Farias Brito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Farias Brito (Ceará))
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o filósofo, veja Raimundo de Farias Brito.
Disambig grey.svg Nota: Para a escola, veja Organização Educacional Farias Brito.
Município de Farias Brito
"A Capital da Cal"
Praça Ricardo Nergino

Praça Ricardo Nergino
Bandeira de Farias Brito
Brasão de Farias Brito
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 20 de dezembro
Fundação 13 de outubro de 1890 (125 anos)
Emancipação 30 de dezembro de 1936 (79 anos)
Gentílico fariasbritense
Lema Ainda Melhor
Prefeito(a) José Vandevelder Freitas Francelino (PC do B)
(2013–2016)
Localização
Localização de Farias Brito
Localização de Farias Brito no Ceará
Farias Brito está localizado em: Brasil
Farias Brito
Localização de Farias Brito no Brasil
06° 55' 38" S 39° 34' 22" O06° 55' 38" S 39° 34' 22" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Sul Cearense IBGE/2008 [1]
Microrregião Caririaçu IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Cariri
Municípios limítrofes Crato, Caririaçu, Várzea Alegre, Cariús, Tarrafas, Assaré, Altaneira, Nova Olinda
Distância até a capital 475 km
Características geográficas
Área 503,622 km² [2]
População 18 861 hab. IBGE/2015[3]
Densidade 37,45 hab./km²
Altitude 320 m
Clima Tropical semiárido brando
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,633 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 83 741 mil IBGE/2011[5]
PIB per capita R$ 4 423,24 IBGE/2011[5]
Página oficial

Farias Brito é um município da microrregião de Caririaçu, no estado do Ceará, no Brasil. Sua população estimada em 2015 era de 18 861 habitantes. Localiza-se na Região Metropolitana do Cariri.

História[editar | editar código-fonte]

A área geográfica onde se localiza o atual município de Farias Brito foi, antigamente, campo de atividade da tribo indígena dos Cariús, que habitava grande parte da zona sul do Ceará e sertão pernambucano.

O início da colonização do Antigo Quixará está fortemente ligado à concessão de Sesmarias no final do século XVII e início do século XVIII, uma ocupação marcada pelo conflito entre os povos indígenas que aqui viviam desde os tempos mais longínquos e os brancos europeus.

Em harmonia com o que acontecia em toda a Capitania do Ceará foram concedidas sesmarias que doavam três léguas de comprimento e duas de largura às margens do Rio Cariús

Registro da crônica histórica dá conta que um dos vultos marcantes da formação da comuna foi o coronel Francisco Gomes de Oliveira Braga, chefe político muito influente, que conseguiu que fosse, o povoado, elevado à categoria de vila em 1890.

O distrito foi criado por ato de 22 de julho de 1873 e pela lei provincial n° 2 042 de novembro de 1883, com a denominação de Quixará. Foi elevado à categoria de vila pelo decreto estadual nº 82, de 13 de outubro de 1890, desmembrado de Assaré. Por lei estadual nº 1 794, de 1920, é extinto a vila de Quixará, sendo seu território anexado ao município de Santana do Cariri. Em 26 de julho de 1926, o distrito de Quixará deixa de pertencer ao município de Santana do Cariri, para ser anexado ao município de Crato.

Pelo decreto estadual nº 193, de 20 de maio de 1931, o distrito de Quixará deixa de pertencer ao município de Crato, sendo incorporado ao município de São Mateus. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Quixará, volta a pertencer ao município de Crato.

Elevado novamente à categoria de município com a denominação de Quixará, pela lei nº 268, de 30 de dezembro de 1936, desmembrado de Crato. Pela lei estadual nº 2 194, de 15 de dezembro de 1953, o município de Quixará passou a denominar-se Farias Brito. O nome Farias Brito é em homenagem ao filósofo Raimundo de Farias Brito.

Economia[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de renda dos munícipes são a produção agrícola, o funcionalismo público e o comércio local.

Eventos[editar | editar código-fonte]

Vaquejada de Farias Brito

No mês de fevereiro, ocorre o carnaval. O principal bloco carnavalesco é o Bloco da Virgens. Também existem outros blocos, como o Bloco dos Fuleiros e o Amor Amil.

No mês de maio, temos o Festival de Violeiros, que atrai vários cantores, trovadores e repentistas da região.

