Itaú Unibanco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Itaú)
Ir para: navegação, pesquisa
Itaú Unibanco
Itau.svg
Razão social Itaú Unibanco Holding S.A.
Tipo Empresa de capital aberto
Slogan Feito para você.
Cotação BM&F Bovespa: ITUB3, ITUB4
NYSE: ITUB
Indústria Serviços financeiros
Gênero Sociedade Anônima
Fundação 4 de novembro de 2008 (8 anos)
Sede São Paulo,  Brasil
Área(s) servida(s) Mundo
Proprietário(s) Itaúsa
Presidente Candido Bracher
Pessoas-chave Roberto Egydio Setúbal

Pedro Moreira Salles

Empregados 94.280 (2013)[1]
Produtos Banco
Banco de investimento
Banco de varejo
Cartões de Crédito
Gestão de ativos
Private bank
Seguros
Subsidiárias Banco Itaú Argentina
Banco Itaú Paraguai
Banco Itaú Uruguai
Banco Itaucard
Credicard
Itaú Administradora de Consórcios
Itaú CorpBanca
Kinea Investimentos
Rede
Valor de mercado Aumento R$ 252,474 bilhões (Fev/2017)[2]
Ativos Aumento R$ 1,426 trilhão (Dez/2016)[3]
Lucro Baixa R$ 22,150 bilhões (2016)[4]
Faturamento Baixa R$ 108,329 bilhões (2016)[4]
Antecessora(s) Banco Itaú Holding Financeira
Unibanco
Website oficial www.itau.com.br

Itaú Unibanco comumente chamado apenas de Itaú, é o maior banco privado do Brasil, com sede na cidade de São Paulo. O banco foi criado em 4 de novembro de 2008 a partir da fusão entre o Banco Itaú e o Unibanco, duas das maiores instituições financeiras do país, resultando no maior conglomerado financeiro do hemisfério sul e num dos 20 maiores do mundo em valor de mercado[5]. O banco tem suas ações listadas na BM&FBovespa, em São Paulo, e na NYSE, em Nova Iorque. Com 91 anos de história, o Itaú Unibanco possui mais de 90 mil colaboradores, quase 60 milhões de clientes e mais de 95 mil acionistas.[6] Presente em 21 países, o banco possui cerca de 5 mil agências no Brasil e no exterior e 26 mil caixas eletrônicos e pontos de atendimento.[7] Em 2016, a carteira de ativos do Itaú atingiu R$ 1,43 trilhão -- a maior do país.[8]

O Itaú Unibanco é proprietário da Rede, o segundo maior adquirente de cartões do mercado brasileiro e, em 24 de agosto de 2009, anunciou uma associação a Porto Seguro, a maior seguradora de veículos do Brasil, para distribuição de seguros residenciais e de automóveis.[9]

Em 2014, o Itaú Unibanco intensificou sua participação no mercado bancário sul-americano ao adquirir o banco chileno CorpBanca por US$ 3,7 bilhões. A operação, que criou o Itaú CorpBanca, levou o Itaú Unibanco para a quarta posição entre os maiores bancos do Chile em empréstimos e permitiu que o banco brasileiro ingressasse no mercado de varejo financeiro da Colômbia.[10]

Além da América do Sul, o Itaú Unibanco possui operações nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia.

História[editar | editar código-fonte]

