Jaraguá (Goiás)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Jaraguá, veja Jaraguá (desambiguação).
Jaraguá
  Município do Brasil  
Igreja Nossa Senhora da Penha de Jaraguá
Igreja Nossa Senhora da Penha de Jaraguá
Símbolos
Bandeira de Jaraguá
Bandeira
Brasão de armas de Jaraguá
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Lendária Terra"
Gentílico jaraguense
Localização
Localização de Jaraguá em Goiás
Localização de Jaraguá em Goiás
Jaraguá está localizado em: Brasil
Jaraguá
Localização de Jaraguá no Brasil
Mapa de Jaraguá
Coordenadas 15° 45' 25" S 49° 20' 02" O
País Brasil
Unidade federativa Goiás
Municípios limítrofes Pirenópolis, Goianésia, São Francisco de Goiás, Uruana, Itaguaru, Itaguari, Jesúpolis, Santa Isabel
Distância até a capital 125 km
História
Fundação 29 de julho de 1882 (137 anos)
Aniversário 29 de julho de 1736 (283 anos)
Administração
Prefeito(a) Zilomar Antonio de Oliveira (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 1 888,938 km²
População total (estimativa IBGE/2019[2]) 50 511 hab.
 • Posição GO: 26º
Densidade 26,74 hab./km²
Clima tropical úmido
Altitude 610 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,728 alto
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 288 003,288 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 7 022,07
http://www.jaragua.go.gov.br (Prefeitura)

Jaraguá é um município do estado de Goiás, no Brasil. Nele, situa-se o Parque Ecológico da Serra de Jaraguá. É um município emancipado de Pirenópolis e se inclui na Microrregião de Anápolis, no Vale do São Patrício, conhecido por seu patrimônio cultural, sendo uma das cidades mais antigas do estado e por ser considerada o maior polo de confecção do Região Centro-Oeste do Brasil. Sua população, conforme estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2019, era de 50 511[2] habitantes.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Existem duas etimologias possíveis para o topônimo "Jaraguá", ambas com origem na língua tupi:

História[editar | editar código-fonte]

De ocupação original indígena, como ocorreu em todo o atual território brasileiro, a atual cidade de Jaraguá nasceu da busca das riquezas minerais do rico solo goiano em tempos em que ainda se usava a mão de obra escrava. Vindos de diversas regiões, mineradores e catadores de ouro traziam, consigo, os chamados "pretos faiscadores", escravos astutos, geralmente da "Nação Mina", acostumados à cata do rico minério.

O bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva veio com sua bandeira rumo a Goiás mais ou menos no ano de 1726 e fundou Vila Boa (Cidade de Goiás) às margens do Rio Vermelho, ao sopé da Serra Dourada. Não levou muito tempo e logo descobriram ouro em Meia Ponte (Pirenópolis) e, por consequência, descobriram mais uma região aurífera, que, por sua imponente serra, garantiria a prosperidade do ciclo do ouro, impulsionando a criação de acampamentos às margens dos rios e córregos que nasciam dali. Assim, surge o arraial denominado "Córrego do Jaraguá".

Com a exploração das jazidas auríferas, iniciou-se o povoamento de origem europeia e, com o passar dos anos, iam surgindo as primeiras habitações, definindo-se as ruas. Em 1748, já estava pronta a primeira capela sob a invocação de São José e Nossa Senhora da Penha. Isso demonstra que, nesta época, já havia um número significante de moradores no arraial. A segunda igreja a ser construída foi a igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito em 1776 e, no ano de 1828, deu–se início à terceira igreja, a de Nossa Senhora da Conceição.

A grandiosidade da Serra de Jaraguá no Caminho de Cora Coralina.

Ao lado da exploração do ouro, houve a formação de sítios e fazendas para a produção de alimentos a fim de atender a população daquelas minas. No final do século XVIII, já havia, no Arraial do Córrego do Jaraguá, engenhos que produziam aguardentes para a comercialização. Nesta época, o arraial possuiu um considerado crescimento agrícola.

No início do século XIX, em virtude da diversificação da economia, o arraial se encontrava entre os prósperos arraiais da Capitania de Goiás. Viajantes europeus como Johann Baptist Emanuel Pohl e Auguste de Saint-Hilaire, que visitaram o arraial, o apontaram como populoso e quase do mesmo tamanho que Meia Ponte (Cabeça do Julgado).

Através do Decreto Nº. 8, de 1 de julho de 1833, o Arraial do Córrego do Jaraguá é oficialmente elevado à categoria de vila. Nesse instante, nasce a Câmara de Jaraguá.

