Itaú de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itaú de Minas
Do alto, da esquerda para a direita: Igreja Nossa Senhora Aparecida; Praça da Matriz; Igreja Matriz Santa Terezinha do Menino Jesus; Praça Sagrada Família; Praça Nossa Senhora das Graças; Praça Monsenhor Ernesto Cavicchioli; Prefeitura Municipal; Avenida Engenheiro Manoel Batista; vista panorâmica; pôr do sol; uma das primeiras praças no pátio da antiga fábrica.

Do alto, da esquerda para a direita: Igreja Nossa Senhora Aparecida; Praça da Matriz; Igreja Matriz Santa Terezinha do Menino Jesus; Praça Sagrada Família; Praça Nossa Senhora das Graças; Praça Monsenhor Ernesto Cavicchioli; Prefeitura Municipal; Avenida Engenheiro Manoel Batista; vista panorâmica; pôr do sol; uma das primeiras praças no pátio da antiga fábrica.
Bandeira de Itaú de Minas
Brasão de Itaú de Minas
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 11 de setembro
Fundação 31 de dezembro de 1943 (72 anos)[1]
Emancipação 11 de setembro de 1987 (29 anos)
Gentílico itauense[2]
Padroeiro(a) Santa Terezinha do Menino Jesus[3]
CEP 37975-000
Prefeito(a) Norival Francisco de Lima[2] (DEM)
(2013–2016)
Localização
Localização de Itaú de Minas
Localização de Itaú de Minas em Minas Gerais
Itaú de Minas está localizado em: Brasil
Itaú de Minas
Localização de Itaú de Minas no Brasil
20° 44' 20" S 46° 45' 07" O20° 44' 20" S 46° 45' 07" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Unidade Territorial: 3110 - Sul/Sudoeste de Minas - MG IBGE/2015 [4]
Microrregião Unidade Territorial: 31047 - Passos - MG IBGE/2015 [5]
Municípios limítrofes Norte: Passos;
Leste: Passos;
Sul: Fortaleza de Minas;
Oeste: Cássia e Pratápolis.
Distância até a capital 363 km[6]
Características geográficas
Área 153,421 km² [2]
População 15 897 hab. (MG: 235º) –  Estimativa do IBGE/2015[2]
Densidade 103,62 hab./km²
Altitude 712 m
Clima Tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,776 (MG: 10º) – alto PNUD/2010[7]
PIB R$ 602 154 mil IBGE/2013[8]
PIB per capita R$ 38 368,44 IBGE/2013 (BR: 364º) [8]
Página oficial
Prefeitura http://www.itaudeminas.mg.gov.br/
Câmara http://www.camaraitaudeminas.mg.gov.br/

Itaú de Minas é um município brasileiro situado no sudoeste do estado de Minas Gerais, inicialmente denominado Córrego do Ferro.[9] Sua população estimada pelo IBGE para 1º de julho de 2015 era de 15 897 habitantes.[2]

Possui uma área de 150,90 km² e situa-se a 20°45'22" de latitude sul e 46°45'33" de longitude oeste, tem sua altitude máxima, de 1 095 m, na cabeceira do Córrego Tebas e a mínima, de 712 m, na foz do Rio Santana. A cidade é cortada por duas rodovias estaduais, a MG-050 e a MG-344, que interligam a Região Metropolitana de Belo Horizonte ao interior paulista. Está a 363 km da capital mineira,[10] a 375 km da cidade de São Paulo,[11] e a 145 km da cidade Ribeirão Preto (SP).[12]

Integra o Circuito Turístico Nascentes das Gerais, compreendendo a Serra da Canastra, região da nascente do Rio São Francisco, o Velho Chico. Situa-se a 50 km do Lago da Usina Hidrelétrica de Furnas, em uma região do estado mineiro, com cachoeiras, cânions, montanhas, além da paisagem natural da própria represa.[13]

História[editar | editar código-fonte]

A origem[editar | editar código-fonte]

Conforme o Historiador Antônio Grillo, em meados do século XIX, Joaquim Gomes de Souza Lemos, realizou um dos primeiros levantamentos referentes às divisas do município de Passos, referindo-se ao povoado do “Córrego do Ferro”. Entretanto, inventários anteriores ao levantamento supracitado e catalogados nos arquivos cartoriais passenses revelam que atividades de mineração de ferro já ocorriam naquela localidade e mencionam caminhos que passam pelo “Morro do Ferro, pelo Córrego do Ferro, Rio São João, Rio Santana” e outros.

