Itaitinga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itaitinga
Igreja de Santo Antônio

Igreja de Santo Antônio
Bandeira de Itaitinga
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 27 de março
Fundação 27 de março de 1992 (25 anos)
Gentílico itaitinguense
Padroeiro(a) Santo Antônio
Prefeito(a) Abel Cercelino Rangel Júnior (PMDB)
Localização
Localização de Itaitinga
Localização de Itaitinga no Ceará
Itaitinga está localizado em: Brasil
Itaitinga
Localização de Itaitinga no Brasil
03° 58' 08" S 38° 31' 40" O03° 58' 08" S 38° 31' 40" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Metropolitana de Fortaleza IBGE/2008[1]
Microrregião Fortaleza IBGE/2008[1]
Região metropolitana Região Metropolitana de Fortaleza
Municípios limítrofes Norte: Fortaleza e Eusébio, Leste: Aquiraz, Sul: Horizonte e Guaiúba, Oeste: Pacatuba
Distância até a capital 32 km
Características geográficas
Área 151,633 km² [2]
População 39 310 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 259,24 hab./km²
Altitude 67 m
Clima Tropical quente sub-úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,626 médio IBGE/2010[4]
PIB R$ 305 858,000 mil IBGE/2013[5]
PIB per capita R$ 8 943,70 IBGE/2013[5]
Página oficial

Itaitinga é um município brasileiro do estado do Ceará, pertencente a Região Metropolitana de Fortaleza, sendo contígua à capital cearense. A cidade desenvolveu-se às margens da BR 116, no nordeste do Brasil. A toponímia Itaitinga é uma aglutinação de prefixos provenientes do Tupi Guarani: Itá = Pedra + y = rio + tinga = branco, Riacho das Pedras Brancas.[6].

Está localizada às margens da BR 116, a uma altitude média de 67 m, 151,633 km²[2] de área e 39.310 habitantes[7]. É a 50ª cidade mais populosa do estado do Ceará e a 941ª mais populosa do Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

BR 116: Fortaleza-Sul do Brasil.

As terras as margens do rio Coaçu eram habitadas por etnias indígenas, tais como os Pitaguary e Jenipapos-canindés[8],[9].

Um distrito criado com a denominação de Cajazeiras, por ato estadual de 07/07/1917, subordinado município de União. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Cajazeiras permanece no município de Pacatuba.

As terras ao redor de Gereraú (um distrito às margens da antiga estrada Messejana-Pacatuba ou Estrada Itaitinga-Carapió) tiveram a sua história mudada com a construção da BR 116 nos anos 30 do Século XX.

Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31/12/1936 e 31/12/1937. Pelo decreto estadual nº 448, de 20/12/1938, o distrito de Cajazeiras passou a denominar-se Pedreiras. No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o distrito Pedreiras ex-Cajazeiras, figura no município de Pacatuba. Pelo Decreto-lei Estadual nº 1114, de 30/12/1943, o distrito de Pedreiras passou a denominar-se Itapó.

O Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER), agora Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) estruturou ao lado leste da serra local residência para os engenheiros da obra, e uma pedreira para a retirada de brita, que serviria para os alicerces da estrada.

Nos anos 60 e anos 70 do século XX, a antiga Estrada Itaitinga-Carapió, atual Rodovia Edson Queiroz (CE-350) que liga Itaitinga a Pacatuba (Ceará), teve boa parte do seu percurso inundado pelas águas dos açudes que abasteceriam Fortaleza, como: Açude Gavião e Açude Pacoti/Riachão.

Em divisão territorial datada de 01/07/1960, o distrito de Itapó figura no município de Pacatuba. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 17/01/1991.

Das tribos indígenas, da residência do DNER, do extrativismo, da construção dos Açude Gavião e Açude Pacoti/Riachão surgiu Itaitinga que que foi elevada a categoria de cidade pela Lei Estadual nº 11927 de 27 de março de 1992 (assinada pelo Governador Ciro Gomes), com território desmembrado de Pacatuba.[10]

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical quente sub-úmido com pluviometria média de 1.416,4 mm [11] com chuvas concentradas de Janeiro à Junho.[12].

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de água fazem parte da bacia dos rios: Cocó e Pacoti, sendo elas os riachos Coaçu, Riachão, Riachuí, Traiara, Itapeba, Água Fria, Mata Fresca, Guaiuba. Existem ainda diversos lagoas tais como: Carápio, Lagoa de Dentro, Caracanga, Cajueiro, Gereraú, Taveira, Tamboatá e Lagoa do Centro.

Boa parte das terras de Itaitinga são inundadas pelas águas dos açudes: Gavião e Pacoti/Riachão[13],[14]

Relevo[editar | editar código-fonte]

Serra de Itaitinga.

As terras de Itaitinga são formadas por tabuleiros pré-litorâneos: são descritos como feições geomorfológicas e ambientais não deformadas. Esta unidade apresenta a mais típica superfície de agradação do território cearense; superfícies sertanejas e maciços residuais: formam uma vertente íngreme.
As principais elevações possuem altitudes inferiores a 200 metros acima do nível do mar. Os solos da região são Podzólicos Vermelho-Amarelos: são solos minerais, não hidromórficos, com horizontes B textural, de cor vermelho-amarelada e distinta diferenciação entre os horizontes no tocante a cor, estrutura e textura, principalmente. São solos bastante susceptíveis à erosão, sobretudo quando há maior diferença de textura do A para o B, presença de cascalhos e relevo mais movimentado com fortes declividades.[15].

