Guapó

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Guapó
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Guapó
Bandeira
Hino
Gentílico guapoense
Localização
Localização de Guapó em Goiás
Localização de Guapó em Goiás
Mapa de Guapó
Coordenadas 16° 49' 51" S 49° 31' 55" O
País Brasil
Unidade federativa Goiás
Região metropolitana Goiânia
Municípios limítrofes Abadia de Goiás, Aragoiânia, Cesarina, Campestre de Goiás, Trindade e Varjão
Distância até a capital 27 km
História
Fundação 8 de outubro de 1948 (72 anos)
Administração
Prefeito(a) Colemar Cardoso de Queiroz (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 517,005 km²
População total (IBGE/2020[2]) 14 207 hab.
Densidade 27,5 hab./km²
Clima tropical
Altitude 1021 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010 [3]) 0,697 médio
PIB (IBGE/2016[4]) R$ 172 049,37 mil
PIB per capita (IBGE/2016[4]) R$ 11 896,65
Sítio guapo.go.gov.br (Prefeitura)

Guapó é um município brasileiro do estado de Goiás, na Mesorregião do Centro Goiano e na Microrregião de Goiânia. Sua população estimada pelo IBGE em 2020 era de 14.207 habitantes.

Sua sede está situada aproximadamente a 240Km de Brasília e 27Km da Capital do Estado. Localiza-se em terras marginais do Ribeirão dos Pereiras, que mais adiante divide este município com o de Trindade.

História[editar | editar código-fonte]

As terras que formam o município de Guapó, pertenceram ao município de Trindade. A causa principal do povoamento da sede do município foi a edificação da Capela de São Sebastião do Ribeirão.

A doação do terreno para a formação do patrimônio foi feita por Manuel Pereira de Ávila. Inaugurada a capela em 1905, a povoação aumentou em conseqüência da suas possibilidades econômicas e de seus recursos naturais.

Devido ao rápido desenvolvimento, é elevado a distrito, por força da Lei nº 3, de 14 de março de 1914, pertencendo ao município de Trindade e com o nome de São Sebastião do Ribeirão.

Com a transferência da Capital do Estado para Goiânia, o distrito de São Sebastião do Ribeirão foi desanexado do município de Trindade e incorporado ao município goianiense, pelo decreto-lei n.º 327, de 2 de agosto de 1935.

Em 30 de março de 1938, pelo decreto-lei n.º 557, quando a fixação do quadro territorial do estado, o distrito de São Sebastião do Ribeirão passou à denominação de Ribeirão. Em 31 de dezembro de 1943 pelo ato estadual, n.º 8305, este distrito passou a denominar-se Guapó, tornando-se município pela lei n.º 171, de 8 de outubro de 1948, sendo criada a Comarca pela lei n.º 711, de 14 de novembro de 1952 e instalada em 1 de maio de 1954, tendo sido seu primeiro juiz o Bacharel Eurico Velasco de Azevedo e o seu primeiro prefeito, Raimundo Emerenciano de Araújo.

A origem do nome Guapó, conta a tradição, foi uma menção a cidade mineira de Guapé devido a vários imigrantes que vieram desta cidade e se instalaram na região. Para que o então distrito de Ribeirão não tivesse o mesmo nome da cidade mineira, substituiu o "e" pelo "o".

Geografia[editar | editar código-fonte]

A área do município é de 517,2554 km², representando 0,152% do estado de Goiás, 0,032% da Região Centro-Oeste do Brasil e 0,006% de todo o território brasileiro.[5] Situa-se a 16°49'56" de latitude sul e 49°32'18" de longitude oeste e está a uma distância de 37 quilômetros a oeste da capital goiana. Seus municípios limítrofes são Abadia de Goiás e Trindade a norte, Campestre de Goiás a noroeste, Aragoiânia a leste, Cezarina a sudoeste e Varjão a sul. De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017,[6] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária e Imediata de Goiânia. Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião de Goiânia, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Centro Goiano.[7]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município faz parte da sub-bacia dos Bois que, por sua vez, está inserida na Bacia do Rio dos Bois. A demanda de água gira em torno de 27 litros por segundo, e a captação e tratamento no município são realizados pela Companhia Saneamento de Goiás (Saneago),[8] na estação de tratamento de água da cidade. O abastecimento é realizado pelo Córrego dos Pereiras.