Ainda na primeira metade do século XIX, os arraiais dos “Sertões do Jacuí” se consolidaram, evidenciando-se os caminhos que os ligavam, eis a origem do “Córrego do Ferro”.

Naquela época, buscavam-se itinerários com destino à vila “Desemboque”, notadamente o “Caminho do Desemboque”, roteiro de caravanas, sertanistas ou aventureiros que, ainda no século XVIII, a partir do Rio Sapucaí dirigiam-se àquela vila – do porto do Rio Claro cortavam pelo Vale do Itapiché e vinham sair nas Serras de Ventania; daí costeando-a, iam em direção a Jacuí (pelo sul) ou ao Desemboque (pelo norte), passando pelo Bonsucesso, Barra do São João, Quartel do Aterrado, Serra das Sete Voltas e finalmente, Desemboque.

Havia também o caminho que deixando Jacuí, seguia o curso do Santana (ou do São João, mais a leste) até chegar ao caminho anterior, rumando para o Desemboque. O certo é que neste caminho, na região fechada pelos rios São João e Santana, assumiram importância os vales dos pequenos ribeirões, como o da Prata e o Córrego do Ferro. Exauridas as alternativas de mineração de ouro na região, as atenções se voltavam para a busca da prata e, na ausência desta, de outros minérios, como o ferro, por exemplo. Os primeiros assentamentos estão atrelados a estas experiências, suscitando os povoados futuros.

A poucos quilômetros de Itaú, a fazenda Santana é testemunho daqueles tempos: tanto a Capela consagrada a Nossa Senhora da Santana, como o Cemitério, vinculam-se ao Morro do Ferro, ou a tentativas de mineração desenvolvidas ainda na primeira metade do século XIX.

O Córrego do Ferro é o desdobramento de tais atividades e foi o ponto de convergência não só da presença humana por meio de muitos mineradores e garimpeiros anônimos, como também das primeiras afazendagens de porte, como a dos Amorim, cujo estabelecimento mais notório é o de Pedro Quita, como ficou conhecido.

A mineração de Ferro, em princípio, não foi bem sucedida, terminando desestimulada. Ao passo que, jazidas calcárias aí descobertas se tornaram a precípua atividade econômica, favorecendo a fixação dos homens.

Junto à colônia da fazenda surgiram os estabelecimentos rudimentares das caieiras e logo, uma venda. Daí a origem do povoado que em todos os documentos tem o nome de Córrego do Ferro.

Também ao pesquisar as terras do atual município, foram encontrados resquícios de antigas fazendas com, aproximadamente, 150 anos, como a Fazenda São João, conhecida popularmente por Fazenda da Leocádia, propriedade de Antônio Felício Cintra, descendente português.

Percebe-se que nessas terras havia grande circulação de pessoas, muitos boiadeiros e, certamente, também muito dinheiro. E pela inexistência de agências bancárias, todo capital era mantido em cofres nas próprias residências.

Destarte, as primeiras habitações humanas nesta localidade ocorreram antes de 1900 – ainda no século XIX - pelos latifundiários e mineradores que arroteavam a região, expandindo suas riquezas e promovendo o advento de mais pessoas, ainda que os aludidos fatos careçam de riqueza de detalhes, haja vista a falta de alguns documentos comprobatórios, ocasionando a inexatidão das datas, e consequentemente, impossibilitando o estudo aprofundado dos conhecimentos.

