Russas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Russas
"Capital do Vale do Jaguaribe"
Bandeira de Russas
Brasão de Russas
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1801
Gentílico russano
Prefeito(a) Raimundo Weber de Araujo (PRB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Russas
Localização de Russas no Ceará
Russas está localizado em: Brasil
Russas
Localização de Russas no Brasil
04° 56' 24" S 37° 58' 33" O04° 56' 24" S 37° 58' 33" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Jaguaribe IBGE/2008[1]
Microrregião Baixo Jaguaribe IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Beberibe, Palhano, Jaguaruana, Quixeré, Limoeiro do Norte e Morada Nova
Distância até a capital 165 km
Características geográficas
Área 1 591,281 km² [2]
População 74,243 hab. IBGE/2014[3]
Densidade 0,05 hab./km²
Altitude 20 m
Clima Semiárido brando Bsh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,674 (CE: 12º) – médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 555 646,000 mil IBGE/2010[5]
PIB per capita R$ 7 950,00 IBGE/2010[5]
Página oficial

Russas é um município brasileiro do estado do Ceará. Está localizado na mesorregião do Jaguaribe, na microrregião do Baixo Jaguaribe. É conhecida como a "Capital do Vale do Jaguaribe", "Terra da Laranja" e "Terra de Dom Lino". Russas é referencial político-administrativo como sede da AmuVale (Associação dos Municípios do Vale do Jaguaribe), sede do 1º Batalhão de Policia Militar, e de órgãos federais como Polícia Rodoviária Federal, Receita Federal, Previdência Social, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, DETRAN, DNIT, Campus da Universidade Federal do Ceará no Vale do Jaguaribe, subestação da CHESF e também da 10a Zona Eleitoral, CREDE 10, IPEC, Célula de Saúde Estadual. O Município de Russas é um Pólo econômico com o crescente desenvolvimento de seus serviços, de expansão de suas indústrias e do agronegócio.


Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Russas tem sido alvo de notável debate entre os principais estudiosos do Ceará. Podendo ter sido originado pela:

  • Cor das éguas de um velho fazendeiro chamado Zacarias do Pedro Ribeiro nos primeiros anos do povoamento, que possuía cobiçadas e vistosas éguas de cor ruça. Os animais se destacavam pela uniformidade de sua cor encarnada, sendo batizadas de éguas russas (embranquecidas). Está é a versão mais popular.
  • Existência local de algumas pedras brancas de granito, com partes pintadas de tinta vermelha. Vistas de longe, se assemelham às éguas russas. Está é a versão segundo pesquisadores da História.
  • Reminiscência sentimental de alguma família pernambucana que se estabeleceu nesta zona e teria dado ao local o nome da sua terra de origem, uma serra com o mesmo nome, localizada no nordeste de Pernambuco.

Originalmente chamou-se Santo Antônio do Ouvidor, depois Sítio Igreja das Russas, São Bernardo do Governador, São Bernardo de Russas e desde 1938, Russas[6] .

História[editar | editar código-fonte]

Russas é uma das únicas cidades do sertão brasileiro que originou-se de fortificação militar[6] . Localiza-se dentro do então território dos índios Potiguara, Paiacu, Tapairiu, Panati, Ico, Ariu[7] . A região começou a ser colonizada por Portugueses e seus descendentes oriundos da Bahia e Pernambuco em meados de 1690,[6] [8] .

No século XVII os índios da região fizeram grande resistência à invasão dos portugueses e suas iniciativas econômicas. Era a chamada Guerra dos Bárbaros. Diante deste cenário é construído em 1701, a primeira fortificação militar no sertão cearense, o Forte Real de São Francisco Xavier da Ribeira do Jaguaribe.[6] Este núcleo militar, que segurava 150 currais de gado, demarcou oficialmente o início da povoação europeia em Russas. Depois a localidade consolidou-se como entreposto dos vaqueiros que traziam gado do interior para negociar no porto de Aracati, na época do ciclo da carne de charque. Esses e outros visitantes que passavam pela cidade viam de longe pedras de cor ruça e criaram o a expressão terra das pedras ruças ou terra das éguas ruças.

