Russas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelos naturais do país eslavo, veja russos.
Município de Russas
"Capital do Vale do Jaguaribe"
Igreja matriz e Praça Monsenhor João Luiz de Russas

Igreja matriz e Praça Monsenhor João Luiz de Russas
Bandeira de Russas
Brasão indisponível
Bandeira Brasão indisponível
Hino
Aniversário 6 de Agosto
Fundação 6 de Agosto de 1801
Gentílico russano
Prefeito(a) Raimundo Weber de Araujo (PRB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Russas
Localização de Russas no Ceará
Russas está localizado em: Brasil
Russas
Localização de Russas no Brasil
04° 56' 24" S 37° 58' 33" O04° 56' 24" S 37° 58' 33" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Jaguaribe IBGE/2008[1]
Microrregião Baixo Jaguaribe IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Beberibe, Palhano, Jaguaruana, Quixeré, Limoeiro do Norte e Morada Nova
Distância até a capital 165 km
Características geográficas
Área 1 591,281 km² [2]
População 75 762 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 47,61 hab./km²
Altitude 20 m
Clima Semiárido brando Bsh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,674 (CE: 12º) – médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 771 205,000 mil IBGE/2010[5]
PIB per capita R$ 10 501,0 IBGE/2013[5]

Russas é um município brasileiro do estado do Ceará. Está localizado na mesorregião do Jaguaribe, na microrregião do Baixo Jaguaribe. É conhecida como a "Terra da Laranja","Terra de Dom Lino" e "Capital do Vale". Russas é referencial político-administrativo como sede da AmuVale (Associação dos Municípios do Vale do Jaguaribe), sede do 1º Batalhão de Policia Militar, e de órgãos federais como Polícia Rodoviária Federal, Receita Federal, Previdência Social, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, DETRAN, DNIT, Campus da Universidade Federal do Ceará , subestação da CHESF e também da 9ª Zona Eleitoral, 4ª Zona Judiciária, CREDE 10, IPEC, Célula de Saúde Estadual. O Município de Russas é um Pólo econômico com o crescente desenvolvimento de seus serviços, de expansão de suas indústrias e do agronegócio.


Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Russas tem sido alvo de notável debate entre os principais estudiosos do Ceará. Podendo ter sido originado pela:

  • Cor das éguas de um velho fazendeiro chamado Zacarias do Pedro Ribeiro nos primeiros anos do povoamento, que possuía cobiçadas e vistosas éguas de cor ruça. Os animais se destacavam pela uniformidade de sua cor encarnada, sendo batizadas de éguas russas (embranquecidas). Esta é a versão mais popular.
  • Existência local de algumas pedras brancas de granito, com partes pintadas de tinta vermelha. Vistas de longe, se assemelham às éguas russas. Esta é a versão segundo pesquisadores da História.

Originalmente chamou-se Santo Antônio do Ouvidor, depois Sítio Igreja das Russas, São Bernardo do Governador, São Bernardo de Russas e desde 1938, Russas.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Russas é uma das únicas cidades do sertão brasileiro que originou-se de fortificação militar.[6] Localiza-se dentro do então território dos índios Potiguara, Paiacu, Tapairiu, Panati, Ico, Ariu.[7] A região começou a ser colonizada por Portugueses e seus descendentes oriundos da Bahia e Pernambuco em meados de 1690.[6][8]

No século XVII os índios da região fizeram grande resistência à invasão dos portugueses e suas iniciativas econômicas. Era a chamada Guerra dos Bárbaros. Diante deste cenário é construído em 1701, a primeira fortificação militar no sertão cearense, o Forte Real de São Francisco Xavier da Ribeira do Jaguaribe.[6] Este núcleo militar, que segurava 150 currais de gado, demarcou oficialmente o início da povoação europeia em Russas. Depois a localidade consolidou-se como entreposto dos vaqueiros que traziam gado do interior para negociar no porto de Aracati, na época do ciclo da carne de charque. Esses e outros visitantes que passavam pela cidade viam de longe pedras de cor ruça e criaram o a expressão terra das pedras ruças ou terra das éguas ruças.

