Itatira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Itatira
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Itatira
Bandeira
Hino
Gentílico itatirense
Localização
Localização de Itatira no Ceará
Localização de Itatira no Ceará
Itatira está localizado em: Brasil
Itatira
Localização de Itatira no Brasil
Mapa de Itatira
Coordenadas 4° 31' 44" S 39° 37' 19" O
País Brasil
Unidade federativa Ceará
Municípios limítrofes Norte e Leste: Canindé, Sul: Madalena, Oeste: Santa Quitéria
Distância até a capital 176 km
História
Fundação 22 de novembro de 1951
Aniversário 22 de novembro
Administração
Prefeito(a) Antonio Almir Bie da Silva (PDT)
Características geográficas
Área total [1] 783,347 km²
População total (IBGE/2010[2]) 18 894 hab.
Densidade 24,12 hab./km²
Clima semiárido (BSh)
Altitude 725 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,569 baixo
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 73 676,259 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 3 965,57
itatira.ce.gov.br (Prefeitura)

Itatira é um município brasileiro do estado do Ceará. É localizado na Mesorregião do Norte Cearense, Microrregião de Canindé.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Itatira vem do Tupi ita(pedra) e tira(áspero) e significa pedra de aparência áspera.[5] O topônimo Itatira faz assim uma alusão a cordilheira de serras e pedras da região. Sua denominação original era Serra da Samambaia, depois Sítio São Gonçalo, Belém, Belém de Quinim e desde 1943, Itatira.[6]

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

Vista de uma rua da vila do distrito de Lagoa do Mato

Em 1873 Belém se tornou distrito de Quixeramobim. Em 1938 Belém muda o nome para Belém do Quinim, e em 1943 para Itatira. Em 1951, Itatira se emancipa de Quixeramobim, mas só é instalado em 1959. Em 1953 é criado distrito de Lagoa do Mato. Em 1964 é criado o distrito de Bandeira. Em 1989 mais dois distritos: Cachoeira e Morro Branco.[7]

Atualmente Itatira possui cinco distritos:

  1. Bandeira
  2. Cachoeira
  3. Itatira (sede)
  4. Lagoa do Mato
  5. Morro Branco

História[editar | editar código-fonte]

As terras da serra da Samambaia, da serra da Mariana e às margens do dos nascentes do rios: Curu e Banabuiú, eram habitadas por diversas etnias tapuia, sendo as mais conhecidas a dos jenipapos e a dos canindés,[8][9]

Com a expansão da colonização portuguesa e o deslocamento do indígenas no século XVII, os portugueses Antônio Ferreira Braga e Jerônimo Machado chegaram e estabeleceram-se na região. Deste período a serra da Samambaia, passou a ser conhecido com serra do Machado. Via o sistema de Sesmarias um fazendeiro de Quixeramobim, conhecido por Antônio José de Souza, chegou a região e criou a Fazenda São Gonçalo, que foi o núcleo inicial de Itatira. Com a seca de 1825, esta região ficou desabitada, e nos anos seguintes fazendeiros retornaram a região e começaram um novo processo de povoamento. Deste período surgiu um novo povoado com o nome de Belém, num lugar próximo a serra da Mariana.

Dos povoados de São Gonçalo[10] e de Belém, a aglomeração ao redor da capela dedicada ao Menino Deus, consolidou-se o município de Itatira em 1951. A sua formação territorial se deu com terras dos municípios de Canindé e de Quixeramobim.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical quente semi-árido com pluviometria média de 650 mm[11] com chuvas concentradas de janeiro a abril.[12]

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de água fazem parte das bacias do Curu e do Banabuiú, sendo elas os riachos Umari, São Gonçalo, São Joaquim e outros tantos. Encontram-se diversas lagoas entre elas a do Mato e da Bandeira. Existem ainda diversos açudes de pequeno porte: Boqueirão, Magalhães e tantos outros. O sistema de abastecimento de água potável possui 44 poços(41 tubulares e 3 amazonas) e a Adutora Madalena. O maior reservatório do município é o Açude João Guerra,[13][14] concluído em 2012, com capacidade para 4.430.000 m³, no Riacho São Joaquim.[15]

