Jucás (Ceará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jucás
  Município do Brasil  
Panorama de Jucás, com a Igreja Matriz da cidade ao fundo.
Panorama de Jucás, com a Igreja Matriz da cidade ao fundo.
Símbolos
Bandeira de Jucás
Bandeira
Brasão de armas de Jucás
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Terra do Carmelo"
Gentílico jucaense
Localização
Localização de Jucás no Ceará
Localização de Jucás no Ceará
Mapa de Jucás
Coordenadas 6° 31' 30" S 39° 31' 40" O
País Brasil
Unidade federativa Ceará
Região metropolitana Iguatu
Municípios limítrofes Norte: Acopiara, Sul: Cariús; Leste: Iguatu; Oeste: Saboeiro e Tarrafas
Distância até a capital 407 km
História
Fundação 17 de outubro de 1823 (197 anos)
Administração
Distritos
Prefeito(a) José Edsonriva Souza Cunha (PDT, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 937,180 km²
População total (IBGE/2010[2]) 23 809 hab.
Densidade 25,4 hab./km²
Clima Semiárido
Altitude 246 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 63580-000
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,597 baixo
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 70 272,286 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 2 970,84
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora do Carmo
Sítio http://jucas.ce.gov.br/ (Prefeitura)

Jucás é um município situado na região centro-sul do estado do Ceará, no Brasil. Sua população segundo o censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística era de 23 807 habitantes.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Jucás é uma alusão à palavra ajucá, de origem tupi, podendo significar:

Sua denominação original era São Mateus, depois São Mateus dos Inhamuns e, desde 1943, Jucás.[5]

História[editar | editar código-fonte]

As margens do rio Jucá eram habitadas por diversas etnias Tapuias, dentre elas os Jucá, Quixelô, Quixerariú, Cariús e Candandu e outras[6][7]. Com a definitiva expansão portuguesa no interior do Ceará, a partir da segunda metade do século XVII, essas etnias são aldeadas numa missão. Com os movimentos migratórios colonizadores dos séculos XVII e XVIII, que partiram da Bahia e de Pernambuco e tinham como principal atividade a agricultura e a pecuária, essas terras foram definitivamente ocupadas por fazendeiros, através das sesmarias. A convivência dos fazendeiros com os indígenas nunca foi amena, da mesma forma entre os fazendeiros e os religiosos.

As primeiras manifestações de apoio eclesial provêm da missão indígena, criada por um frade carmelita. Dessa Missão Indígena e a implementação da ocupação, surgiu o núcleo urbano de Jucás, à época São Matheus. A mudança do nome ocorreu não por vontade do povo e sim por iniciativa própria do Interventor estadual Francisco Menezes Pimentel.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical quente semiárido com pluviometria média de 586 milímetros[8] com chuvas concentradas de janeiro a abril[9].

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

Jucás está situada à margem esquerda do Rio Jaguaribe. As principais fontes de água fazem parte da bacia do Alto Jaguaribe, sendo elas os riachos da Seda, do Eusébio, Viúva do Godo, Suassurana e Ererê (divisa com Acopiara) e outros tantos. O açude de grande porte localiza-se no norte do município, o Açude Trussu.[10][11]

Relevo e solo[editar | editar código-fonte]

O relevo faz parte Depressão Sertaneja, com leves acidentes geográficos, com destaque para algumas pequenas cadeias montanhosa (maciços residuais em pequena serra) ao noroeste: Serra da Mata e da Estrela. Relevo Cenozoico, com solos litólicos e podzólicos. A altitude situa-se entre 200 e 500 metros acima do nível do mar, com exceção da pequena porção a noroeste, na qual os valores ultrapassam os 700 metros.[12][12]

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação predominante é caatinga arbustiva densa e a caatinga arbórea (floresta caducifólia espinhosa).[10]

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

O município é dividido em seis distritos:

  • Jucás (sede);
  • Baixio da Donana;
  • Canafístula;
  • Vila Mel;
  • Poço Grande;
  • São Pedro do Norte.[13]

Aspectos socioeconômicos[editar | editar código-fonte]

A maior concentração populacional encontra-se na zona rural. A sede do município dispõe de abastecimento de água, fornecimento de energia elétrica, serviço telefônico, agência de correios e telégrafos, serviço bancário, hospitais, hotéis e ensino de primeiro e segundo graus.

A economia local é baseada na agricultura (algodão arbóreo e herbáceo, banana, milho, feijão e arroz); e na pecuária (bovinos, suínos e avícola).

O turismo religioso também é uma das fontes de renda. A festa da padroeira Nossa Senhora do Carmo reúne no município cerca de 15 mil pessoas ao longo do evento. O mês de Julho, caracterizado pela realização da festa, é o segundo mais lucrativo do município, perdendo apenas para o mês Janeiro em arrecadação de impostos para o município.[14]

Datas comemorativas[editar | editar código-fonte]

Política[editar | editar código-fonte]

A administração municipal localiza-se na sede, Jucás.[13]

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. [1]
  6. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  7. Aragão, R. B, Índios do Ceará e Topônimios Indígenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994
  8. Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos - FUNCEME.
  9. Instituto nacional de Pesquisa espacial - INPE.
  10. a b http://www.cprm.gov.br/
  11. «SIRH/Ce - Sistema de Informações dos Recursos Hídricos do Ceará». Consultado em 2 de Abril de 2010 
  12. a b «Ceará em Mapas - 1.2.3 Hipsometria». Consultado em 2 de Abril de 2010 
  13. a b http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/.pdf[ligação inativa]
  14. «Catolicismo Popular: a influência da religiosidade no município Jucás - CE com a festa de Nossa Senhora do Carmo (1755 – 2011)» (PDF). Anais do Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação, 2013. Consultado em 19 de junho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]