Planaltina (Goiás)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades contendo este nome, veja Planaltina.
Município de Planaltina
"Brasilinha"
Bandeira de Planaltina
Brasão de Planaltina
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 19 de março
Fundação 1790 (228 anos)
Gentílico planaltinense
Prefeito(a) David Alves Teixeira Lima (PROS)
( – 2020)
Localização
Localização de Planaltina
Localização de Planaltina em Goiás
Planaltina está localizado em: Brasil
Planaltina
Localização de Planaltina no Brasil
15° 27' 10" S 47° 36' 50" O15° 27' 10" S 47° 36' 50" O
Unidade federativa  Goiás
Mesorregião Leste Goiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Entorno do Distrito Federal IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Sobradinho II (DF), Padre Bernardo, Mimoso de Goiás, Água Fria de Goiás, Formosa e Planaltina (DF)
Distância até a capital 259 km
Características geográficas
Área 2,543 677 km² [2]
População 88 173 hab. (GO: 15º) –  IBGE/2016[3]
Densidade O denominador (divisor) tem que ser um número! hab./km²
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,669 médio PNUD/2010 [4]
Gini 0,42 {{{data_gini}}}
PIB R$ 341 634,769 mil IBGE/2015[5]
PIB per capita R$ 10,486 51 2015
Página oficial
Prefeitura http://planaltina.go.gov.br/
Câmara http://www.camaraplanaltina.go.gov.br/

Planaltina é o 15° maior município do estado de Goiás.

Segundo estimativa do IBGE, em 2017 a sua população será de 88.863 habitantes. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás, em dezembro de 2017 registram-se em Planaltina 51.886 eleitores ou 1,21% do eleitorado de Goiás.[6]

Faz parte da RIDE (Região Integrada de Desenvolvimento de Distrito Federal e Entorno).

História[editar | editar código-fonte]

As primeiras penetrações na região de Planaltina foram feitas por bandeirantes paulistas, à procura de ouro. Segundo versões correntes, nos primórdios de 1812 já residia no local um armeiro famoso, cognominado 'o Mestre d' Armas', que era procurado por pessoas vindas de grandes distâncias. Esse foi o núcleo de onde se originou a cidade de Planaltina. Não se sabe ao certo quando se deu a fundação do povoado; sabe-se, entretanto, que em 25 de janeiro de 1812 existia um cemitério no local.

Localizado a cerca de 20 quilômetros da cidade-satélite do mesmo nome, o município de Planaltina de Goiás, apesar de ser relativamente novo, tem uma história que se confunde com a de Brasília e inúmeros problemas sociais em conseqüência do excesso populacional e da falta de critérios na sua ocupação. Com a mudança da capital federal do Rio de Janeiro para Goiás, parte do município goiano de Planaltina, que já existia há 100 anos, ficou fora do quadrilátero estabelecido para o Distrito Federal.

Para essa parte, foi estabelecido o prazo de um ano para o assentamento de uma nova sede que funcionou, provisoriamente, perto da lagoa formosa, passando depois para São Gabriel de Goiás. O primeiro prefeito desse novo município foi Francisco Muniz Pignta.

Ao seu sucessor na prefeitura, Eloi Pinto de Araújo, mineiro de Dores do Indaiá, no período de 1965 a 1969, coube a iniciativa de efetivar o assentamento da nova sede do município.

O local escolhido foi a Fazenda Brasília, de propriedade de Joaquim Gonçalves, conhecido por Joaquim Mineiro. Naquela área, identificada hoje por uma pedra fundamental, iniciou-se a construção do fórum do município, em 1967, que recebeu o nome de Planaltina de Goiás, resultado de um plebiscito realizado no mesmo ano.

O seu início apresentou inúmeras semelhanças com a própria construção da capital federal, entre elas, o desbravamento do cerrado capitaneado por um mineiro; os barracos de madeira que, a princípio, abrigaram os primeiros habitantes e os principais órgãos públicos municipais.