O município possui boa densidade hidrográfica. É banhado pelo Rio dos Bois que é o principal e faz parte da bacia do Paranaíba. Pode-se incluí-los no tipo de "regime tropical" típico de lugares que se caracteriza por apresentar o período das enchentes durante o verão e das vazantes durante o inverno, com uma inflexão máxima das águas em janeiro/fevereiro e mínima em agosto/setembro.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima guapoense é caracterizado como tropical com estação seca (Aw segundo classificação climática de Köppen-Geiger).[9] O período do ano mais quente e setembro/outubro, com média em torno de 24 °C. (dado de 1989). A estação chuvosa corresponde ao semestre outubro/março e a concentração das chuvas ocorre nos meses de dezembro e janeiro.

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município não possui grandes elevações de terra. As elevações mais destacadas são as serras: Feia, do Mato Grande e dos Teixeiras (Serrinha), sobressaindo essa última pelo fato de possuir em seu cume a conhecida Pedra Grande, formada por dois blocos de rocha superpostos, sendo o primeiro de quatro metros e o segundo de cinco metros.

A amplitude altimétrica varia entre 250 a 1750 metros.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Dentre as formações vegetais caracterizadas na região, destacam-se os campos e o cerrado.

As espécies mais comuns são: o Pau Terra, a Lixeira, o Pequi, o Barbatimão, o Angico, a sucupira, a Perobinha e a Lobeira.

Em praticamente toda Serra Feia a mata nativa está preservada, principalmente da meia encosta para o topo. Nestes trecho, pode-se notar algumas características que identificam este tipo de floresta. O primeiro representado por arvores de grande porte (25 a 30 metros), onde o Cedro, a Peroba, o Jatobá, a Paineira, o Tamboril, entre outras, são responsáveis pelo primeiro andar. O segundo pavimento, representado por arvores de 15 a 20 metros, apresenta uma folhagem menos densa, onde o Jacarandá e a Canela são as espécies mais importantes. Nesse espaço, ocorrem ainda algumas Palmaceas, dentre elas a Guariroba.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 13 976 habitantes, sendo que 6 970 habitantes eram do sexo masculino, correspondendo a 49,87%, enquanto 7 006 habitantes eram do sexo feminino, totalizando a 50,13% da população. Ainda segundo o censo brasileiro daquele ano, 11 333 pessoas viviam na zona urbana (81,09%), e 2 643 em zona rural (18,91%).[10] De acordo com a estimativa para o ano de 2019, a população ampliou-se a 14 209 habitantes, sendo o 131º mais populoso de Goiás. Apresenta, consoante essa estimativa, uma densidade populacional de 27,04 habitantes por km².

Da população total em 2010, 3 398 habitantes (24,31%) tinham menos de 15 anos de idade, 9 561 habitantes (68,41%) tinham de 15 a 64 anos e 1 017 pessoas (7,28%) possuíam mais de 65 anos, sendo que a esperança de vida ao nascer era de 74,58 anos e a taxa de fecundidade total por mulher era de 2,0.[11] O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Guapó é considerado médio, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no ano de 2010. Seu valor era de 0,697, sendo então o 127º maior de todo o estado de Goiás. O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,54, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.

Em 2010, segundo dados do censo do IBGE daquele ano com a autodeclaração de cada guapoense, a população era composta por 5 111 brancos (36,57%), 8 099 pardos (57,95%), 581 negros (4,16%), 142 amarelos (1,02%) e 6 indígenas (0,04%). Considerando-se a região de nascimento, 11 778 eram nascidos no Centro-Oeste (84,27%), 1 183 no Nordeste (8,46%), 740 no Sudeste (5,29%), 117 no Norte (1,27%) e 57 no Sul (0,41%). 11 614 habitantes eram naturais do estado de Goiás (83,10%) e, entre os 2 362 naturais de outras unidades da federação, Minas Gerais era o estado com maior presença, com 507 pessoas (3,63%), seguido pela Bahia, com 404 habitantes residentes no município (2,89%). De acordo com dados do censo de 2010, a população municipal está composta por católicos (62,34% do total), evangélicos (26,16%), pessoas sem religião (7,92%), espíritas (1,02%) e 2,56% divididos entre outras religiões.