Agência do Itaú no bairro do Leblon na cidade do Rio de Janeiro

No dia 4 de novembro de 2008, Banco Itaú e Unibanco anunciaram a fusão que deu origem ao Itaú Unibanco. A instituição nascia com R$ 575 bilhões em ativos (contra R$ 403,5 bilhões do Banco do Brasil e R$ 348,4 bilhões do Bradesco), um patrimônio líquido de cerca de R$ 51,7 bilhões e uma carteira de crédito combinada de R$ 225,3 bilhões. O novo banco tinha 4.800 agências e postos de atendimento, representando 18% da rede bancária do país, e 14,5 milhões de correntistas (18% do mercado). Em volume de crédito, representava 19% do sistema brasileiro e em total de depósitos, fundos e carteiras administradas, 21%. No mercado de seguros e previdência, o novo grupo tinha uma participação de 17% e de 24%, respectivamente. As operações do atacado (corporate) somavam mais de R$ 65 bilhões, com atendimento a mais de 2.000 grupos econômicos no Brasil. O negócio de Private Bank (gestão de grandes fortunas) se tornou o maior da América Latina, com aproximadamente R$ 90 bilhões de ativos sob gestão. As operações de cartões de crédito passaram a contemplar as empresas Itaucard, Unicard e Hipercard.[11] Futuramente (em 2013), o Itaú Unibanco, adquiriria, também, a emissora de cartões de crédito, Credicard.

Agência do Itaú na cidade de Avaré no estado de São Paulo

A união entre os dois bancos foi aprovada pelo CADE em 18 de agosto de 2010[12]. A medida foi bem vista por Henrique Meireles, presidente do Banco Central do Brasil, que afirmou que a fusão contribuiria para o fortalecimento do sistema financeiro nacional num momento delicado do mercado financeiro internacional.

Com a fusão, a marca Unibanco foi extinta gradativamente e a instituição passou a utilizar apenas a marca Itaú em suas agências. A integração foi concluída em outubro de 2010[13] e custou mais de R$ 1 bilhão de reais.[14]

Em outubro de 2008, o Itaú Unibanco assinou contrato milionário com a Confederação Brasileira de Futebol para patrocinar a Seleção Brasileira de Futebol até 2014, ano em que o Brasil sediou a Copa do Mundo da FIFA. O Itaú Unibanco foi, também, um dos patrocinadores do evento.

Em 24 de agosto de 2009, foi anunciada uma associação para distribuição de seguros de residência e automóvel com a Porto Seguro[15], uma das maiores e mais importantes seguradoras do país. A operação consistiu na transferência, por parte do Itaú Unibanco, da totalidade de ativos e passivos de sua carteira de seguros residenciais e de automóveis para a Porto Seguro.

Foi eleita pelo Great Place to Work Institute (GPTW) como uma das cem melhores empresas para se trabalhar no Brasil.[16]

Em abril de 2012, o Itaú Unibanco foi classificado como a 30° maior empresa do mundo pela revista americana Forbes.[17]

Em setembro de 2013 os ativos do Itaú Unibanco eram de R$ 1,011 trilhão e com isso é considerada a segunda maior instituição financeira do Brasil por ativos, perdendo apenas para o Banco do Brasil.[18]

Em janeiro de 2014 comprou o banco chileno CorpBanca por US$ 3,7 bilhões. Com a aquisição o Itaú Unibanco subiu de sétimo para quarto maior banco do Chile.[19]

Em 4 de fevereiro de 2014 foi anunciado que o Itaú Unibanco teve lucro de 15.696 bilhões de reais em 2013, um crescimento de 15,5% em relação a 2012, foi o maior lucro da história dos bancos brasileiros, em dezembro de 2013 os ativos totais do banco totalizaram 1.105 trilhão, um crescimento de 8,99% em relação ao mesmo período do ano anterior.[20]

Sede do Itaú Unibanco no Bairro do Jabaquara, Zona Sul da cidade de São Paulo

Em agosto de 2014, adquiriu 100% da gestora de ativos chilena Munita Cruzat & Claro , com a compra o banco expandiu as suas operações no Chile no ramo de private bank, o valor da aquisição não foi divulgado pelo Itaú Unibanco.[21][22]

Em 21 de outubro de 2015 A Odebrecht TransPort, subsidiária do grupo Odebrecht que atua na área de transporte e logística vendeu a participação acionária da ConectCar para o Itaú Unibanco por R$ 170 milhões.[23]