Por essas e outras coincidências, o município recebeu o apelido de "Brasilinha". "Estão construindo uma Brasilinha", diziam, conforme lembra o advogado Dirceu Ferreira Araújo, mineiro, detentor de um importante acervo de fotografias e documentos históricos e com o conhecimento de causa de quem mora na região desde 1955, sem contar o fato de que é filho do prefeito a quem coube o assentamento do município. Mas as coincidências com Brasília não param por á. A cidade também tinha um planejamento de urbanização, com a área a ser ocupada previamente definida, de forma a facilitar a implantação dos serviços públicos básicos.

Essa área previa a ocupação, nos próximos 50 anos, de 22 mil lotes que abrigariam cinco pessoas, em média, o que significaria uma população de cerca de 110 mil habitantes em 2017. Em menos de 30 anos, a população já atingiu os 80 mil habitantes, de acordo com estimativas locais, que questionam os dados do censo de 1991, indicando uma população de apenas 42 mil habitantes.

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

  • Distrito criado com a denominação de Mestre D’Armas pela Lei ou Resolução Provincial n.º 615, de 02-04-1880, no município de Formosa.
  • Elevado à categoria de vila com a denominação de Mestre D’Armas, por Decreto Estadual n.º 52, de 19-03-1891, sendo desmembrado de Formosa. Sede na povoação de Mestre D’Armas. Constituído do distrito sede. Instalado em 28-02-1892.
  • Pela Lei n.º 363, de 22-07-1910, o município de Mestre D’Armas passou a denominar-se Altamir.
  • Em divisão administrativa referente ao ano de 1911 o município já denominado Altamir é constituído do distrito sede.
  • Pela Lei Estadual n.º 541, de 14-06-1917, o município de Altamir passou a denominar-se Planaltina.
  • Em divisão referente ao ano de 1933 o município de Planaltina é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1950.
  • Pela Lei Municipal n.º 113, de 05-12-1958, foram criados os distritos de Córrego Rico e São Gabriel, ambos ex-povoados, e anexados ao município de Planaltina.
  • Em divisão territorial datada de 1-VII-1960 o município é constituído de 3 distritos: Planaltina, Córrego Rico e São Gabriel de Goiás.
  • Pela Lei Estadual n.º 5.988, de 06-10-1965, o município de Planaltina passou a denominar-se São Gabriel de Goiás.
  • Pela Lei Estadual n.º 6.553, de 17-02-1967, o município voltou a denominar-se Planaltina.
  • Em divisão territorial datada de 1-I-1979 o município é constituído de 3 distritos: Planaltina, Córrego Rico e São Gabriel de Goiás. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.

Distritos[editar | editar código-fonte]

  • Córrego Rico
  • São Gabriel de Goiás

Transporte Público[editar | editar código-fonte]

Planaltina conta com apenas duas empresas de transporte público, que possuem linhas internas, e linhas que interligam a cidades do Distrito Federal.

A Viação Expresso Planaltina é a responsável pelas linhas que ligam Planaltina ao Distrito Federal, com linhas para o Plano Piloto, Lago Norte, SIA, SIG, Noroeste, Grande Colorado, além das cidades de Planaltina (DF) e Sobradinho.

A Viação Mais X é a responsável, (em regime de contrato emergencial e temporário) pelas linhas internas da cidade, que interligam os bairros Imigrantes, Multirão, São José, Brasilinha 17, Paquetá, São Francisco e São Gabriel ao centro da cidade.

Existe ainda,uma linha operada pela empresa Real Sul, que opera interligando a cidade de Formosa ao centro de Planaltina Goiás.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia é baseada em agricultura (9,000 hectares em 2006), milho, mandioca e frutas cítricas), criação de gado (62,000 cabeças em 2006), serviços, administração pública (1,328 trabalhadores em 2003), e pequenas indústrias. Em 2017 existem 05 instituições financeiras instaladas na cidade (Banco do Brasil, Caixa, Bradesco, Itaú e BRB). O município de Planaltina, ocupa a posição de 3571º no ranking nacional de PIB per capita, e a posição 246º no estado de Goiás. O salário médio mensal no município é de 2,4 salários mínimos (2015). Porcentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo é de 36,5%. (2010)

Saúde e educação[editar | editar código-fonte]