Política e administração[editar | editar código-fonte]

A administração municipal se dá pelos Poderes Executivo e Legislativo. O Executivo é exercido pelo prefeito, auxiliado pelo seu gabinete de secretários. O poder executivo do município de Guapó é representado pelo prefeito, consoante determinação da Constituição Brasileira de 1988. O atual é Colemar Cardoso de Queiroz, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), eleito em 2016 com 3 923 votos (56,33% dos votos válidos), ao lado de Raphael Guimarães de Carvalho (PSDB) como vice-prefeito. O Poder Legislativo, por sua vez é constituído pela câmara municipal, composta por onze vereadores eleitos para mandatos de quatro anos. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo, conhecido como Lei de Diretrizes Orçamentárias.

O município de Guapó é regido por sua lei orgânica, promulgada em 15 de dezembro de 2001.[12] A cidade pertence à 56ª zona eleitoral do estado de Goiás e possuía, em abril de 2020, 13 045 eleitores, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que representa 0,283% do eleitorado goiano.[13]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Guapó conta com nove escolas, sendo uma privada e oito públicas:

  • Escola Educacional Moderna
  • Colégio Estadual Professora "Liodósia Serra Ramos"
  • Colégio Estadual "Valdivino Serafim"
  • Escola Municipal Dona Sanita
  • Colégio Estadual Dep. José de Assis
  • Colégio Estadual José Feliciano (Transformada em Colégio Estadual da Polícia Militar de Goiás - Unidade Doutor José Feliciano Ferreira)
  • Colégio Municipal Padre Conrado
  • CMEI:Centro municipal de educaçao infantil.
  • Escola Municipal Veronica
  • Escola Municipal Professora Juliana Maria de Sousa

Comunicações[editar | editar código-fonte]

O código de área (DDD) do município é 062[14] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade vai de 75350-000 a 75354-999.[15] O serviço postal é atendido por uma agência da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, localizada no Setor Central.[16] A cidade também é amplamente coberta pelo serviço de telefonia móvel 4G.[17]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Alguns dos principais símbolos e atrações turísticas da cidade são:

  • Estádio Valdir Cândido de Queirós
  • Lagoa na entrada da cidade
  • Pesque-Pague na Entrada da Cidade
  • Igreja da praça São Sebastião.
  • Pecuária
  • Hotel Fazenda Águas Claras
  • Pesque-Pague na saída da cidade
  • Estância Alto da Serra

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (27 de agosto de 2020). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2020». Consultado em 28 de agosto de 2020 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2016». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 7 de março de 2019 
  5. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais (2019). «Divisão Territorial do Brasil». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 21 de maio de 2020 
  6. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 25 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 25 de setembro de 2017 
  7. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 76–78. Consultado em 25 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 25 de setembro de 2017 
  8. Agência Nacional de Águas (ANA) (2010). «Atlas de Abastecimento Urbano». Consultado em 1 de março de 2014 
  9. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. «World Map of the Köppen-Geiger climate classification». Institute for Veterinary Public Health. Consultado em 27 de maio de 2018. Cópia arquivada em 27 de maio de 2018 
  10. «Tabela 3107 - População residente, por situação do domicílio, sexo e grupos de idade - Sinopse». Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (Sidra). Consultado em 7 de agosto de 2018 
  11. Atlas do Desenvolvimento Humano (2013). «Perfil». Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 21 de maio de 2020 
  12. «Lei Orgânica de Guapó» (PDF). Consultado em 21 de maio de 2020 
  13. Tribunal Superior Eleitoral (TSE). «Consulta Quantitativo». Consultado em 21 de maio de 2020 
  14. Códigos DDD. «DDD de Guapó». Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  15. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  16. Correios. «Agências». Consultado em 1 de dezembro de 2016 
  17. Tele Síntese. «Oi ativa 4G em 151 cidades ainda este ano». Consultado em 27 de janeiro de 2020 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]