A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário começou a ser construída em 1707, por doação de sesmaria, sendo o templo mais antigo construído no estado. O rei de Portugal encarregou da definição do terreno o desembargador Cristóvão Soares Reimão. Este demarcou as terras perto do antigo Forte que sucumbiu ao tempo e aos ataques do bravio índio jaguaribano, que apesar de aguerrido, foi sumariamente desaparecendo ou sendo assimilado nas fazendas de criar.

Desde o século XVIII a população da ribeira do jaguaribe aspirava por autonomia política. A 15 de junho de 1801, o governador da Capitania do Ceará, Bernardo Manuel de Vasconcelos, ordenou ao ouvidor Manuel Leocádio Rademaker que transformasse em vila a povoação de Sítio Igreja das Russas, que ficou conhecida como São Bernardo das Russas. A vila foi instalada em 6 de agosto daquele ano. A cidade teve, contudo, a primeira oportunidade de ser elevada à vila em 1766, durante o governo do ministro português Sebastião José de Carvalho e Melo, o Marquês de Pombal[9] .

A cidade logo se tornou o centro para onde convergia toda região jaguaribana. Assim foi primeiramente o núcleo militar com a Fortaleza de São Francisco Xavier que protegia 150 currais(ou fazendas), centro religioso (com a construção da Matriz de Nossa Senhora do Rosário de Russas e criação da freguesia). Depois centro econômico (com intenso comércio), político e administrativo cujo território englobaria atualmente cerca de 17 cidades das cercanias.

Lista dos prefeitos de Russas por ordem cronológica[editar | editar código-fonte]

1º - Prefeito - Francisco Ferreira de Araújo Lima, permaneceu no cargo apenas por dois anos, de 1916 a 1918.

2º - Prefeito - Felipe José de Santiago Lima, permaneceu no cargo apenas por dois anos, de 1919 a 1921. Sendo o último da série de Prefeitos nomeados.

3º - Prefeito - Dr. José Ramalho de Alarcon e Santiago, assumiu o cargo em 1921 e permaneceu até 1929, como resultado da primeira eleição por sufrágio direto.

4º - Prefeito - João Maciel Pereira, de 1929 a 1930.

5º - Prefeito - Manuel Matoso Filho, de 1937 a 1944.

6º - Prefeito - João de Deus, de 15 de março de 1947 a 15 de março de 1951.

7º - Prefeito - Raimundo Maciel Pereira, de 1951 a 1955.

8º - Prefeito - Dr. Eliseu Ferreira Lima, de 25 de março de 1955 a 25 de março de 1959.

9º - Prefeito - Gerardo Matoso de Oliveira, de 25 de março de 1959 a 25 de março de 1963.

10º - Prefeito - João de Deus, (segundo mandato) de 25 de março de 1963 a 25 de março de 1967.

11º - Prefeito - Dr. José Martins de Santiago, de 25 de março de 1967 a 25 de março de 1971.

12º - Prefeito - Pedro Maia Rocha, de 25 de março de 1971 a 31 de março de 1973.

13º - Prefeito - Aurino Estácio de Sousa, de 31 de janeiro de 1973 a 31 de janeiro de 1977.

14º - Prefeito - Dr. José Martins de Santiago, de 31 de janeiro de 1977 a 31 de janeiro de 1982.

15º - Prefeito - Dr. Francisco Bezerra Nunes, de 1 de fevereiro de 1983 a 31 de dezembro de 1988.

16° - Prefeito - Dr. Zilzo Leandro Evangelista, de janeiro de 1989 a dezembro de 1992.

17º - Prefeito - Francisco Agaci Fernandes da Silva, de 1 de janeiro de 1993 a 31 de dezembro de 1996.

18° - Prefeito - Raimundo Weber de Araújo, de 1 de janeiro de 1997 a 31 de dezembro de 2004.