A história de Itaú de Minas é, portanto, resgatada graças às documentações das antigas fazendas, a saber, as escrituras, e, principalmente, pelos relatos dos descendentes de habitantes que viveram neste povoado no início do século XX.

Poder Legislativo[editar | editar código-fonte]

1ª Legislatura 01/01/1989 a 31/12/1992 - Vereadores: Adalberto de Oliveira; Amilton Xavier; Antonio Augusto de Souza; Antonio Chaves de Oliveira; Antônio Nelson Correa; Deusdete Nazaré de Oliveira; José Daniel de Sousa; José Francisco Alves; Nélio dos Reis Amorim; Paulo Roberto de Oliveira; Rêmulo Dominiquini;

6ª Legislatura 01/01/2009 a 31/12/2012 - Vereadores: Antonio dos Reis Nunes (299 votos); Carlos Alberto de Souza (571 votos); Donizetti Antonio de Amorim (253 votos); Evandra Cintra Guiraldeli (321 votos); Francisco Rodrigues da Silva (256 votos); Geovan dos Santos (319 votos); Gilson Luiz da Silva (211 votos); Oberdan Faria (235 votos); Sandro Medice de Oliveira (253 votos);

Economia[editar | editar código-fonte]

A cidade sedia a fábrica de cimentos Itaú (CCPI - Companhia de Cimento Portland Itaú), a maior cimenteira do país, que hoje faz parte do grupo Votorantim.

A Unidade de Itaú de Minas é uma das maiores unidades fabris do grupo.

No que diz respeito a receitas e despesas orçamentárias, as receitas representam 53,4% dos valores e as despesas 46,6%.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Etnias[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Nº de pessoas Percentagem
Branca 11 409 76,34%
Parda 2 575 17,23%
Preta 876 5,86%
Amarela 79 0,53%
Indígena 5 0,03%

Fonte: IBGE – Censo 2010 [14]

Bioma[editar | editar código-fonte]

Cerrado e Mata Atlântica [1]

Administração[editar | editar código-fonte]

Depois de muitas controvérsias a presidente da Câmara Municipal de Itaú de Minas, Juliana Mattar (PTB) que tinha assumido durante sessão especial da casa, o cargo de prefeita da cidade acatando uma decisão da Justiça Eleitoral da Comarca de Pratápolis, deixa o cargo e através de liminar o cargo volta a Norival Francisco de Lima (DEM) .[carece de fontes?]

Referências

  1. «Histórico de Itaú de Minas». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 9 de março de 2016. 
  2. a b c d e «Informações completas sobre Itaú de Minas». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 9 de março de 2016. 
  3. «Itaú de Minas - História» (PDF). Prefeitura Municipal de Itaú de Minas. Consultado em 9 de março de 2016. 
  4. «Unidade Territorial: 3110 - Sul/Sudoeste de Minas - MG». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2015. Consultado em 9 de março de 2016. 
  5. «Unidade Territorial: 31047 - Passos - MG». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2015. Consultado em 9 de março de 2016. 
  6. «Distância entre Itaú de Minas e Belo Horizonte». Google Maps. Consultado em 9 de março de 2016. 
  7. «Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - IDHM». Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - IDHM. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2010. Consultado em 8 de março de 2016. 
  8. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 9 de março de 2016. 
  9. «Moradores revivem história de Itaú de Minas em filme gravado na cidade». G1 - Globo. Consultado em 9 de março de 2016. 
  10. «Distância entre Itaú de Minas e Belo Horizonte». Google Maps. Consultado em 9 de março de 2016. 
  11. «Distância entre Itaú de Minas e a cidade de São Paulo». Google Maps. Consultado em 9 de março de 2016. 
  12. «Distância entre Itaú de Minas e Ribeirão Preto». Google Maps. Consultado em 9 de março de 2016. 
  13. «Distância entre Itaú de Minas e Usina Hidrelétrica de Furnas». Google Maps. Consultado em 9 de março de 2016. 
  14. «Tabela 136 - População residente, por cor ou raça». IBGE. Censo 2010. 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.