Pela localização próxima à estrada que conduzia ao Rio de Janeiro e à Capital da Província, Vila Boa, a localidade era um ponto de passagem para várias direções, e este fator também colaborou para sua prosperidade, pois recebeu migrantes de outras regiões da Província de Goiás, principalmente antigos centros mineradores que entraram em decadência. Isto contribuiu para o desenvolvimento da Vila, pois os descendentes desses migrantes tiveram um papel importante na condução da vida econômica, social e política do lugar no decorrer do século XIX.

Em 25 de julho de 1882, a Vila de Nossa Senhora da Penha de Jaraguá eleva-se à categoria de cidade através da resolução 666, emancipando-se de Meia Ponte e passando a se chamar apenas Jaraguá.

No século XX, com o surgimento da "modernidade", o Governo Federal estabelece metas que visavam à ocupação do Centro-oeste brasileiro, tais como: abertura de novas estradas, abertura da ferrovia no sudeste do estado e a construção de Goiânia, a nova Capital do Estado.

A Marcha para o Oeste; a maior procura de terras agricultáveis; a implantação da Colônia Agrícola Nacional de Goiás, que resultou no surgimento das cidades de Ceres e Rialma; e, por último, a construção da Capital Federal (Brasília); proporcionaram um impulso desenvolvimentista no município. A produção econômica alterou-se substancialmente, voltando-se mais para a comercialização da produção. Assim, a partir da década de 1940, houve um crescimento urbano significativo.

No início dos anos 1960, Jaraguá sentiu os impactos decorrentes da construção da rodovia BR-153, mudando o ritmo de seu crescimento, ganhando oportunidades para ocupar o papel de núcleo comercial, e dinamizando sua expansão urbana.

Na década de 1980, a cidade de Jaraguá vê crescer o domínio das máquinas, elevando-a ao título de Capital das Confecções. Dos tempos da prosperidade aurífera aos dias atuais, a cidade passou por diversos processos que a fizeram se destacar entre os mais prósperos municípios goianos, e seu crescimento se dá continuamente.[6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Dada a extensão do município, existem, ainda, diversos povoados, a saber: Alvelândia, Artulândia (às margens da rodovia GO-080), Cruzeirinho, Mirilândia, Monte Castelo, Palestina, Vila Santa Bárbara, Vila Aparecida (Chapeulândia) e São Geraldo. Um fato interessante do município de Jaraguá é a qualidade das suas terras. As terras localizadas à direita da rodovia BR-153, sentido Jaraguá/Goiânia, são consideradas as melhores do município; em contrapartida, do lado esquerdo da rodovia, temos a presença de vários morros e serras, apresentando um solo mais fraco em comparação com o outro, salvo alguns trechos de terras planas ou próximas dos rios.

A elevação mais importante é a Serra do Jaraguá, onde estão instaladas as torres repetidoras de televisão. A serra do Jaraguá também é conhecida por fazer parte do circuito nacional do campeonato de parapente; suas correntes de ar são consideradas como umas das melhores do Brasil para prática desse esporte.

Clima e Vegetação[editar | editar código-fonte]

Segundo a classificação climática de Köppen-Geiger, o clima do município é do tipo Tropical Úmido,- AW, tipicamente quente, com o período de chuvas bem definido no Verão (setembro a abril), e o Inverno seco (maio a setembro).

A vegetação do município é de cerrado e floresta tropical, predominando árvores de pequeno porte, tortuosas, com casca grossa e enrugada, folhas grandes e quebradiças.

Topografia[editar | editar código-fonte]

  • Plana: 55%
  • Ondulada: 35%
  • Montanhosa: 10%
  • Altitude Média: 610 metros

O relevo mais alto de Jaraguá é a Serra de Jaraguá, localizada entre o Rio das Almas e o Rio Pari, com 520 metros de altitude.

Distritos emancipados[editar | editar código-fonte]

A área do município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de 1 888,938 quilômetros quadrados. Situa-se a 15°45'25" de latitude sul e 49°20'02" de longitude oeste e está a uma distância de 125 quilômetros a leste da capital goiana, fazendo parte da Região Metropolitana de Anápolis, ao lado de vinte outras cidades. Seus municípios limítrofes são: Santa Isabel (Goiás) a norte; Itaguaru a oeste; Itaguari a sudoeste; Jesúpolis a sul; São Francisco de Goiás a sudeste; e Pirenópolis a leste.