19º - Prefeito - Raimundo Cordeiro de Freitas, de 1 de janeiro de 2005 a 31 de dezembro de 2012.

20º - Prefeito - Raimundo Weber de Araújo, de 1 de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2016.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical semiárido com pluviometria média de 824 mm com chuvas concentradas de janeiro a maio.

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Russas Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 33,4 32,5 31,2 31,6 31,4 31,3 31,8 32,9 33,5 33,8 33,9 33,6 32,6
Temperatura média (°C) 28,4 27,8 27,2 27,4 27,1 26,6 26,6 27,2 27,7 28,1 28,5 28,3 27,6
Temperatura mínima média (°C) 23,4 23,2 23,3 23,2 22,8 22 21,5 21,5 22 22,5 23,1 23,1 22,6
Precipitação (mm) 70 102 222 210 121 53 24 4 2 0 2 14 824
Fonte: Climate Data.[10]

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de água são o Rio Jaguaribe, os riachos de Araibu e Umburanas, o Córrego da Bananeira, a Lagoa da Caiçara e os açudes da Altamira, do Santo Antônio e das Melancias.

Relevo e solos[editar | editar código-fonte]

As terras de Russas são de várzea e não possuem grandes elevações, sendo as principais elevações os serrotes de Verde e da Serraria, na divisa com Morada Nova.[carece de fontes?]

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Composta por caatinga arbustiva aberta, floresta caducifólia espinhosa e mata ciliar com predomínio da carnaúba[carece de fontes?].

Localização[editar | editar código-fonte]

O centro histórico da cidade de Russas está situado geograficamente entre o Riacho Araibu, que é um afluente do Rio Jaguaribe, e a Lagoa da Caiçara.

Russas sempre foi ponto estratégico para o transporte de pessoas e mercadorias. Isso ocorreu inicialmente pela cidade ser afluente do Rio Jaguaribe. Também por ter no passado a Estrada Real do Jaguaribe no período colonial, depois estrada Transnordestina e hoje a BR 116 ou Rodovia Santos Dumont.

Economia[editar | editar código-fonte]

Favorecida pelo fértil solo do Vale do Jaguaribe, Russas foi primeiramente palco do ciclo do gado, depois da cultura do algodão, posteriormente da extração da carnaúba e mais tarde do cultivo da laranja. Esta última lhe rendeu o título de "Terra da Laranja Doce", pois se criou uma verdadeira marca para a laranja da região, a "Laranja de Russas" nacionalmente conhecida[carece de fontes?]. Atualmente, além da laranja, há cultivo de melancia, banana, goiaba, uva, dentre outras frutas para exportação. Na fruticultura local ocorreu um salto quantitativo e qualitativo com a expansão do Perímetro Irrigado Tabuleiro de Russas, um dos maiores do país.

Agricultura[editar | editar código-fonte]

Na área da agricultura, o Projeto Irrigado Chapadão de Russas foi criado para potencializar a economia e torná-la uma das mais prósperas do Nordeste. É o maior projeto irrigado do nordeste juntamente com perímetro irrigado do vale do São Francisco. O projeto tabuleiro de Russas possui 20 mil hectares de área irrigável.O Perímetro Irrigado Tabuleiros de Russas está localizado nos municípios de Russas, Limoeiro do Norte e Morada Nova, mais precisamente no baixo vale do Jaguaribe, na chamada zona de Transição Norte dosTabuleiros de Russas. A área é constituída por uma faixa contínua de terras agricultáveis ao longo da margem esquerda do Rio Jaguaribe, entre a cidade de Russas e a confluência do rio Banabuiú, região nordeste do Estado do Ceará. São as seguintes, as suas coordenadas geográficas: latitude Sul 5o 37‟ 20”, longitude Oeste 38o 07‟ 08” e altitude de 81,50 m acima do nível do mar. O acesso ao perímetro se dá pela BR-116, que margeia o limite leste da área e segue, paralela ao Rio Jaguaribe, alcançando a cidade de Russas e Limoeiro do Norte. A distância rodoviária do Perímetro Irrigado Tabuleiros de Russas: Porto do Pecém 210 km, Fortaleza 160 km; Recife 642 km; Salvador 1.197 km; Brasília 2.811 km, Rio de Janeiro 2.651 km e São Paulo 2.902 km. Juntamente com o Perímetro de Irrigação Baixo Acaraú, é um dos perímetros públicos irrigados mais modernos do País, ainda em processo de formação [carece de fontes?].