Em 31 de dezembro de 2015 o banco BTG Pactual vendeu a empresa de recuperação de crédito Recovery do Brasil Consultoria para o banco Itaú Unibanco por R$ 640 milhões para a participação de 81,94%.[24]

No dia 8 de outubro de 2016 o Itaú Unibanco formalizou a compra das operações de varejo do Citibank no Brasil por 710 milhões de reais, a aquisição está sujeita a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica.[25]

Países de Atuação[editar | editar código-fonte]

O Itaú Unibanco Holding S.A. por meio de suas empresas, atua além de no Brasil em outros 20 países principalmente nos continentes da América, Europa e Ásia. Estes são na América: Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Peru, Estados Unidos, México, Ilhas Cayman e Bahamas. Na Europa: Portugal, Espanha, França, Reino Unido, Luxemburgo, Bélgica, Alemanha e Suíça. Na Ásia: Emirados Árabes Unidos, República Popular da China e Japão.

Aquisições[editar | editar código-fonte]

Compra da Credicard[editar | editar código-fonte]

Em 9 de maio de 2013, o Itaú fechou a compra da Credicard, a mais antiga e conhecida emissora de cartões do país, por quase R$ 3 bilhões.[26]

Compra do CorpBanca[editar | editar código-fonte]

Em 29 de janeiro de 2014 foi anunciada a fusão das operações do banco Itaú Chile com o banco CorpBanca, também chileno, dando origem ao Itaú CorpBanca. Após a conclusão da fusão, o Itaú passará da 7ª para a 4ª colocação entre os maiores bancos chilenos. A marca da nova instituição será Itaú e o controle ficará nas mãos da instituição brasileira. [27]

Compra da ConectCar[editar | editar código-fonte]

Em 21 de outubro de 2015 a Odebrecht TransPort, subsidiária do grupo Odebrecht na área de transporte e logística, assinou um contrato de venda de sua participação na ConectCar para o Itaú Unibanco, por R$ 170 milhões.[28]

Compra da Recovery no Brasil[editar | editar código-fonte]

Em 31 de dezembro de 2015, o Itaú Unibanco informou que fechou acordo com o Banco BTG Pactual para a compra da participação de 81,94% do BTG na empresa de recuperação de crédito Recovery do Brasil Consultoria por R$ 640 milhões.[29]

Compra da Citibank no Brasil[editar | editar código-fonte]

Em 8 de outubro de 2016, o Itaú pagou R$ 710 milhões pela operação de varejo do Citibank no Brasil.[30]

Compra da participação na XP Investimentos[editar | editar código-fonte]

Em 11 de maio de 2017, O Itaú Unibanco informou por meio de fato relevante a compra da participação de 49,9% do capital social da XP Investimentos, corretora nascida em Porto Alegre. A aquisição será feita por meio de aporte de capital no valor de R$ 600 milhões e compra de ações de emissão da XP detidas pelos vendedores no valor de R$ 5,7 bilhões. No total, serão aplicados R$ 6,3 bilhões no negócio. A finalização da transação depende da análise do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). [31]

Serviços e segmentação[editar | editar código-fonte]

Itaú Unibanco[editar | editar código-fonte]

É o segmento de varejo do banco, o de maior visibilidade, oferecendo serviços de conta corrente, poupança, cheques especiais, empréstimos pessoais e ao consumidor, cartões de crédito, seguros de residência, vida e acidentes, financiamento de automóveis, planos de previdência privada, administração de ativos e planos de capitalização para pessoas físicas.[32]

Itaú Personnalité[editar | editar código-fonte]

O Itaú Personnalité é a divisão que oferece serviços especializados para clientes de alta renda -- logo abaixo do Private Bank. A estratégia do Itaú Personnalité consiste na oferta de serviços de consultoria por gerentes que recebem treinamento para entender as necessidades específicas desses clientes e de uma grande carteira de produtos e serviços exclusivos, disponibilizados em uma rede de agências exclusiva e dedicada, localizada nas principais cidades brasileiras.[33]