A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário começou a ser construída em 1707, por doação de sesmaria, sendo o templo mais antigo construído no estado. O rei de Portugal encarregou da definição do terreno o desembargador Cristóvão Soares Reimão. Este demarcou as terras perto do antigo Forte que sucumbiu ao tempo e aos ataques do bravio índio jaguaribano, que apesar de aguerrido, foi sumariamente desaparecendo ou sendo assimilado nas fazendas de criar.

Desde o século XVIII a população da ribeira do jaguaribe aspirava por autonomia política. A 15 de junho de 1801, o governador da Capitania do Ceará, Bernardo Manuel de Vasconcelos, ordenou ao ouvidor Manuel Leocádio Rademaker que transformasse em vila a povoação de Sítio Igreja das Russas, que ficou conhecida como São Bernardo das Russas. A vila foi instalada em 6 de agosto daquele ano. A cidade teve, contudo, a primeira oportunidade de ser elevada à vila em 1766, durante o governo do ministro português Sebastião José de Carvalho e Melo, o Marquês de Pombal.[9]

A cidade logo se tornou o centro para onde convergia toda região jaguaribana. Assim foi primeiramente o núcleo militar com a Fortaleza de São Francisco Xavier que protegia 150 currais(ou fazendas), centro religioso (com a construção da Matriz de Nossa Senhora do Rosário de Russas e criação da freguesia). Depois centro econômico (com intenso comércio), político e administrativo cujo território englobaria atualmente cerca de 17 cidades das cercanias.

Lista dos prefeitos de Russas por ordem cronológica[editar | editar código-fonte]

1º - Prefeito - Francisco Ferreira de Araújo Lima, permaneceu no cargo apenas por dois anos, de 1916 a 1918.

2º - Prefeito - Felipe José de Santiago Lima, permaneceu no cargo apenas por dois anos, de 1919 a 1921. Sendo o último da série de Prefeitos nomeados.

3º - Prefeito - José Ramalho de Alarcon e Santiago, assumiu o cargo em 1921 e permaneceu até 1929, como resultado da primeira eleição por sufrágio direto.

4º - Prefeito - João Maciel Pereira, de 1929 a 1930.

5º - Prefeito - Manuel Matoso Filho, de 1937 a 1944.

6º - Prefeito - João de Deus, de 15 de março de 1947 a 15 de março de 1951.

7º - Prefeito - Raimundo Maciel Pereira, de 1951 a 1955.

8º - Prefeito - Eliseu Ferreira Lima, de 25 de março de 1955 a 25 de março de 1959.

9º - Prefeito - Gerardo Matoso de Oliveira, de 25 de março de 1959 a 25 de março de 1963.

10º - Prefeito - João de Deus, (segundo mandato) de 25 de março de 1963 a 25 de março de 1967.

11º - Prefeito - José Martins de Santiago, de 25 de março de 1967 a 25 de março de 1971.

12º - Prefeito - Pedro Maia Rocha, de 25 de março de 1971 a 31 de março de 1973.

13º - Prefeito - Aurino Estácio de Sousa, de 31 de janeiro de 1973 a 31 de janeiro de 1977.

14º - Prefeito - José Martins de Santiago, de 31 de janeiro de 1977 a 31 de janeiro de 1982.

15º - Prefeito - Zilzo Leandro Evangelista, de 1 de fevereiro de 1983 a 31 de dezembro de 1988.

16° - Prefeito - Francisco de Assis Bezerra Nunes, de janeiro de 1989 a dezembro de 1992.

17º - Prefeito - Francisco Agaci Fernandes da Silva, de 1 de janeiro de 1993 a 31 de dezembro de 1996.

18° - Prefeito - Raimundo Weber de Araújo, de 1 de janeiro de 1997 a 31 de dezembro de 2004.

19º - Prefeito - Raimundo Cordeiro de Freitas, de 1 de janeiro de 2005 a 31 de dezembro de 2012.

20º - Prefeito - Raimundo Weber de Araújo, de 1 de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2020.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical semiárido com pluviometria média de 824 mm com chuvas concentradas de janeiro a maio.