  • Escolas: 58 com 20.225 alunos (2017)
  • Ensino superior: Polo virtual da UEG.
  • Índice de Desenvolvimento Humano: 0,669 (2017)
  • Taxa de alfabetização: 85.6% (2016)
  • Taxa de mortalidade infantil : 15,98 (2017)
  • Estabelecimentos de Saúde do SUS: 26 (2009)

Problemas sociais[editar | editar código-fonte]

Planaltina, assim como todas as cidades do entorno do Distrito Federal, sofre com problemas sociais decorrentes da baixa oferta de serviços básicos e da alta demanda dos mesmos. São alguns deles:

Saúde[editar | editar código-fonte]

A cidade possui apenas um hospital público (Hospital Municipal Santa Rita de Cássia) e dois particulares (Hospital Bio Vidas e Hospital Nossa Senhora D'Abadia), que atendem também pelo Sistema Único de Saúde - SUS.

Educação[editar | editar código-fonte]

A demanda da população por vagas em creches é alta, e a oferta ainda não é suficiente para acabar com a demanda. Também é alta a demanda por instituições de ensino superior. Todos os dias, milhares de estudantes se deslocam para o Distrito Federal, para estudar em cursos das faculdades e universidades de Sobradinho e do Plano Piloto. Em 2015, Planaltina tinha 11 escolas para o ensino médio, e 53 escolas para o ensino fundamental.

Lazer[editar | editar código-fonte]

Existe um único parque em todo o perímetro urbano da cidade, e mesmo assim não oferece qualidade para o lazer da população. A praça central da cidade também é usada como meio de lazer para os habitantes, com pista de caminhada, parques infantis e quadras de futebol e vôlei.

Emprego / Transporte público[editar | editar código-fonte]

Devido a baixa oferta de emprego na cidade, todos os dias milhares de moradores se deslocam para o Distrito Federal para trabalhar.

Os preços de passagens são altos (R$ 6,80 na linha para o Plano Piloto), e a qualidade é inversamente proporcional: Ônibus cheios, e em mal estado de conservação.

Preço das passagens (2018)[editar | editar código-fonte]

  • Planaltina/GO - Brasília -> R$6,80
  • Planaltina/GO - Sobradinho -> R$4,45
  • Planaltina/GO - Planaltina/DF -> R$3,65

Expansão populacional[editar | editar código-fonte]

Desde o lançamento do programa Minha Casa, Minha Vida, pelo então presidente Lula, Planaltina Goiás vem sofrendo grandes expansões em seu perímetro urbano, e várias outras mudanças provocados pelo inchaço populacional. Desde 2009, a cidade ganhou vários condomínios e milhares de moradores, tornando-se uma das áreas com maior crescimento populacional do estado de Goiás. Grande parte desses moradores, vieram de cidades da região, como Formosa, Sobradinho e dos bairros periféricos de Planaltina (DF) como Arapoangas e Vale do Amanhecer. Por conta do excesso de moradores, a cidade enfrenta dificuldades em oferecer serviços básicos a população, como saúde, educação, urbanização e transporte público de qualidade. Em 2010 Planaltina ocupava a posição de número 350ª, dos municípios mais populosos do Brasil.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Planaltina conta com dois eixos de turismo, que atraem pessoas de todo o país.

A Lagoa Formosa, (formadora do Rio Maranhão) com seus vários clubes, balneários e hotéis, que atraem visitantes das cidades da região.

A Rampa de Voo Livre do Vale do Paranã, entre Planaltina e Formosa que é considerada por praticantes do esporte como a melhor rampa de voo livre do país. Compreende voos entre a rampa e a Esplanada dos Ministérios em Brasília, distante 80 km.

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

  • Joelma Santiago (The voice 2015)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. «Dados IBGE 2010». Consultado em 24 de fevereiro de 2013. 
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (30 de agosto de 2016). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2016» (PDF). Consultado em 30 de agosto de 2016.. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2016 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2013. 
  5. «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 
  6. «Estatísticas Eleitorais - Goiás -». Tribunal Regional Eleitoral de Goiás. 11 de junho de 2010. Consultado em 14 de junho de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]