Minas[editar | editar código-fonte]

Em suas terras registram-se a ocorrência dos minérios berilo, da mica, da ambligonita, do espodumênio, da petalita, do feldspato, da biotita, da pirolusita e da moscovita[carece de fontes?].

Indústria[editar | editar código-fonte]

Em Russas localizam-se cerca de uma centena de indústrias, das áreas de alimentos, gráficos, ceramistas, calçados, paramentos funerários, produtos de higiene, artesanato[carece de fontes?].

A indústria da cerâmica (tijolos e telhas) e de calçados tem forte presença no município, a exemplo da Dakota Calçados.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Atrativos históricos/arquitetônicos urbanos

  • Monumento Obelisco (localizado na Praça Monsenhor João Luís)
  • Coluna da Hora e Cristo Redentor
  • Igreja Matriz da Nossa Senhora do Rosário de Russas (iniciada em 1707)
  • Igreja Presbiteriana de Russas (inaugurada em 1944)
  • Museu Padre Júlio Maria (Colégio Unecim)
  • Centro Cultural Padre Pedro de Alcântara
  • Praça da Carnaúba/Estudante (atual Praça Carlos Matos)
  • Casa Gondim/Centro histórico da cidade (atualmente Farmácia Galeno)
  • Mercado Público José Martins de Santiago
  • Antiga Cadeia Pública e Câmara Municipal/Fórum
  • Sede do 1º Batalhão Militar (Quartel da PM)
  • Igreja de São Francisco/Col. Estadual
  • Igreja São Sebastião e busto de Dom Lino Deodato
  • Casarão e Farmácia Ramalho
  • Mosteiro dos Jesuítas
  • Santuário de Nossa Senhora de Fátima
  • Igreja de São Bento (Planalto da Bela Vista)
  • Associação Atlética e Cultural de Russas - AACR
  • Casa Paroquial
  • Residência do Padre Edvaldo (com influência da arquitetura italiana moderna)
  • Ponte Gov. Virgílio Távora
  • Auditório Lino Gonçalves (Colégio UNECIM)
  • Residência das Irmãs Cordimarianas
  • Biblioteca Municipal Pedro Maia Rocha (Biblioteca Pólo do Governo do Estado do Ceará).

Atrativos naturais

  • Ilhota, no Rio Jaguaribe, onde foi rodado cenas do filme "Doce de Côco"
  • Bancos de areia
  • Balneário das Bombas
  • Banho do Pedro Ribeiro
  • Açude de Santo Antônio de Russas, próprio para mergulho
  • Pedras do Sítio de Baixo/Cipó
  • Riacho Araibu
  • Lagoa da Caiçara (Izodi)

Política[editar | editar código-fonte]

A administração municipal localiza-se no centro da cidade onde funciona a Câmara Municipal juntamente com a Prefeitura. O Fórum e outras instituição jurídicas, além do Quartel e Delegacia Civil também funcionam na sede.

Russas mantém relações antigas e amigáveis com municípios da região como, Jaguaruana, Limoeiro do Norte, Morada Nova, Palhano e Quixeré) além de pólos regionais como Aracati, Canindé, Icó, Iguatu, Quixadá, Quixeramobim, e ainda com Baraúna e Mossoró no estado vizinho do Rio Grande do Norte, RN[carece de fontes?].

A grande maioria dos russanos se envolveram ativamente nos assuntos políticos da cidade[carece de fontes?].

