André Figueiredo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
André Figueiredo
Deputado Federal pelo  Ceará
Período 6 de janeiro de 2005
até atualidade
(3 mandatos consecutivos)
Ministro das Comunicações do  Brasil
Período 2 de outubro de 2015
até 12 de maio de 2016
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Ricardo Berzoini
Sucessor(a) cargo extinto
Dados pessoais
Nascimento 10 de novembro de 1966 (51 anos)
Fortaleza, Ceará
Partido PDT (desde 1984)
Profissão Advogado, economista e empresário

André Peixoto Figueiredo Lima (Fortaleza, Ceará, 10 de novembro de 1966) é um advogado, economista, empresário e político brasileiro. É filiado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT).[1]

Cearense nascido em Fortaleza, André Peixoto Figueiredo Lima é formado em economia (1987) e em direito (1995), pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e pós-graduado em Comércio Exterior pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Na juventude engajou-se no Movimento Semente de Libertação – grupo que utilizava a metodologia de Paulo Freire para alfabetizar e formar cidadãos no bairro do Pirambu, na capital cearense. Foi presidente do Centro Acadêmico de Economia e diretor do Diretório Central dos Estudantes da UFC. Foi líder estudantil, presidente do Centro Acadêmico de Economia, diretor no Diretório Central dos Estudantes e presidente da Executiva Nacional dos Estudantes de Economia.

Em 1984 filiou-se ao Partido Democrático Trabalhista. Fundou e foi o primeiro presidente da Juventude Socialista do Ceará. Logo, tornou-se membro do Diretório Nacional do partido, membro da Executiva Regional, presidente do Instituto Alberto Pasqualini Ceará, vice-presidente nacional da Fundação Leonel Brizola/Alberto Pasqualini e, atualmente, é presidente do PDT no Ceará e também exerce a 1ª vice-presidência nacional do PDT.

André presidiu o Sindicato dos Economistas do Ceará em 1991 e, três anos depois, em 1994, tornou-se subsecretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente do Ceará.

Foi eleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019), pelo PDT. Em 2 de outubro de 2015 foi indicado pela presidente Dilma Rousseff como sucessor de Ricardo Berzoini no Ministério das Comunicações.

De volta à Câmara dos Deputados, votou contra a PEC do Teto dos Gastos Públicos.[2] Em abril de 2017 votou contra a Reforma Trabalhista.[2] [3] Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do então Presidente Michel Temer.[2][4]

Referências

  1. Deputado André Figueiredo confirma que assumirá Ministério das Comunicações
  2. a b c G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  3. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  4. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 


Precedido por
Ricardo Berzoini
Ministro das Comunicações
2015 - 2016
Sucedido por
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.