Itaú Uniclass[editar | editar código-fonte]

Segmento herdado do Unibanco, chocou-se com a estratégia Personalité. O Unibanco era considerado mais ágil, pois o conceito Uniclass era para clientes e não agências, ou seja, os clientes de uma agência poderiam ser classificados de forma diferentes enquanto no Itaú não.[34]

Em face disto, o Itaú Personnalité em julho de 2011 reformulou sua estratégia e elevou o limite de clientes-alvo para pessoas com renda superior a R$ 10.000 por mês (em comparação com R$ 7.000 anteriormente, que chocavam-se com o Uniclass) ou com investimentos acima de R$ 100.000 (em contraposição a R$ 60.000 anteriormente, igualmente se chocavam com o Uniclass). Essa estratégia melhora o choque com a divisão Uniclass mencionada na atividade de banco de varejo, sem contudo resolver o problema de cliente em agência distinta.[35]

Poder público[editar | editar código-fonte]

Estrutura dedicada a órgãos públicos federais, estaduais e municipais. Atua principalmente nos estados do Rio de Janeiro, Paraná, Goiás e Minas Gerais, onde adquiriu bancos estatais nos processos de privatização.

Itau Negócios[editar | editar código-fonte]

Serviço especial para pequenas (faturamento anual entre R$ 500 mil e R$ 10 milhões) e microempresas (até R$ 500 mil). É utilizado por cerca de 115 mil das 637 mil pequenas e microempresas clientes do banco (o restante usa serviços padrões). No final de 2005, a UPJ possuía 188 unidades de atendimento exclusivo em agências do Itaú.

Microempresas[editar | editar código-fonte]

No final de 2005, foram montadas 150 plataformas na cidade de São Paulo para prestar serviços especializados a empresas com faturamento anual inferior a R$ 500 mil. Em 2006, os serviços chegaram a mais de 80 localidades em todo o interior do estado de São Paulo, e na sequência foram instaladas outras 94 plataformas no estado do Rio de Janeiro. Em 2007, esses serviços foram estendidos aos estados de Minas Gerais e Paraná. Em 2008 e 2009, essa expansão teve prosseguimento, com a instalação de outras plataformas para microempresas.

Os gerentes dessas plataformas oferecem soluções personalizadas e fornecem aconselhamento detalhado sobre todos os produtos e serviços a microempresas. A estratégia é captar o expressivo potencial dessa clientela, suprindo as necessidades dessas empresas e seus proprietários, principalmente em relação a gestão de fluxos de caixa e linhas de crédito. O valor disponibilizado em linhas de crédito a microempresas aumentou em torno de 92,9% em 2009.

Após o anúncio da Associação, em 2009, os esforços estão sendo dirigidos para consolidar plataformas e atendimento aos clientes. Em 31 de dezembro de 2009, eram mais de 430 plataformas para microempresas espalhados pelo Brasil e cerca de 1.700 gerentes trabalhando para mais de 537.000 micros, pequenas empresas clientes.

Pequenas empresas[editar | editar código-fonte]

Desde 2001, o relacionamento com pequenas empresas está estruturado em plataformas especializadas. Em 31 de dezembro de 2009, eram 277 plataformas localizadas em todo o país e perto de 1.500 gerentes dando atendimento a mais de 260.000 empresas com faturamento anual entre R$ 500 mil e R$ 6 milhões.

Todos os nossos gerentes são certificados pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (“ANBIMA”) e, ao longo do ano, recebem treinamento para terem condições de oferecer as melhores soluções para cada perfil de cliente.

Médias empresas[editar | editar código-fonte]

Em 31 de dezembro de 2009, o Itaú mantinha relacionamento com cerca de 104.000 médias empresas que representavam um amplo leque das empresas brasileiras localizadas em mais de 75 cidades do país. Tais clientes são em geral empresas com faturamento anual de R$ 6 milhões a R$ 150 milhões.