Em recente Pesquisa Ibope para as eleições municipais de 2012, foi perguntado qual o interesse do eleitor nas eleições. Segundo o resultado 44% do eleitores tinham muito interesse nas eleições para prefeito da cidade, 26% tinha interesse médio e 22% pouco interesse.[11]

Subregiões[editar | editar código-fonte]

O município de Russas está dividido em seis distritos, sendo eles Russas (Sede), Bonhu, Flores, Lagoa Grande, Peixe e São João de Deus.

O município também possui localidades como Timbaúba, São João de Deus, Jardim de São José, Gracismões, Lagoa dos Cavalos, Santa Teresinha, Sítio de Baixo, Carpina e Passagem de Russas.

Comunicação e Imprensa[editar | editar código-fonte]

Dentre os meio de comunicação de Russas, destaca-se o jornal Correio de Russas, cujo primeiro número circulou na cidade em 1941.[12] .

Russas é a sede da Rádio Araibu FM (104.9) e Rádio Progresso de Russas. [13]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Tal como a cidade de Curitiba - PR, Russas integra seus filhos desejosos de preservar a cultura regional numa academia de cultura, para isso contando com a Academia Russana de Cultura e Arte - ARCA. Dentre as várias manifestações populares, as tradicionais congadas, as cavalhadas, o carnaval cultural de rua (pioneiro na região) e do bumba-meu-boi dos quais se destacaram no âmbito estadual o Boi Pai do Campo e o Bumba-meu-boi Russano da localidade rural de São João de Deus. Um fato marcante da vida social e cultural da cidade é a presença de várias bandas e grupos musicais que animam as principais festividades da região. A Banda Municipal Maestro Orlando Leite é considerada uma das melhores bandas de músicas do estado do Ceará[carece de fontes?]. Ainda no âmbito da música, a cidade abriga conjuntos de forró, chorinho, MPB, pagode, axé, pop, rock, dentre outros. Nos últimos anos Russas tem se destacado também no cinema com a criação do CINEJAGUAR e a produção de películas como Paquerrete e Doce de Côco, esse último premiado em vários festivais por todo o mundo. Russas se tornou sede do Festival Brasileiro de Cinema do Vale do Jaguaribe.

No âmbito do ensino superior, o Campus da UFC, já tem um impacto considerável na dinâmica social local com a oferta de 5 cursos de graduação: Engenharia de Software, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica e Ciência da Computação[14] .

Principais eventos culturais[editar | editar código-fonte]

  • Semana do Município - SEMUR - aniversário de emancipação política em 6 de agosto de 1801
  • Festa da Padroeira - Nossa Senhora do Rosário - 7 de outubro
  • Festa de São Sebastião e da Libertação dos Escravos em Russas - segunda quinzena de janeiro
  • Festa do Radialista
  • Festa do Reencontro
  • Russas Folia - micareta (atualmente Russas FEST)
  • Festival Junino de Quadrilhas do Vale do Jaguaribe
  • Festa de Timbauba de Nossa Senhora das Dores
  • Semana Espírita de Russas - terceira semana de novembro
  • Encontro Cultural Russano
  • Festival do Beija-Flor
  • Semana da Consciência Negra
  • Festival de Teatro do Vale do Jaguaribe - FESTVALE
  • Marcha para Jesus
  • Vinde e Vede - evento da Renovação Carismática Católica de Russas
  • Semana de Inclusão Digital - realizada pelo Projeto Ação Digital - PAD

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking IDH-M Ceará Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 09 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 9 set. 2013.
  6. a b c d http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/russas.pdf
  7. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  8. http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_cartografia/cart233513.jpg
  9. Padre Pedro de Alcântara. Capital e Santuário - Miragens Russano Nordestinas. 1a ed. Russas: IOCE, 1986.
  10. Clima: Russas Climate Data. Visitado em 17 de outubro de 2014.
  11. http://blogs.diariodonordeste.com.br/valedojaguaribe/eleicoes-2012/eleicoes-2012-weber-lidera-em-russas-segundo-ibope/
  12. http://jornalcorreioderussas.blogspot.com/
  13. http://www.araibufm.com/
  14. [1].

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. Redirecionamento Predefinição:Cidades históricas do Brasil Colônia