Dados climatológicos para Russas
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 33,4 32,5 31,2 31,6 31,4 31,3 31,8 32,9 33,5 33,8 33,9 33,6 32,6
Temperatura média (°C) 28,4 27,8 27,2 27,4 27,1 26,6 26,6 27,2 27,7 28,1 28,5 28,3 27,6
Temperatura mínima média (°C) 23,4 23,2 23,3 23,2 22,8 22 21,5 21,5 22 22,5 23,1 23,1 22,6
Precipitação (mm) 70 102 222 210 121 53 24 4 2 0 2 14 824
Fonte: Climate Data.[10]

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de água são o Rio Jaguaribe, os riachos de Araibu e Umburanas, o Córrego da Bananeira, a Lagoa da Caiçara, lagoa do Toco, Lagoa do Torão e os açudes da Altamira, do Santo Antônio e das Melancias.

Relevo e solos[editar | editar código-fonte]

As terras de Russas são de várzea e não possuem grandes elevações, sendo as principais elevações os serrotes de Verde e da Serraria, na divisa com Morada Nova .[carece de fontes?]

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Composta por caatinga arbustiva aberta, floresta caducifólia espinhosa e mata ciliar com predomínio da carnaúba[carece de fontes?].

Localização[editar | editar código-fonte]

O centro histórico da cidade de Russas está situado geograficamente entre o Riacho Araibu, que é um afluente do Rio Jaguaribe, e a Lagoa da Caiçara.

Russas sempre foi ponto estratégico para o transporte de pessoas e mercadorias. Isso ocorreu inicialmente pela cidade ser afluente do Rio Jaguaribe. Também por ter no passado a Estrada Real do Jaguaribe no período colonial, depois estrada Transnordestina e hoje a BR 116 ou Rodovia Santos Dumont.

Economia[editar | editar código-fonte]

Favorecida pelo fértil solo do Vale do Jaguaribe, Russas foi primeiramente palco do ciclo do gado, depois da cultura do algodão, posteriormente da extração da carnaúba e mais tarde do cultivo da laranja. Esta última lhe rendeu o título de "Terra da Laranja Doce", pois se criou uma verdadeira marca para a laranja da região, a "Laranja de Russas" nacionalmente conhecida[carece de fontes?]. Atualmente, além da laranja, há cultivo de melancia, banana, goiaba, uva, dentre outras frutas para exportação. Na fruticultura local ocorreu um salto quantitativo e qualitativo com a expansão do Perímetro Irrigado Tabuleiro de Russas, um dos maiores do país. O comércio também é grande impulsionador da economia local, a presença de órgãos administrativos do governo federal (RF, PRF, DNIT, INSS) e estadual (DETRAN, SEFAZ, CREDE 10) fazem de Russas centro comercial e econômico para a região jaguaribana o que a levou ao apelido de "Capital do Vale".

Agricultura[editar | editar código-fonte]

Na área da agricultura, o Projeto Irrigado Chapadão de Russas foi criado para potencializar a economia e torná-la uma das mais prósperas do Nordeste. É o maior projeto irrigado do nordeste juntamente com perímetro irrigado do vale do São Francisco. O projeto tabuleiro de Russas possui 20 mil hectares de área irrigável.O Perímetro Irrigado Tabuleiros de Russas está localizado nos municípios de Russas, Limoeiro do Norte e Morada Nova, mais precisamente no baixo vale do Jaguaribe, na chamada zona de Transição Norte dos Tabuleiros de Russas. A área é constituída por uma faixa contínua de terras agricultáveis ao longo da margem esquerda do Rio Jaguaribe, entre a cidade de Russas e a confluência do rio Banabuiú, região nordeste do Estado do Ceará. São as seguintes, as suas coordenadas geográficas: latitude Sul 5o 37‟ 20”, longitude Oeste 38o 07‟ 08” e altitude de 81,50 m acima do nível do mar. O acesso ao perímetro se dá pela BR-116, que margeia o limite leste da área e segue, paralela ao Rio Jaguaribe, alcançando a cidade de Russas e Limoeiro do Norte. A distância rodoviária do Perímetro Irrigado Tabuleiros de Russas: Porto do Pecém 210 km, Fortaleza 160 km; Recife 642 km; Salvador 1.197 km; Brasília 2.811 km, Rio de Janeiro 2.651 km e São Paulo 2.902 km. Juntamente com o Perímetro de Irrigação Baixo Acaraú, é um dos perímetros públicos irrigados mais modernos do País, ainda em processo de formação [carece de fontes?].

