José Leônidas Menezes Cristino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Leônidas Cristino
Foto:Elza Fiúza/ABr
Ministro-chefe da Secretaria Nacional de Portos do  Brasil
Período 1 de janeiro de 2011
até 3 de outubro de 2013
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Pedro Brito
Sucessor(a) Antonio Henrique Pinheiro Silveira
Deputado federal pelo  Ceará
Período 1 de fevereiro de 1995
até 31 de janeiro de 1999
1 de fevereiro de 2003
até 31 de dezembro de 2004
1 de fevereiro de 2015
até a atualidade
Prefeito de Sobral Sobral
Período 1 de janeiro de 2005
até 31 de dezembro de 2010
(2 mandatos consecutivos)
Antecessor(a) Cid Gomes
Sucessor(a) José Clodoveu de Arruda Neto
Dados pessoais
Nascimento 3 de junho de 1957 (60 anos)
Coreaú, CE
Esposa Maria Esther Frota Cristino
Partido PDT
Profissão Engenheiro civil

José Leônidas de Menezes Cristino (Coreaú, 3 de junho de 1957)[1] é um engenheiro civil e político brasileiro. Foi ministro-chefe da Secretaria Nacional de Portos.[2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era o quinto dos sete filhos de Gerardo Cristino de Meneses (1923-2006) e de Maria Rute Félix de Meneses Cristino (1923-2009). Graduou-se em Engenharia Civil na Unifor em 1982 e dedicou-se à engenharia rodoviária, tendo executado vários projetos e obras no Ceará e em vários estados brasileiros. Casado com a advogada Maria Esther Frota Cristino, com quem tem dois filhos: José Leônidas de Menezes Cristino Filho e Larissa Maria Frota Cristino. É primo distante de Ângela Portela, senadora federal pelo Estado de Roraima.

Ingressou no serviço público em 1989, como Diretor de Operação da prefeitura de Fortaleza, na gestão de Ciro Gomes. Entre 1991 e 1994, foi Secretário dos Transportes, Energia, Comunicações e Obras do Estado do Ceará.

Em 1994 elegeu-se deputado federal com a segunda maior votação do estado do Ceará. Entre 1999 e 2002, foi secretário de obras da prefeitura de Sobral.

Em 2002 foi novamente eleito deputado federal. Exerceu o cargo de vice-líder do Partido Popular Socialista.


Prefeitura[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2004 foi eleito Prefeito Municipal de Sobral, com 53,41% dos votos válidos. Em 2008, já pelo PSB, reelege-se com 73% dos votos válidos.[4]

Ministério[editar | editar código-fonte]

Leônidas Cristino renunciou ao mandato de prefeito para assumir o cargo de Ministro-chefe da Secretaria Nacional dos Portos do Brasil da presidente Dilma Rousseff em 1º de janeiro de 2011 até 3 de outubro de 2013 quando pediu demissão, ao sair do PSB. Em comunicado pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência a presidente Dilma Rousseff elogiou a passagem de Leônidas Cristino no governo e lamenta sua saída. A nota presidencial argumenta que seu mandato de ministro da Secretaria Nacional dos Portos (Brasil):

Volta à Câmara federal[editar | editar código-fonte]

Em 2014, foi eleito deputado federal pelo PROS. Desta vez, ficou em segundo lugar na cidade de Sobral, sendo ultrapassado por Moses Rodrigues[6].

Em 17 de abril de 2016, Leônidas Cristino, já filiado ao PDT, votou contra a abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff.[7][8] Posteriormente, votou contra a PEC do Teto dos Gastos Públicos[8] e contra a Reforma Trabalhista.[8] [9] Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do então Presidente Michel Temer.[8][10]

Referências

  1. Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro, pós 1930. 2ª edição. volume II. Rio de Janeiro; editora da FGV/CPDOC, 2001, página 1716. ISBN 85-225-03442-7
  2. Ministro dos Portos pede demissão
  3. Após saída de Cristino, economista assumirá Secretaria dos Portos interinamente
  4. UOL Eleições 2008
  5. Após saída do PSB, Leônidas Cristino entrega cargo na pasta dos Portos[1]. Terra.com.br. Acesso em 5 de outubro de 2013
  6. «Senador e deputados federais/estaduais eleitos: Apuração e resultado das Eleições 2014 CE (Fonte: TSE) - UOL Eleições 2014». UOL Eleições 2014. Consultado em 9 de março de 2017 
  7. «Deputados autorizam impeachment de Dilma, saiba quem votou a favor e contra». EBC. 17 de abril de 2016. Consultado em 5 de maio de 2016 
  8. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  9. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  10. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Cid Gomes
Prefeito de Sobral
2005 — 2010
Sucedido por
José Clodoveu de Arruda Neto
Precedido por
Pedro Brito
Ministro-chefe da Secretaria Nacional dos Portos do Brasil
2011 — 2013
Sucedido por
Antonio Henrique Pinheiro Silveira
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.