 1981
  • Medalha de Serviços Científicos (Brasil), em 1981
  • PRT Order of Liberty - Grand Officer BAR.png Grande oficial da Ordem da Liberdade, em 14 de abril de 1982[3]
  • Conferência de homenagem, promovida pela Sociedade Portuguesa de Matemática, pela Sociedade Portuguesa de Física e pela Universidade do Porto, em 5 de dezembro de 2005, assinalando o centenário do seu nascimento.[1][2]

Obras de Ruy Luís Gomes[editar | editar código-fonte]

  • Sôbre a estabilidade dos movimentos dum sistema holónomo. Lisboa, 1929.
  • Integral de Riemann. Porto : Junta de Investigação Matemática, 1949.
  • Integral de Lebesgue-Stieltjes: Definição, somabilidade e mensurabilidade, Teorema de Riesz. Porto : Junta de Investigação Matemática, 1952.
  • A teoria da relatividade: Espaço • Tempo • Gravitação. Lisboa : Edições Monsanto, 1954.
  • De Poincaré ao intuicionismo actual na crítica dos Fundamentos da Matemática: Reflexos no pensamento filosófico e matemático português (em co-autoria com Luís Neves Real). Braga : Faculdade de Filosofia de Braga, 1955.
  • Problemas de Investigação e História. Porto : Editorial Inova, 1960–1961.[1][2]

Notas

  1. A Junta de Investigação Matemática foi fundada por Aureliano de Mira Fernandes, António Aniceto Monteiro e Ruy Luís Gomes, em 4 de outubro de 1943. Os seus objetivos, expressos na ata de fundação eram os seguintes: (i) Promover o desenvolvimento da investigação matemática; (2) Realizar trabalhos de investigação necessários à economia da nação e ao desenvolvimento das outros ciências; (3) Sistematizar e coordenar a inquirição científica dos matemáticos portugueses; (4) Vincular o movimento matemático português com o dos outros países e, em especial, com o dos países Ibero-americanos; (5) Despertar na juventude estudiosa portuguesa o entusiasmo pela investigação matemática e a fé na sua capacidade criadora. Cf. Gazeta Matemática, n.º 17 (1943), p. 18.

Referências

  1. a b c d e f g h i j Rui Luís Gomes na página dos reitores da Universidade do Porto.
  2. a b c d e f g h i j Rui Luís Gomes na página Ciência em Portugal.
  3. Cf. Registo, na página dos Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Blogue de homenagem a Rui Luís Gomes no centenário do seu nascimento, criado por Jorge Rezende.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • BEBIANO, Natália (coord. e texto). Ruy Luís Gomes: uma fotobiografia. Porto : Universidade do Porto e Gradiva, 2005.
  • LOFF, Manuel. «Ruy Luís Gomes», in Os reitores da Universidade do Porto 1911-2011. Porto, Universidade do Porto e Fundação Engenheiro António de Almeida, 2011, p.201.
  • MORGADO, José. Homenagem ao professor Ruy Luís Gomes. Porto : Reitoria da Universidade do Porto e Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, 1995.
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) matemático(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.