Oferecendo um leque completo de produtos e serviços financeiros a empresas de porte médio, incluindo contas correntes, opções de investimento, seguros, planos de previdência privada e produtos de crédito. Os produtos de crédito incluem empréstimos de capital para investimento, empréstimos de capital de giro, financiamento de estoques, financiamento de comércio, serviços de câmbio, leasing de equipamentos, cartas de crédito e garantias.

O Itaú também realiza operações financeiras em nome dessas empresas, como operações interbancárias, operações no mercado aberto e operações de futuros, swaps, hedging e arbitragem.

Além disso, oferece a esses clientes serviços de cobrança e de pagamento eletrônico. Temos condições de prestar tais serviços para praticamente qualquer tipo de pagamento, incluindo Internet banking. Também oferecemos serviços de cobrança e pagamento – salários, tributos e fornecedores - para essas empresas.

Em 31 de dezembro de 2009, eram mais de 1.300 gerentes especializados no segmento de empresas médias. Esses gerentes trabalham nas 213 plataformas especializadas localizadas nas principais agências.

Itaú Abreconta[editar | editar código-fonte]

Em 2016, o Itaú lançou o aplicativo Itaú Abreconta. Buscando agilizar a abertura de conta corrente para seus clientes, o app permite realizar o processo exclusivamente no smartphone.

Institucionais[editar | editar código-fonte]

Itaú Private Bank[editar | editar código-fonte]

Especializado em consultoria financeira para pessoas físicas com grande patrimônio. Hoje o Itaú Private Bank é o maior no seu segmento no País e na América Latina.

Taií[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Taií

Fundada em 2004, oferece serviços de crédito. Possui uma rede própria de cerca de 110 agências, além de mais de 200 pontos de venda dentro dos supermercados da Companhia Brasileira de Distribuição (Pão de Açúcar, Extra, Extra Eletro, CompreBem e Sendas) e outros 200 pontos de venda nas Lojas Americanas. Controlado pelo Itaucred. Com a aquisição do Unibanco, que possuía a Fininvest, houve conflito de empresas que resultou, curiosamente, no encerramento da marca Taií.

Itaú BBA[editar | editar código-fonte]

O Itaú BBA é responsável pelas atividades de serviços bancários para grandes empresas e banco de investimento. O Itaú BBA oferece uma carteira completa de produtos e serviços por meio de um quadro de profissionais altamente qualificados. Atualmente, o Itaú BBA atende a cerca de 2.400 empresas e conglomerados. As atividades do Itaú BBA englobam desde operações típicas de um banco comercial até operações nos mercados de capitais e serviços de consultoria em fusões e aquisições. Tais atividades são totalmente integradas, o que permite ao Itaú BBA adaptar seu desempenho às necessidades de seus clientes.

Intrag DTVM[editar | editar código-fonte]