Minas[editar | editar código-fonte]

Em suas terras registram-se a ocorrência dos minérios berilo, da mica, da ambligonita, do espodumênio, da petalita, do feldspato, da biotita, da pirolusita e da moscovita[carece de fontes?].

Indústria[editar | editar código-fonte]

Em Russas localizam-se cerca de uma centena de indústrias, das áreas de alimentos, gráficos, ceramistas, calçados, paramentos funerários, produtos de higiene, artesanato[carece de fontes?].

A indústria da cerâmica (tijolos e telhas) e de calçados tem forte presença no município, a exemplo da Dakota Calçados.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Atrativos históricos/arquitetônicos urbanos

  • Igreja Assembleia de Deus Templo Central (iniciada em 1971)
  • Monumento aos pracinhas da FEB ( força expedicionária brasileira)
  • Monumento Obelisco (localizado na Praça Monsenhor João Luís)
  • Igreja Fonte Missionária do Brasil (inaugurada em 1999)
  • Coluna da Hora e Cristo Redentor
  • Igreja Matriz da Nossa Senhora do Rosário de Russas (iniciada em 1707)
  • Igreja Presbiteriana de Russas (inaugurada em 1944)
  • Museu Padre Júlio Maria (Colégio Unecim)
  • Centro Cultural Padre Pedro de Alcântara
  • Praça da Carnaúba/Estudante (atual Praça Carlos Matos)
  • Casa Gondim/Centro histórico da cidade (atualmente Farmácia Galeno)
  • Mercado Público José Martins de Santiago
  • Antiga Cadeia Pública e Câmara Municipal/Fórum
  • Sede do 1º Batalhão Militar (Quartel da PM)
  • Igreja de São Francisco/Col. Estadual
  • Igreja São Sebastião e busto de Dom Lino Deodato
  • Casarão e Farmácia Ramalho
  • Mosteiro dos Jesuítas
  • Santuário de Nossa Senhora de Fátima
  • Igreja de São Bento (Planalto da Bela Vista)
  • Associação Atlética e Cultural de Russas - AACR
  • Casa Paroquial
  • Residência do Padre Edvaldo (com influência da arquitetura italiana moderna)
  • Ponte Gov. Virgílio Távora
  • Auditório Lino Gonçalves (Colégio UNECIM)
  • Residência das Irmãs Cordimarianas
  • Biblioteca Municipal Pedro Maia Rocha (Biblioteca Pólo do Governo do Estado do Ceará).

Atrativos naturais

  • Ilhota, no Rio Jaguaribe, onde foi rodado cenas do filme "Doce de Côco"
  • Bancos de areia
  • Balneário das Bombas
  • Banho do Pedro Ribeiro
  • Açude de Santo Antônio de Russas, próprio para mergulho
  • Pedras do Sítio de Baixo/Cipó
  • Riacho Araibu
  • Lagoa da Caiçara
  • Trilha ecológica da caiçara (APP)
  • Riacho Araibú
  • Serrote da Tapera
  • Buqueirão do cesário
  • Serra do Vieira

Política[editar | editar código-fonte]

A administração municipal localiza-se no centro da cidade onde funciona a Câmara Municipal juntamente com a Prefeitura. O Fórum e outras instituição jurídicas, além do Quartel e Delegacia Civil também funcionam na sede.

Russas mantém relações antigas e amigáveis com municípios da região como, Jaguaruana, Limoeiro do Norte, Morada Nova, Palhano e Quixeré) além de pólos regionais como Aracati, Canindé, Icó, Iguatu, Quixadá, Quixeramobim, e ainda com Baraúna e Mossoró no estado vizinho do Rio Grande do Norte, RN[carece de fontes?].

A grande maioria dos russanos se envolveram ativamente nos assuntos políticos da cidade[carece de fontes?].

