Senador Pompeu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o político, veja Tomás Pompeu de Sousa Brasil.
Município de Senador Pompeu
"Senador"
Bandeira indisponível
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Fundação 3 de setembro de 1896 (122 anos)
Gentílico senador pompeuense ou senadorense
Prefeito(a) Antonio Maurício Pinheiro Jucá (PDT)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Senador Pompeu
Localização de Senador Pompeu no Ceará
Senador Pompeu está localizado em: Brasil
Senador Pompeu
Localização de Senador Pompeu no Brasil
05° 35' 16" S 39° 22' 19" O05° 35' 16" S 39° 22' 19" O
Unidade federativa Ceará
Mesorregião Sertões Cearenses IBGE/2008 [1]
Microrregião Sertão de Senador Pompeu IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Norte: Quixeramobim, Leste: Milhã, Sul: Dep. Irapuan Pinheiro, Piquet carneiro e Mombaça, Oeste: Pedra Branca
Distância até a capital 273 km
Características geográficas
Área 1 002,127 km² [2]
População 26 494 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 26,44 hab./km²
Altitude 184 m
Clima tropical semi-árido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,618 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 108 182,959 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 315,41 IBGE/2008[5]

Senador Pompeu é um município do estado do Ceará, Brasil.

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

Em 1896 Senador Pompeu emancipou-se político administrativamente de Maria Pereira, atual Mombaça, sendo elevado à categoria de vila. Em 1901 foi elevado à categoria de cidade. Em 1897 foi criado o primeiro distrito: Miguel Calmon. Em 1913 mais um distrito: Troia. Em 1931 Senador Pompeu anexou o extinto município de Pedra Branca, pois o mesmo não pôde ser instalado. Em 1933 é criado o distrito de Girau. Em 1935 Pedra Branca se emancipa de Senador Pompeu e anexa o distrito de Troia. Em 1938, o distrito Girau mudou o nome para Piquet Carneiro. Em 1943 o distrito Miguel Calmon muda o nome para Ibicuã. Em 1951 são criados dois distritos: Engenheiro José Lopes e São Joaquim do Salgado. Em 1957 Piquet Carneiro se emancipa de Senador Pompeu, e anexa o distrito pompeuense Ibicuã. Em 1987 são criados mais dois distritos: Bonfim e Codia.[6]

Atualmente Senador Pompeu possui 5 distritos:

  1. Bonfim;
  2. Codiá;
  3. Engenheiro José Lopes;
  4. São Joaquim do Salgado;
  5. Senador Pompeu (distrito-sede).

História[editar | editar código-fonte]

Senador Pompeu emancipou-se politicamente pela lei estadual nº 332 de 3 de setembro de 1896, com território desmembrado de Maria Pereira, atual Mombaça, e recebeu status de município em 1901.[7]

Devido a infraestrutura ferroviária e localização central, Senador Pompeu, foi uma das cidades cearenses na qual foi instalado um dos Campos de Concentração no Ceará (ou mais conhecidos como os currais do governo) durante a seca de 1932.

O Município de Senador Pompeu conta atualmente com 4 distritos: Engenheiro José Lopes, São Joaquim do Salgado, Codiá e Bonfim.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se na Microrregião do Sertão de Senador Pompeu, mesorregião dos Sertões Cearenses,

Relevo[editar | editar código-fonte]

Com altitude média, em relação ao nível do mar, de 177 metros, sua mais alta serra é a do Patu, um verdadeiro símbolo municipal.

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

Está situado na bacia hidrográfica do Banabuiú, tem com principais rios: rio Banabuiú e rio Patu, e outro riachos. Além do Açude Patu.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é tropical semi-árido com chuvas concentradas de fevereiro a abril. O índice pluviométrico médio anual é de 730 mm.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Sua vegetação típica é a caatinga.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Em 2010 o município tinha 26.469, sendo que em 2003 a população era maior com 27.243 habitantes, sendo que cerca de 59% residente em zona urbana e 41% na zona rural (1999). Em 1996, mais de 30% de sua população situava-se na faixa etária de 05 a 19 anos. Tendo o total, em 1996, de 6.161 domicílios.

Educação, cultura e turismo[editar | editar código-fonte]

O município contava com o Campus Avançado do Sertão Central - CASC, que funcionava como extensão da Universidade Estadual do Ceará - UECE, oferecendo cursos de licenciatura plena em Letras, História e Ciências Exatas, mas que por descaso do poder público foi fechado e está abandonado e depredado. Cerca de 13% da população é analfabeta e menos de 0,5% concluiu nível superior (dados do ano 2000).

A cidade possui uma biblioteca, um teatro simples, pertencente à igreja, havia um museu, que foi destruído por vândalos.

A produção cultural é viva e intensa. Sendo uma das cidades que mais se destacam no sertão central e no Estado do Ceará. Há vários grupos de dança de quadrilha, artesões, artistas plásticos, escritores, grupos teatrais, dramaturgos, produtores de trabalhos audiovisuais.

Uma das atrações turísticas é a ponte ferroviária, uma ponte trazida da Inglaterra, e a estação ferroviária.

Outra atração turística, de cunho religiosa, é a Caminhada da Seca. Uma romaria anual, que há 26 anos acontece em homenagem as vítimas do Campo de Concentração. Esta inicia-se na Igreja de Nossa Senhora das Dores e encerra-se no cemitério da Barragem do Patu.

Dólmen[editar | editar código-fonte]

No dia 22 de setembro de 2012 foi descoberto pelo pesquisador Valdecy Alves na localidade de Pedras Grandes próximo a Serra do Patu, um sítio pré-histórico com um monumento megalítico mais conhecido como Dólmen, no Brasil só existiam até o momento dois monumentos do período neolítico um em Paramirim, Bahia e outro em Anicuns, Goiás.[8]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE; IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  6. http://www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun=231270&search=ceara%7Csenador-pompeu
  7. «Senador Pompeu Ceará - CE Histórico» (PDF). IBGE. 14 de dezembro de 2009. Consultado em 13 de abril de 2013. 
  8. «Monumentos pré-históricos tornam-se mitos no sertão». Diário do Nordeste. 30 de setembro de 2012. Consultado em 9 de maio de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.