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Vila Izaura
  • Jardim Aeroporto I, II e III
  • Vila Bandeira
  • Bairro Feliz
  • Bairro São Sebastião
  • Jardim Ana Edith
  • Jardim Atlântico
  • Setor Morada Nova I, II e III
  • Vila Santa Fé I e II
  • Jardim Vera Cruz
  • Regina Rios Park
  • Jardim das Vivendas
  • Genoveva Park
  • Vila Solidariedade
  • Bairro Cezário da Mata
  • Vila Mutirão
  • Jardim Primavera I, II e III
  • Vila Rio Vermelho
  • Vila São José
  • Jardim Esperança
  • Vila do Sol
  • Arco-Íris Park
  • Vila Brasilinha
  • Bairro Goiás Rural
  • Vila Jorcelina I e II
  • Jardim Florena
  • Vila Maçônica
  • Setor Oriente
  • Vila Natalina
  • Jardim Objetivo
  • Vila Verde
  • Vila Colombo
  • Vila Dona Izabel

Educação[editar | editar código-fonte]

Instituições de Ensino:

Zona Rural - (Municipais e Estaduais)[editar | editar código-fonte]

  • Escola Municipal de Monte Castelo - (Povoado de Monte Castelo),
  • Escola Municipal de Maria Leandro Da Costa - (Povoado de Vila Santa Bárbara),
  • Escola Municipal de Clarismundo Lacerda - (Povoado de Mirilandia),
  • Escola Municipal de Alvelandia - (Povoado de Alvelandia),
  • Escola Estadual de Artulandia - (Povoado de Artulandia).
  • Escola Municipal de Geraldo Luiz Duarte - (Fazenda Cachoeira, BR-070),
  • Escola Municipal de 1º Grau Januario de Siqueira Nunes - (Fazenda Canta Gelo).

Municipais[editar | editar código-fonte]

  • Escola Pequeno Príncipe - (Vila São José),
  • Escola José Peixoto da Silveira - (Jardim Atlântico),
  • Escola José Peixoto da Silveira II - (Centro),
  • Escola Ilda Gonçalves Trindade - (Jardim Primavera),
  • Escola Adventista - (Vila Brasilinha),
  • Escola Adventista II - (Vila Natalina),
  • Escola Lyra Machado Gomes e Sousa - (Setor Morada Nova),
  • Escola Municipal Affonsina de Freitas - antiga Fundação Cultural Maria Córdoba de Freitas - (Bairro Feliz).

Estaduais[editar | editar código-fonte]

  • Escola Manoel Ribeiro de Freitas Machado - (Vila Izaura),
  • Escola Diógenes de Castro Ribeiro - (Vila Izaura),
  • Escola Dr. Ornelo Machado - (Centro),
  • Escola Balthazar de Freitas - (Centro),
  • Colégio Diógenes de Castro Ribeiro -. (Vila Bandeira),
  • Colégio Militar Sílvio de Castro Ribeiro - (Vila Bandeira),
  • Colégio São José - (Vila Rio Vermelho).

Particulares[editar | editar código-fonte]

  • Colégio Genius,
  • Colégio Mérito,
  • Colégio Monte Claro,
  • Instituto de Ensino Aprender,
  • Escola Infantil Aprender.

Ensino Universidades[editar | editar código-fonte]

Ensino Pós-graduação[editar | editar código-fonte]

  • Instituto Galdino - (Jardim Aeroporto II).

Cultura[editar | editar código-fonte]

Museus[editar | editar código-fonte]

Museu de Arte Sacra Nossa Senhora da Conceição.

Festes Tradicionais[editar | editar código-fonte]

  • Dia 06 de Janeiro - Folia de Reis
  • Dia 20 de Janeiro - São Sebastião
  • Fevereiro (data móvel) - Carnaval
  • Dia 19 de Março - Festa São José (Paróquia São José)
  • Junho - Festa do Divino Espírito Santo (Paróquia Nossa Senhora da Penha)
  • Dia 29 de Julho - Aniversário de Jaraguá
  • Julho a Agosto - Festa Santuário Divino Pai Eterno (Distrito Monte Castelo)
  • Dia 8 de Setembro - Festa Nossa Senhora da Penha
  • Outubro - Festa Santa Edwiges (Paróquia Santa Edwiges)

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. a b «Estimativa populacional 2019 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2019. Consultado em 20 de novembro de 2019 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo. São Paulo. Global. 2013. p. 580.
  6. «História». Consultado em 24 de abril de 2019. Arquivado do original em 25 de abril de 2016  Site da Prefeitura

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Goiás é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.