A Intrag DTVM[36] é uma empresa do grupo Itaú Unibanco S.A. com foco na prestação de serviços de Administração Fiduciária de fundos de investimento para gestores independentes, private banks, family offices, clientes institucionais e grandes investidores. O portfólio de produtos da Intrag inclui administração das mais variadas estruturas e tipos de fundos, desde os regulados pela instrução CVM nº 555 até FIDCs, FIPs, FMIEEs, ETFs e FIIs.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.seebbauru.org.br/conteudo.php?cid=7&id=6156
  2. http://www.bloomberg.com/quote/ITUB4:BZ
  3. Redação do G1 (16 de Fevereiro de 2017). «Itaú ultrapassa BB em ativos totais e se torna maior banco do país». G1. Consultado em 20 de Fevereiro de 2017 
  4. a b PricewaterhouseCoopers (6 de Fevereiro de 2017). «Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas» (PDF). Itaú Unibanco. Consultado em 20 de Fevereiro de 2017 
  5. «G1 > Economia e Negócios - NOTÍCIAS - Unibanco e Itaú anunciam fusão e criam gigante financeiro». g1.globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  6. «Itaú - sobre o Itaú». Itaú. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  7. «Itaú - quem somos». Itaú. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  8. «Banco do Brasil perde para o Itaú posto de maior banco do país». Folha de S.Paulo 
  9. «G1 > Economia e Negócios - NOTÍCIAS - Itaú Unibanco faz associação com Porto Seguro». g1.globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  10. Editorial, Reuters. «Com chileno Corpbanca, Itaú Unibanco faz sua maior tacada internacional». Reuters 
  11. «Itaú e Unibanco anunciam fusão e criam maior grupo financeiro do Hemisfério Sul». Folha de S.Paulo 
  12. Froufe. Célia. (18 de agosto de 2010). Cade aprova fusão entre Itaú e Unibanco sem restrições. O Estado de S.Paulo, acesso em 18 de agosto de 2010
  13. http://www.clientesa.com.br/gestao/40670/itau-unibanco-conclui-integracao-de-agencias/imprimir.aspx
  14. http://economia.ig.com.br/mercados/integracao-do-itau-unibanco-consumiu-r-1-bi-no-ano/n1237818989726.html
  15. Itaú Unibanco faz associação com Porto Seguro
  16. Revista Época, n. 588, 24 de agosto de 2009.
  17. http://www.forbes.com/companies/itau-unibanco-holding/
  18. http://www4.bcb.gov.br/fis/TOP50/port/Top50P.asp
  19. http://br.reuters.com/article/topNews/idBRSPEA0S4PC20140129
  20. http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios-geral,lucro-do-itau-unibanco-sobe-15-5-em-2013-para-r-15-7-bilhoes,177054,0.htm
  21. http://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2014/08/04/itau-unibanco-alcanca-100-de-participacao-em-chilena-mcc.htm
  22. http://www.estrategia.cl/detalle_noticia.php?cod=100694
  23. http://oglobo.globo.com/economia/odebrecht-vende-ao-itau-sua-fatia-na-conectcar-17842828
  24. http://www.valor.com.br/financas/4374942/itau-unibanco-compra-fatia-de-8194-do-btg-pactual-na-recovery
  25. Redação do G1 (8 de outubro de 2016). «Itaú Unibanco fecha compra de ativos de varejo do Citi no Brasil». G1. Consultado em 8 de outubro de 2016 
  26. «Itaú bate Bradesco e Santander e compra Credicard por R$ 2,8 bilhões». Folha.com. Consultado em 9 de maio de 2013 
  27. «Itaú anuncia fusão das operações no Chile com o CorpBanca». Itau.com. Consultado em 29 de janeiro de 2014 
  28. «Odebrecht vende participação na ConectCar para o Itaú». Estadão. 21 de outubro de 2015. Consultado em 14 de dezembro de 2015 
  29. «Itaú Unibanco fecha compra de fatia do BTG na Recovery». G1; Globo.com; Reuters. 31 de dezembro de 2015. Consultado em 1 de janeiro de 2016 
  30. Folha.com (8 de outubro de 2016). «Itaú compra varejo do Citibank no Brasil por R$ 710 milhões». Folha de S. Paulo. Consultado em 11 de outubro de 2016 
  31. «Itaú Unibanco compra participação de 49,9% da XP Investimentos». Zero Hora. 11 de maio de 2017. Consultado em 16 de maio de 2017 
  32. https://www.itau.com.br/_arquivosestaticos/RAO/PDF/EN/ENRAO2011.pdf
  33. http://maisperto.com.br/?id=24:banco-itau-personalite
  34. http://www.maisperto.com.br/index.php/mais-links/blogs/14-bancos/25-banco-itau-uniclass
  35. http://www.linkatual.net/itau-uniclass.html
  36. «Fitch Affirms Itau Asset Management's Ratings at 'Highest Standard'; Outlook Stable» (em inglês). Business Wire. 13 de novembro de 2015. Consultado em 22 de junho de 2016. Cópia arquivada em 16 de novembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons