Arraias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Arraias
  Município do Brasil  
Hino
Apelido(s) "Cidade das Colinas"
Gentílico arraiano
Localização
Localização de Arraias no Tocantins
Localização de Arraias no Tocantins
Arraias está localizado em: Brasil
Arraias
Localização de Arraias no Brasil
Mapa de Arraias
Coordenadas 12° 55' 51" S 46° 56' 16" O
País Brasil
Unidade federativa Tocantins
Distância até a capital 342 km
História
Fundação 1740 (279 anos)
Aniversário 1 de agosto
Administração
Prefeito(a) Antônio Wagner Barbosa Gentil (PSD, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 5 786,844 km²
População total (IBGE/2010[2]) 11 551 hab.
 • Posição TO: 24º
Densidade 2 hab./km²
Clima Clima tropical com estação seca (Aw)
Altitude [3] 722,40 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [4]) 0,685 médio
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 93 657,177 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 8 570,39
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora dos Remédios

Arraias é um município brasileiro do estado do Tocantins. Possui uma área de 5419,9 km² e localiza-se a uma latitude 12º55'53" sul e a uma longitude 46º56'18" oeste. É a cidade mais alta do estado do Tocantins e a segunda cidade mais alta de toda a Região Norte do Brasil, estando situada a uma altitude média de 722,40 metros. Arraias é também a cidade mais fria do Tocantins e uma das mais frias de toda a Região Norte do país.[3] Sua população estimada em 2004 era de 10 970 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Nascida no período áureo da mineração no Brasil, a cidade também atendia às demandas por metais preciosos, mais especificamente por ouro e prata, no período colonial. Essa exploração aconteceu concomitantemente com a da cidade de Goiás, mais conhecida como Goiás-Velho, antiga capital do estado de Goiás.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localizada no sudeste do estado do Tocantins, é conhecida como "Cidade das Colinas", pois está cercada por muitas destas formações. Com seus 722,40 metros de altitude média, Arraias é a cidade mais alta do estado do Tocantins e a segunda cidade mais alta da Região Norte do Brasil, sendo superada apenas pelo município de Pacaraima (RR). Apesar de Arraias ser a cidade com a maior altitude média do Tocantins, há alguns bairros (ou setores) da cidade de Dianópolis que são mais altos do que a parte mais baixa da cidade. O Setor Buritizinho, localizado na parte noroeste da cidade, é o bairro mais alto de todo o estado. Considerando-se todas as localidades da Região Norte do Brasil, há no entanto algumas aldeias indígenas e povoados que são ainda mais altos do que Arraias e Pacaraima (RR), inclusive no estado do Tocantins (Povoado Baliza, em Paranã).[3]

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

Na arquitetura do município predomina o estilo colonial português. Nas casas mais antigas, pode-se encontrar as iniciais dos patriarcas das famílias que as construíram e o ano em que foram construídas.

Turismo[editar | editar código-fonte]

O município tem um grande potencial turístico, ainda inexplorado. Locais como a Gruta da Fazenda Furnas, as ruínas da Chapada dos Negros, eventos religiosos, o carnaval "inocente" e um contato muito forte com quilombolas, além dos jarros brancos de artesanato típicos de Arraias ainda não despertaram o interesse de empresários que possam alavancar o desenvolvimento da região.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  3. a b c «Cadastro de Localidades Brasileiras Selecionadas» (MDB). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 8 de junho de 2018 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010