Aurora (Ceará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Aurora, veja Aurora.
Município de Aurora
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 10 de novembro
Fundação 1883 (134 anos)
Gentílico aurorense
Prefeito(a) João Antônio de Macêdo Júnior (PR)
(2017–2020)
Localização
Localização de Aurora
Localização de Aurora no Ceará
Aurora está localizado em: Brasil
Aurora
Localização de Aurora no Brasil
06° 56' 34" S 38° 58' 04" O06° 56' 34" S 38° 58' 04" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Sul Cearense IBGE/2008[1]
Microrregião Barro IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Norte: Lavras da Mangabeira e Ipaumirim;
Sul: Barro, Milagres e Missão Velha;
Leste: Cachoeira dos Índios (Paraíba);
Oeste: Caririaçu.
Distância até a capital 476 km
Características geográficas
Área 885,827 km² [2]
População 24 573 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 27,74 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,613 médio PNUD/2000[4]
PIB R$ 81 587,687 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 245,08 IBGE/2008[5]
Página oficial

Aurora é um município do estado brasileiro do estado do Ceará, a 283 metros acima do nível do mar. Está situado na mesorregião do Sul Cearense, microrregião de Barro, região político-administrativo do Cariri.

Segundo a estimativa 2014, o município de Aurora tem uma população de 24.658 habitantes o que representa um acréscimo de 0,37% em relação ao censo de 2010 que mostrava o município com uma população de aproximadamente 24.566 habitantes, onde cerca de 52% da população à época vivia na zona rural.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Aurora vem do português aurora e significa amanhecer. Sua denominação original era Venda, depois Aurora Velha, Aurora Nova e, desde 1883, Aurora.

História[editar | editar código-fonte]

As terras às margens do rio Salgado eram habitadas por diversas etnias indígenas, entre elas os Caryri e os [6] os Guariú.[7]

No século XVIII, a chegada das entradas no interior brasileiro, as notícias que na região tinha ouro em abundância, desencadeou uma verdadeira corrida para os sertões brasileiros, onde famílias oriundas de Portugal, sonhando com as riquezas de terras inexploradas e com a esperança de encontrar o minério, que as levariam a aumentar o seu patrimônio material, além de aumentar o seu prestigio pessoal com a corte portuguesa.

Estação ferroviária de Aurora durante a chegada de seu primeiro trem inaugural, em 7 de setembro de 1920.

A busca do metal precioso, nas ribanceiras do rio Salgado, trouxe para a região do Sertão do Cariri, a colonização. Em consequência, a doação de sesmarias, o que permitiu o surgimento de lugarejos, vilas, sítios e fazendas. Uma dessas propriedades rurais, a Fazenda Logradouro ou Sítio Venda ou na Venda do Rio Salgado, do coronel Antonio Lopes de Andrade (primeiro Comandante do Corpo de Cavalaria da Vila Real do Crato) e sua consorte Arcângela Maria, foi adquirida, no último quartel do século XIX, pelo padre Antônio Leite de Oliveira.

No seu Sitio da Venda, o padre Antônio Leite de Oliveira manteve uma casa-de-oração ou Oratório, onde celebrava-se cerimonias religiosas. Em torno do Oratório da Venda ou Capela do Menino Deus da Fazenda Logradouro, se nucleou e se desenvolveu a cidade de Aurora-Ce, que pertenceu à jurisdição de Lavras da Mangabeira, até 1813, quando se erigiu em freguesia autônoma.

Com a expansão da pecuária no Ceará, Aurora fixou-se como um núcleo urbano e entreposto comercial, entre o Cariri e os Inhamuns.[8]

Com chegada da linha da Rede de Viação Cearense, em 1920, Aurora ganha e esta fortalece sua posição como núcleo urbano e entreposto comercial.[9]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical quente semi-árido com pluviometria média de 636,7 mm[10] com chuvas concentradas de janeiro a abril.[11]

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de água de Aurora fazem parte da bacia do rio Salgado, tendo como principais afluentes os riachos da Jitirana, Pau Branco, Tipi, dos Cavalos, do Juiz, Olho d'Água, Jenipapeiro e do Jenipapeiro de Cima (já divisa com o município de Missão Velha). Outra fonte de água é Açude da Cachoeira.[12]

Relevo e solos[editar | editar código-fonte]

Situado ao lado leste da Chapada do Araripe, possui dois tipos principais de solo: latossolo e sedimentar. As principais elevações são: serras: Várzea Grande, Tarrafa; serrotes: Brandão, Frade.

Já a bacia sedimentar se caracteriza por formar aquíferos, existem várias fontes de água espalhadas por toda a área da chapada.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação é bastante diversificada, apresentando domínios de cerradão (tipo predominante), caatinga e cerrado.

Distritos e bairros[editar | editar código-fonte]

O município tem quatro distritos: Aurora (sede), Ingazeiras, Santa Vitória e Tipi.[8]

A sede do município de Aurora conta atualmente com nove bairros: Centro, Araçá, José Fernandes Campos (Conjunto Habitat - CNEC), José Freire do Amaral (Vila Freire), José Leite de Figueiredo - Zezé da Cruz (Alto da Cruz), Padre Mororó, Recreio, São Benedito (Aurora Velha) e Vila Paulo Gonçalves.