Destaque para a Serra de Itaitinga vista de vários pontos da cidade, tem aproximadamente 227m, sendo o ponto mais alto.[16]

Bioma[editar | editar código-fonte]

Vegetação típica de caatinga.

A vegetação predominante é Caatinga. As plantas deste bioma são xerófilas, ou seja, adaptadas ao clima seco e à pouca quantidade de água. Algumas armazenam água, outras possuem raízes superficiais para captar o máximo de água das chuvas. E há as que contam com recursos para diminuir a transpiração, como espinhos e poucas folhas.

A vegetação é formada por três estratos: o arbóreo, com árvores de 8 a 12m de altura; o arbustivo, com vegetação de 2 a 5m; e o herbáceo, abaixo de 2m. Entre as espécies mais comuns estão a amburana, o umbuzeiro e o mandacaru. Algumas dessas plantas podem produzir cera, fibra, óleo vegetal e, principalmente, frutas.[17].

Ainda fazem parte da vegetação o Complexo Vegetacional da Zona Litorânea, Floresta Subperenifólia Tropical Pluvio-Nebular e Floresta Subcaducifólia Tropical Pluvial[18].

E a fauna é composta por répteis (principalmente lagartos e cobras), roedores, insetos, aracnídeos, cachorro-do-mato, sapo-cururu, asa-branca, cutia, gambá, preá, tatupeba, sagui-do-nordeste, entre outros animais.[17].

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

O município é composto de dois distritos: Sede e Gereraú[19].

Aspectos Sociais[editar | editar código-fonte]

A maior concentração populacional encontra-se na zona rural. O município dispõe de abastecimento de água, fornecimento de energia elétrica, serviço telefônico, agência de correios, serviços bancários, hospital, e ensino fundamental e médio.[18]

O acesso ao município pode ser feito via Fortaleza através da Rodovia BR 116; e via Pacatuba pela Rodovia Edson Queiroz (CE 350). Os demais lugarejos, sítios e fazendas são acessíveis através de estradas asfaltadas, de calçamento e carroçáveis.[20].

Economia[editar | editar código-fonte]

Locação de extração de rochas.

A economia local é baseada na mineração, na extração de rochas ornamentais, brita, placas para fachadas e usos diversos na construção civil; a extração de areia e argila (utilizada na fabricação de telhas, tijolos), bem como extração de rocha calcária.

No comércio varejista há supermercados, farmácias, depósitos de construção, lojas de roupas, boutiques, frigoríficos, lojas de móveis e eletrodomésticos e eletrônicos, mercadinhos, mercearias, padarias, lojas de variedades, lanchonetes e restaurantes.

Nos serviços há salões de beleza, locadoras, oficinas mecânicas, academias, borracharias, técnicos em eletrônicos, vendedores ambulantes, costureiras e botecos.

Na agricultura destacam-se as culturas de subsistência de feijão, milho, mandioca e algodão. Na pecuária: bovino, suíno e avícola.
O extrativismo vegetal também é fonte de renda e destaca-se no fabricação de carvão, extração de madeiras diversas para lenha e construção de cercas.[21]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Os principais eventos culturais:

  • Carnaval;
  • Festejos de São José - Padroeiro do Estado em 19 de março;
  • Aniversário do Município em 27 de março;
  • Festejos de Santo Antônio e a Festa do Pau da Bandeira - 1º à 13 de junho;
  • Desfile Cívico das Escolas pelas ruas em setembro.

Política[editar | editar código-fonte]

A Prefeitura Municipal localiza-se na sede: Itaitinga, situado na Avenida Coronel Virgílio Távora, 1710 – Antônio Miguel. Contato: (85) 3377 2616[16].

A Câmara Municipal localiza-se na sede: Itaitinga, situado na Rua João Ferreira Viana, 325 – Centro[16]. [19].

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. a b IBGE (16 de setembro de 2016). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE). Consultado em 16 de setembro de 2016 
  3. «Censo Populacional 2016». Censo Populacional 2016. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 16 de setembro de 2016. Consultado em 16 de setembro de 2016 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IDHM). 2010. Consultado em 16 de setembro de 2016 
  5. a b «produto interno bruto dos municípios - 2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 16 de setembro de 2016 
  6. «Página do IBGE» (PDF). Consultado em 10 de julho de 2011 
  7. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome IBGE_Pop_2017
  8. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  9. Aragão, R. B, Índios do Ceará e Topônimios Índigenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994
  10. IBGE (14 de dezembro de 2009). «Itaitinga Ceará - CE Histórico» (PDF). Consultado em 6 de janeiro de 2013 
  11. Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos - FUNCEME.
  12. Instituto nacional de Pesquisa espacial - INPE.
  13. «Página do CPRM» 
  14. «Atlas do Ceará». Consultado em 10 de julho de 2011 
  15. http://www.cientec.net/cientec/InformacoesTecnicas_Irriga/Solo_PrincClasses_09.asp
  16. «Página do CPRM». Consultado em 10 de julho de 2010 
  17. a b http://www.brasilescola.com/brasil/caatinga.htm
  18. a b «Página do CPRM». Consultado em 10 de julho de 2011 
  19. a b «Página do IBGE» (PDF). Consultado em 10 de julho de 2011 
  20. «Página do DER». Consultado em 10 de julho de 2011 
  21. «Página do Ceará». 2000. Consultado em 10 de julho de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.