No mês de junho, temos o Festival de Quadrilhas, em que cada escola do município mostra suas quadrilhas.

Em agosto, temos a Vaquejada do Sítio Patarábia.

Em setembro, temos a Vaquejada do Parque Silva Antero, que é a maior festa deste município. A festa conta com vários cantores e bandas, além de mostras agropecuárias.

No dia 8 de dezembro, acontece a festa da padroeira do município, Nossa Senhora da Conceição.

No dia 20 de dezembro, temos a festa de Emancipação Política.

Distritos[editar | editar código-fonte]

O município é dividido em quatro distritos: Farias Brito (sede), Cariutaba, Nova Betânia e Quincuncá.

Estátua do Padre Cícero[editar | editar código-fonte]

Vista de cima do Pontal do Padre Cícero

O Pontal do Padre Cícero, como passou a ser conhecido o local, é um mirante na Serra do Quincuncá, distante apenas 4 Km do centro urbano da cidade. O lugar é lindo. A vista do Vale do Cariri é encantadora.

No final da década de 1970, o alto da ladeira recebeu uma estátua encomendada pelo ex-prefeito João Antero da Silva, transformando-se em local de festivas romarias, ocorridas sempre no dia 20 de cada mês, dia da morte do Padre Cícero. Nessas manifestações de fé, muitos romeiros chegavam entoando benditos, enquanto outros acendiam velas ou queimavam fogos que eram ouvidos de localidades bem distantes.

Já na década de 1980, ocorreram também missas celebradas pelo então vigário de Farias Brito, padre José Wilton Leite. O espaço utilizado pelos devotos ficava repleto de gente, caminhonetes e caminhões.

A partir da chegada do padre Adalmiran Vasconcelos à paróquia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição a participação dos católicos nas celebrações litúrgicas cresceu significativamente. Não tardou para que o sacerdote percebesse a importância das peregrinações quase que diária à serra.

Desde 2013, missas passaram a ser celebradas regularmente no dia 20 de cada mês, em homenagem ao Padre Cícero que morreu no dia 20 de julho de 1934.[6]

Lenda[editar | editar código-fonte]

Estátua do Padre Cícero na Serra do Quincuncá

A escolha do local para erguer a estátua tem uma suposta origem mística, relacionada com a lenda da Pedra da Batateira, uma maldição que teria sido deixada pelos índios cariris. Segundo ela, um dia a Pedra da Batateira será deslocada e o Cariri será inundado pelas águas que jorram da fonte.

No início do século XX, o Padre Cícero foi à Serra do Quincuncá, atendendo a um convite de moradores do povoado de Araticum, hoje Quincuncá. O motivo dessa visita sacerdotal era escolher e benzer o terreno do futuro cemitério local.

Voltando ao Araticum, Padre Cícero teria parado no alto da ladeira para descansar um pouco e, refletindo sobre a geografia da região, concluiu algo importante. Uma vez afundada a Pedra da Batateira e inundadas todas as áreas baixas, a Colina do Horto, mais tarde transformada em santuário religioso de Juazeiro do Norte, seria um bom porto. Já a Serra do Quincuncá, no município de Farias Brito, seria outro.[7]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Como equipamentos culturais na cidade, temos:

  • Centro Cultural Maria Marieta Pereira Gomes, onde funciona a Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude , o Memorial Maria Leite de Almeida e a Banda de Música Municipal Padre David Moreira,
  • No Centro da cidade, fica localizada a Associação Cultural Curumins do Sertão, onde funcionam, também, a Casa de Arte e Cultura Rosemberg Cariry, o Ponto de Cultura Meninada no Palco e a Companhia de Teatro Curumins do Sertão e o Museu Nosso Quixará.
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Farias Brito

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (21 dez. 2015). «Área territorial oficial». Consultado em 7 jan. 2016. 
  3. «Censo Populacional 2015». Censo Populacional 2015. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 21 de dezembro de 2015. Consultado em 07 de janeiro de 2016. 
  4. «IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 20 de dezembro de 2013. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2011». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 20 dez. 2013. 
  6. «Pontal do Padre Cícero atrai devotos». 
  7. «Colina do Horto tem réplica em Quincuncá - Regional - Diário do Nordeste». Diário do Nordeste. Consultado em 2015-07-24. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.