Economia[editar | editar código-fonte]

Sua economia baseia-se em produtos agrícolas: algodão arbóreo e herbáceo, banana, cana-de-açúcar, milho e feijão, além da dinâmica e afluente apicultura.

Agropecuária – rebanhos: bovinos e suínos; criação de aves.

Minério: ocorrência de jazidas de amianto, utilizado na indústria química, principalmente como material filtrante. Foi localizado também outro minério de grande valor econômico, a malaquita, fonte de obtenção de cobre.

Comércio e Serviços - O Município apresenta um sólido e crescente comércio, onde merece destaque o setor moveleiro que apresenta uma das maiores redes comerciais de toda a região, além disso ao longo da última década o município vem passando por um processo de grande especulação e valorização imobiliária. Ainda de acordo com informações do IBGE, o município de Aurora contava em 2012 com 248 empresas registradas, sendo a grande maioria constituída de microempresas. Juntas as citadas empresas mantinham 907 pessoas assalariadas e um total de 1134 pessoas ocupadas junto as atividades desempenhadas pelas referidas empresas.

Educação e cultura[editar | editar código-fonte]

Eventos culturais[editar | editar código-fonte]

Os principais eventos culturais são:

  • Carnaval de Rua
  • Encenação da Via Sacra (Páscoa),
  • Joias do Ano (Premiação dos Melhores profissionais de Aurora), acontece sempre em março,
  • SEMA - Semana de Educação Musical de Aurora (Julho),
  • Festa dos Filhos e Amigos de Aurora (AFA), realizada no mês de Julho,
  • Festa de Aniversário da Eletrolar, realizada no mês de agosto,
  • Semana da Pátria (01 a 09/setembro),
  • Semana do Município (novembro),
  • Semana do Padroeiro - Menino Deus(14 a 25/dezembro),
  • Réveillon

Escolas[editar | editar código-fonte]

Atualmente o município de Aurora conta com quatro escolas estaduais, são elas:

  • E.E.E.P Leopoldina Gonçalves Quezado, escola profissionalizante de tempo integral
  • E.E.F.M Monsenhor Vicente Bezerra, a mais antiga de toda a região do Cariri Cearense
  • E.E.F.M Tabelião José Pinto Quezado
  • E.E.F.M Padre Cícero (Ingazeiras)

O município conta ainda com várias escolas municipais na sede, distritos e zona rural. As escolas municipais da sede são:

  • E.E.I.F Antonio Landim de Macedo
  • E.E.I.F Romão Sabiá

Outros educandários do município são:

  • Escola Paroquial Sr. Menino Deus (particular)
  • Escola Turma da Mônica (particular)
  • Escola Primavera (particular)

Política[editar | editar código-fonte]

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

  1. Manoel Leite de Oliveira (1885 a 1899)
  2. Antônio Leite de Oliveira (1899 a 1904)
  3. Antônio Leite Teixeira Neto (1904 a 1908)
  4. Cândido Ribeiro Campos (1908 a 1914 / 1921 a 1926)
  5. Manoel Teixeira Leite (1914 a 1919)
  6. Antônio Landim de Macedo (1919 a 1921)
  7. José Gonçalves Leite (1926 a 1928 / 1956 a 1960)
  8. Paulo Gonçalves Ferreira (1935 a 1942)
  9. Raimundo R. Correia Lima (1942 a 1944)
  10. Antônio Temístocles de Oliveira (1944 a 1945)
  11. Paulo Leite Teixeira (1945 a 1947)
  12. Antônio Jaime Araripe (1947 a 1952)
  13. Antônio Gonçalves Pinto (1952 a 1956 / 1960 a 1962)
  14. Francisco Bezerra Santos (1962 a 1966 / 1972 a 1976)
  15. Anastácio Pinto Gonçalves (1966 a 1970)
  16. Teotônio Gonçalves Neto (1970 a 1972)
  17. João Antônio de Macedo (1976 a 1982 / 1989 a 1992)
  18. Coronel Antônio Vicente de Macedo (1982 a 1988)
  19. Alcides Jorge E. Ferreira (1993 a 1996)
  20. Maria Leomar Macedo (1997 a 2000)
  21. Francisco Carlos Macedo Tavares (2001 a 2004 / 2005 a 2008)
  22. José Adaílton Macedo ( 2009 a 2012 / 2013 a 2016)
  23. João Antônio de Macedo Júnior (2017 a 2020)

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ott
  7. Aragão, R. B, Indios do Ceará e Topônimios Indígenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994
  8. a b «Título ainda não informado (favor adicionar)» (PDF) 
  9. «Título ainda não informado (favor adicionar)» 
  10. Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos - FUNCEME.
  11. Instituto nacional de Pesquisa espacial - INPE.
  12. «Título ainda não informado (favor adicionar)» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aurora (Ceará)


Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.