Pfizer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pfizer
Logotipo da Pfizer usado desde 5 de janeiro de 2021.
Razão social Pfizer, Inc.
Empresa de capital aberto
Cotação NYSE: PFE
Atividade Indústria farmacêutica
Gênero Incorporation
Fundação 1849 (172 anos)
Fundador(es)
Sede Nova Iorque
Área(s) servida(s) Mundo
Pessoas-chave Albert Bourla (Presidente do conselho de administração & Diretor executivo)
Empregados 96 500 (2016)[1]
Subsidiárias
  • Agouron Pharmaceuticals
  • G.D. Searle
  • Greenstone
  • Hospira
  • InnoPharma
  • Parke-Davis
  • Pfizer UK
Lucro Baixa US$ 7,21 bilhões (2016)[2]
Faturamento Aumento US$ 52,82 bilhões (2016)[2]
Website oficial [1]

Pfizer, Inc. (NYSE: PFE) é uma empresa farmacêutica multinacional com sede em Nova Iorque, Estados Unidos.[3] Sua sede de pesquisa e desenvolvimento encontra-se em Groton, Connecticut, e é uma das maiores empresas farmacêuticas do mundo.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 1849, em Nova Iorque, pelos primos e imigrantes alemães Charles Pfizer e Charles Erhart, a Pfizer foi pioneira na produção de antibióticos. Hoje, traz em seu portfólio cerca de 100 produtos em diferentes classes terapêuticas para o tratamento de diversas doenças. Globalmente, a companhia tem 46 unidades industriais, distribuídas em 150 países, com a colaboração de 81,9 mil funcionários.

Com investimentos significativos e tecnologia de ponta para a descoberta e o estudo de novos fármacos, a Pfizer é reconhecida por sua inovação. Atualmente, a companhia mantém seis centros de pesquisas de novas moléculas nos Estados Unidos e um na Inglaterra. Milhares de pesquisadores estão envolvidos no desenvolvimento de novas terapias para doenças cardiovasculares, do sistema nervoso central, saúde do homem e da mulher e tratamento de doenças complexas, como câncer e AIDS.

Além de atuar no desenvolvimento e na comercialização de produtos para a saúde humana, a companhia conta com uma divisão dedicada à saúde animal.

Vacina covid-19[editar | editar código-fonte]

No início de dezembro de 2020, a Pfizer foi uma das primeiras empresas a ter sua vacina covid-19, a Tozinameran, liberada para uso emergencial. A autorização foi dada pelo Reino Unido. [5]

Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a Pfizer é líder em diversos segmentos terapêuticos e exporta seus produtos para 60 países de todos continentes. A Pfizer chegou ao Brasil em 1952. Hoje, a companhia tem 1900 funcionários, distribuídos na Matriz, em São Paulo, uma Unidade Fabril em Itapevi e escritórios em diversas capitais brasileiras. A Pfizer também engloba ações sociais: no Brasil, a empresa investe em projetos sociais e programas de incentivo ao voluntariado, voltados à educação em saúde e reinserção na comunidade. Os projetos apoiados pela companhia são: Expedicionários da Saúde (EDS), Casa do Zezinho, Casa dos Velhinhos Ondina Lobo, Associação Viva e Deixe Viver, Prêmio Pfizer de Educação Ambiental e Tear .

Referências

  1. «Cópia arquivada» (PDF). Consultado em 15 de agosto de 2017. Arquivado do original (PDF) em 24 de março de 2017 
  2. a b «Cópia arquivada» (PDF). Consultado em 15 de agosto de 2017. Arquivado do original (PDF) em 15 de fevereiro de 2017 
  3. «Frequently Asked Questions». Pfizer. Corporate Mailing Address. Consultado em 24 de outubro de 2014 
  4. «Pfizer moves higher amid persistent breakup talk». Bloomberg Businessweek. 27 de março de 2012. Consultado em 8 de julho de 2012 
  5. «Reino Unido inicia vacinação em massa contra o coronavírus: como funciona e quem são os primeiros». BBC News Brasil. Consultado em 29 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.