Santana do Acaraú

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Santana do Acaraú
Bandeira de Santana do Acaraú
Brasão de Santana do Acaraú
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 3 de novembro de 1862 (155 anos)
Gentílico santanense
Prefeito(a) Raimundo Marcelo Arcanjo (PMDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Santana do Acaraú
Localização de Santana do Acaraú no Ceará
Santana do Acaraú está localizado em: Brasil
Santana do Acaraú
Localização de Santana do Acaraú no Brasil
03° 27' 39" S 40° 12' 43" O03° 27' 39" S 40° 12' 43" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Noroeste Cearense IBGE/2008[1]
Microrregião Sobral IBGE/2008[1]
Região metropolitana Sobral
Municípios limítrofes Norte: Morrinhos, Leste: Amontada e Miraíma, Sul: Sobral, Oeste:Massapê e Senador Sá
Distância até a capital 228 km
Características geográficas
Área 969,323 km² [2]
População 29 977 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 30,93 hab./km²
Altitude 61m m
Clima Tropical semiárido brando
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,619 médio PNUD/2000[4]
PIB R$ 104 889,054 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 491,53 IBGE/2008[5]

Santana do Acaraú é um município do estado do Ceará, no Brasil. Sua população estimada em 2008 era de 30 041 habitantes. Seu primeiro nome foi Curral Velho. É banhado pelo Rio Acaraú. Dista 228 km de Fortaleza, 35 km de Sobral e 270 km de Parnaíba. Em julho, é comemorada a festa da padroeira da cidade, Santa Ana.

História[editar | editar código-fonte]

O município comemora seu aniversário de emancipação política (ocorrida em 1862) no dia 3 de novembro. Comemorou 148 anos em 2010.

Suas origens remontam ao início do século XVII e estão divididas em três fases distintas. A primeira relaciona-se com o que se poderia classificar de acidente de percurso, considerando o seu caráter de acidentalidade. A segunda, registrada pouco mais de um século após, vincula-se à primeira excepcionalidade na formação do reduto. E a terceira, já em pleno estado de funcionalidade, registra o agregamento de fazendeiros, colocando em atividade a segunda fase e formando a povoação que só teoricamente existia.[6]

Depois de ser denominada "Olho d'Água", deu-se a elevação do povoado à categoria de vila com a denominação de "Curral Velho". Houve, como instrumento de apoio, a Lei Provincial 1 012, de 3 de novembro de 1862, ocorrendo sua instalação a 27 de junho de 1863, oportunidade em que se instalaram, também, câmara e senado. A elevação do distrito à categoria de município ocorreu por meio da Lei 1 740, de 30 de agosto de 1876, com a denominação de Santana.

Igreja: as primeiras manifestações de apoio eclesial estão consignadas na prometida e edificada capela de frei Cristóvão de Lisboa, tendo, como executante, o padre Antônio dos Santos Silveira (1773/1859). Pertencia inicialmente ao curato da Caiçara, mesmo após a divisão deste com a freguesia de Amontada, então vinculada ao curato do Acaraú. Tornou-se freguesia, segundo a Lei Provincial 465, de 29 de agosto de 1848, sendo seu primeiro vigário o padre-encomendado Miguel Francisco da Frota e, como vigário-colado, o padre Barreto, vigário do Crato. Na impossibilidade de assumir, Barreto deu procuração ao seu colega Francisco de Paula Menezes, vindo, por morte do seu constituinte, a transformar-se em vigário-colado, pelo menos até que o cargo fosse levado a concurso e se sagrasse vencedor o padre Francisco Xavier Nogueira.

Urcesino Xavier de Castro Magalhães, nascido em 1841, foi nomeado tabelião do público, judicial e notas. Escrivão do Crime e Cível na Vila de Santana do Acaraú, em 1867 quando a cidade era chamada de Licânia, permanecendo na função até seu óbito no primeiro quartel de 1900. Segundo consta do livro "Assembléia Legislativa 1835-1947", de autoria de Hugo Vitor Guimarães, Urcesino Xavier de Castro Magalhães, que era líder político de grande influência e tinha a patente de coronel da Guarda Nacional, logo que foi criado, em 1891, o Centro Republicano Santanense, foi eleito seu segundo vice-presidente. Registre-se que Urcesino Xavier de Castro Magalhães, possivelmente descendente dos Castros e Silva de Aracati que migraram para o vale do Acaraú através de uma linha de batina ainda não devidamente comprovada, foi um dos 36 deputados constituintes do Ceará, que elaboraram e assinaram a Constituição Estadual, promulgada em 1892, havendo exercido outros mandatos legislativos no final do século XIX.

Outro filho muito ilustre de Santana do Acaraú foi o senador João Cordeiro, grande abolicionista nascido em 31 de agosto de 1842, e que exerceu muitos importantes cargos públicos e políticos, dentre eles o de senador pelo Estado do Ceará de 1892 a 1905 e o de deputado federal também pelo Ceará de 1905 a 1911.


Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 
  6. FREITAS, Vicente. Bela Cruz - biografia do município. Bookess Editora, Florianópolis, 2012. pp. 413–14.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.