Coreaú

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o rio, veja Rio Coreaú.
Município de Coreaú
"Palma"
Piso da arquitetura interna da igreja matriz de Nossa Senhora da Piedade.

Piso da arquitetura interna da igreja matriz de Nossa Senhora da Piedade.
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Aniversário 24 se setembro
Fundação 1870
Gentílico coreauense
Prefeito(a) Carlos Roner Felix Albuquerque (PSDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Coreaú
Localização de Coreaú no Ceará
Coreaú está localizado em: Brasil
Coreaú
Localização de Coreaú no Brasil
03° 31' 58" S 40° 39' 25" O03° 31' 58" S 40° 39' 25" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Noroeste Cearense IBGE/2008 [1]
Microrregião Coreaú IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Sobral, Moraújo, Frecheirinha, Alcântaras, Tianguá, Mucambo
Distância até a capital 374 km
Características geográficas
Área 775,746 km² [2]
População 22 018 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 28,38 hab./km²
Clima Semi- árido SA
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,591 baixo PNUD/2000 [4]
PIB R$ 63 154,442 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 2 867,53 IBGE/2008[5]
Página oficial

Coreaú é um município brasileiro do estado do Ceará, localizado na microregião de Coreaú, mesorrregião do Noroeste Cearense. Sua população estimada em 2004 era de 21.221 habitantes.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo tem origem no tupi-guarani curia(ave aquática de pequeno porte) mais iu (beber) e significa: Águas dos Curiós, a ceva dos curiás. Sua denominação original era Várzea Grande , depois Palma e desde 1943, Coreaú.[6]

A denominação Coreaú[editar | editar código-fonte]

A denominação Coreaú foi uma reivindicação da sociedade do município e foi oficializada pelo Decreto Estadual nº 1.114, assinado pelo governador Francisco de Meneses Pimentel, em 30 de dezembro de 1943[7][8][9].

História[editar | editar código-fonte]

O atual território de Coreaú situa nas terras nas quais habitaram os índios: Anacé, Tacari-Arariu e Tabajara,[10][11] e a partir do século XVIII com expansão da produção da pecuária do Ceará, surge uma fazenda e ao redor desta um núcleo urbano conhecido como Fazenda Várzea Grande, vinculado a vila de Granja.

É um vale situado entre a Serra da Meruoca e a Serra de Ibiapaba (Serra Grande).

O município tem 4 distritos: Coreaú (sede), Araquém, Aroeiras e Ubaúna.[6]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical quente semiárido com pluviometria média de 1044 mm [12] com chuvas concentradas de janeiro a abril.[13]

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de água são: rio Coreaú e Juazeiro; riacho Trapiá e os açudes: Açude do Diamante, Açude Angicos e açude Trapiá.[14].

Vista da Serra da Penanduba a partir da rodovia CE-240

Relevo e solos[editar | editar código-fonte]

As principais elevações são: serra da Pananduba, serrotes: Arapuá, da Palma, do Sítio, Boqueirão, Pajeú, da Vázea, Comprido; morros: da Chapada; morros: Redondo, das Rolas, São José e Alto Alegre.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Floresta subcaducifólia espinhosa ou mata seca.

Economia[editar | editar código-fonte]

Agricultura: algodão arbóreo e herbáceo, milho, feijão, e mandioca. Pecuária: bovino, suíno e avícola. O município possui cinco indústrias, assim distribuídas: uma de extrativa mineral, duas de produtos alimentares, uma de construção e uma de produtos minerais não metálicos.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Vista da arquitetura frontal da igreja matriz de Nossa Senhora da Piedade

Os principais eventos cívicos, culturais ou religiosos:

Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

No município há a Biblioteca Municipal de Coreaú e de acordo com a lista de bibliotecas do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas está localizada na Avenida Antônio Cristino de Menezes, s/n, CEP: 62160-000[15].

Instituições culturais[editar | editar código-fonte]

  • Banda de Música Lira Palmense
  • Biblioteca Municipal de Coreaú
  • Academia Palmense de Letras – APL
  • Memorial Chagas Leocádio[16]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. a b http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/coreau.pdf
  7. POMBEU SOBRINHO, Tomás. Topônimos indígenas dos séculos 16 a 17 na costa cearense.IN: Revista do Instituto do Ceará: Instituto do Ceará: Fortaleza, volume 69, nº 69, 1946.
  8. SAMPAIO, Teodoro. O Tupi na geografia nacional. Rio de Janeiro: Companhia Editora Nacional, 1987.
  9. BRAGA, Renato. Dicionário geográfico e histórico do Ceará. Fortaleza: Imprensa universitária, 1967
  10. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  11. Aragão, R. B, Índios do Ceará e Topônimios Índigenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994
  12. Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos - FUNCEME.
  13. Instituto nacional de Pesquisa espacial - INPE.
  14. http://www.cprm.gov.br/
  15. Lista de biblioteca públicas do Ceará pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas. SNPB. Acesso em 22 de janeiro de 2017.
  16. [1] Página oficial da prefeitura. Acesso em 05/08/2013
  17. CAVALCANTE, Leonardo Pildas de Menezes. História de Coreaú - 1702-2002. Fortaleza/Sobral. Expressão gráfica e editora ltda, 2003, páginas 415/417, ISBN 85-7563-028-8