Em recente Pesquisa Ibope para as eleições municipais de 2012, foi perguntado qual o interesse do eleitor nas eleições. Segundo o resultado 44% do eleitores tinham muito interesse nas eleições para prefeito da cidade, 26% tinha interesse médio e 22% pouco interesse.[11]

Sub-regiões[editar | editar código-fonte]

O município de Russas está dividido em seis distritos, sendo eles Russas (Sede), Bonhu, Flores, Lagoa Grande, Peixe e São João de Deus.

O município também possui localidades como Timbaúba, São João de Deus, Jardim de São José, Gracismões, Lagoa dos Cavalos, Santa Teresinha, Sítio de Baixo, Carpina e Passagem de Russas.

Comunicação e Imprensa[editar | editar código-fonte]

Dentre os meio de comunicação de Russas, destaca-se o jornal Correio de Russas, cujo primeiro número circulou na cidade em 1941.[12]

Russas é a sede da Rádio Araibu FM (104.9) Rádio Progresso de Russas e Rádio SomZoom Sat FM (98,5). [13]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Tal como a cidade de Curitiba - PR, Russas integra seus filhos desejosos de preservar a cultura regional numa academia de cultura, para isso contando com a Academia Russana de Cultura e Arte - ARCA. Dentre as várias manifestações populares, as tradicionais congadas, as cavalhadas, o carnaval cultural de rua (pioneiro na região) e do bumba-meu-boi dos quais se destacaram no âmbito estadual o Boi Pai do Campo e o Bumba-meu-boi Russano da localidade rural de São João de Deus. Um fato marcante da vida social e cultural da cidade é a presença de várias bandas e grupos musicais que animam as principais festividades da região. A Banda Municipal Maestro Orlando Leite é considerada uma das melhores bandas de músicas do estado do Ceará[carece de fontes?]. Ainda no âmbito da música, a cidade abriga conjuntos de forró, chorinho, MPB, pagode, axé, pop, rock, dentre outros. Nos últimos anos Russas tem se destacado também no cinema com a criação do CINEJAGUAR e a produção de películas como Paquerrete e Doce de Coco, esse último premiado em vários festivais por todo o mundo. Russas se tornou sede do Festival Brasileiro de Cinema do Vale do Jaguaribe.

No âmbito do ensino superior, o Campus da Universidade Federal do Ceará (UFC), já tem um impacto considerável na dinâmica social local com a oferta de 5 cursos de graduação: Engenharia de Software, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica e Ciência da Computação.[14]

Principais eventos culturais[editar | editar código-fonte]

  • Semana do Município - SEMUR - aniversário de emancipação política em 6 de agosto de 1801
  • Festa da Padroeira - Nossa Senhora do Rosário - 7 de outubro
  • Festa de São Sebastião e da Libertação dos Escravos em Russas - segunda quinzena de janeiro
  • Festa do Radialista
  • Festa do Reencontro
  • Russas Folia - micareta (atualmente Russas FEST)
  • Festival Junino de Quadrilhas do Vale do Jaguaribe
  • Festa de Timbaúba de Nossa Senhora das Dores
  • Semana Espírita de Russas - terceira semana de novembro
  • Encontro Cultural Russano
  • Russas Para Cristo
  • Festival do Beija-Flor
  • Semana da Consciência Negra
  • Festival de Teatro do Vale do Jaguaribe (FESTVALE)
  • Marcha para Jesus
  • Vinde e Vede - evento da Renovação Carismática Católica de Russas
  • Semana de Inclusão Digital - realizada pelo Projeto Ação Digital - PAD
  • Encontros Gospel - Igreja Fonte da Graça Apostólica

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking IDH-M Ceará». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 9 de setembro de 2013. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 9 set. 2013. 
  6. a b c d http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/russas.pdf
  7. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  8. http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_cartografia/cart233513.jpg
  9. Capital e Santuário - Miragens Russano Nordestinas 1a ed. Russas: IOCE. 1986  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  10. «Clima: Russas». Climate Data. Consultado em 17 de outubro de 2014. 
  11. http://blogs.diariodonordeste.com.br/valedojaguaribe/eleicoes-2012/eleicoes-2012-weber-lidera-em-russas-segundo-ibope/
  12. http://jornalcorreioderussas.blogspot.com/
  13. http://www.araibufm.com/
  14. http://sisu.mec.gov.br/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]