Relevo e solos[editar | editar código-fonte]

As terras de fazem parte da Depressão Sertaneja, com maciços residuais graníticos. As principais elevações possuem altitudes entre 200 e 700 metros acima do nível do mar. Os solos da região são bruno não-cálcicos, litólicos e podzólicos[13]

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação predominante compõem-se da caatinga arbustiva densa, a caatinga mais arbórea com espécies espinhosas e a floresta subcaducifólia tropical pluvial (mata seca).[16]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

O município de Itatira tem cinco distritos: Itatira (sede), Bandeira, Cachoeira, Lagoa do Mato e Morro Branco.[17]

Aspectos socioeconômicos[editar | editar código-fonte]

A maior concentração populacional encontra-se na zona rural. A sede do município dispõe de abastecimento de água potável, fornecimento de energia elétrica, serviço telefônico fixo e móvel, internet banda larga, agência de correios e telégrafos, serviço bancário, unidade de saúde, pousadas e ensino de 1° e 2° graus.[13]

A partir de Fortaleza o acesso ao município, pode ser feito por via terrestre através da rodovia Fortaleza/Canindé (BR-020), CE-366 e CE-168. As demais vilas, lugarejos, sítios e fazendas são acessíveis (com franco acesso durante todo o ano) através de estradas estaduais, asfaltadas ou carroçáveis.[18]

A economia local é baseada na agricultura: feijão, milho, mandioca, algodão, cana-de-açúcar, castanha de caju e frutas diversas; pecuária: bovino, ovino, suíno e avícola.

O extrativismo vegetal outra é fonte de renda, na qual acontece a fabricação de carvão vegetal, extração de madeiras diversas para lenha e construção de cercas, além de extração da oiticica e carnaúba.

A piscicultura desenvolve-se nos açudes e nos principais riachos.

Outra fonte de renda do município é o artesanato de redes e bordados.[19]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de serras de Itatira
Serra da Boa Vista.
Serrote São Joaquim.

O turismo também é uma das fontes de renda, devido as belezas naturais da região montanhosa, que perpassa quase todos os distritos e outros municípios da região, na qual desenvolve-se o ecoturismo. Sendo os principais atrativos naturais:

Cultura[editar | editar código-fonte]

Eventos culturais[editar | editar código-fonte]

Os principais eventos culturais são:

  • Festa de São José (19 de março);
  • Festival de Inverno
  • Festa do Sagrado Coração de Jesus (15 de junho);
  • Festival de Quadrilhas de Itatira (27 de junho);
  • Festa de Nossa Senhora do Carmo (16 de julho);
  • Festa de Nossa Senhora da Conceição (8 de dezembro);
  • Festa do Menino Jesus (25 de dezembro).
  • Festival dos Jovens na Fé.

Política[editar | editar código-fonte]

A administração municipal localiza-se na sede: Itatira. O atual prefeito é Antônio Almir Bié Da Silva. Itatira se emancipou de Quixeramobim no ano de 1952.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. Aragão, R. B, Índios do Ceará e Topônimios Índigenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994, pag.135
  6. «Página do IBGE» (PDF). Consultado em 5 de março de 2010 
  7. [1] IBGE
  8. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  9. Aragão, R. B, Índios do Ceará e Topônimios Índigenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994
  10. «Página Biblioteca Nacional do Brasil». Consultado em 8 de março de 2010 [ligação inativa]
  11. Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos - FUNCEME.
  12. Instituto nacional de Pesquisa espacial - INPE.
  13. a b c «Página do CPRM». Consultado em 8 de março de 2010 
  14. «Atlas do Ceará». Consultado em 8 de março de 2010 
  15. «Página da SIRH/Ce». Secretaria dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará. Janeiro 2015. Consultado em 26 de junho de 2015 
  16. «Página do CPRM» 
  17. «Página do IBGE» (PDF). Consultado em 8 de março de 2010 
  18. «Página do DER». Consultado em 8 de março de 2010 
  19. «Página do Ceará». 2000