Jardim (Ceará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Jardim, veja Jardim (desambiguação).
Município de Jardim
Panorama da cidade de Jardim

Panorama da cidade de Jardim
Bandeira de Jardim
Brasão de Jardim
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 3 de janeiro de 1814 (203 anos)
Fundação 1814
Gentílico jardinense
Prefeito(a) Aniziario Jorge Costa (PCdoB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Jardim
Localização de Jardim no Ceará
Jardim está localizado em: Brasil
Jardim
Localização de Jardim no Brasil
07° 34' 55" S 39° 17' 52" O07° 34' 55" S 39° 17' 52" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Sul Cearense IBGE/2008[1]
Microrregião Cariri IBGE/2008[1]
Região metropolitana Cariri
Municípios limítrofes Barbalha, Cedro-PE, Porteiras, Penaforte, Missão Velha, Jati.
Distância até a capital 540 km
Características geográficas
Área 457,034 km² [2]
População 26 697 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 58,41 hab./km²
Altitude 648 m
Clima Tropical subúmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,614 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 107 518 mil IBGE/2011[5]
PIB per capita R$ 4 025,39 IBGE/2011[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.jardim.ce.gov.br/

Jardim é um município brasileiro do estado do Ceará. Localiza-se na Região Metropolitana do Cariri.

História[editar | editar código-fonte]

O Município de Jardim era conhecido como Barra do Jardim e Santo Antonio do Jardim, uma antiga região indígena e, logo depois, palco de memoráveis acontecimentos históricos. As origens do Município de Jardim são remontadas desde o século XVIII, tendo como referência o fazendeiro Bento Moreira, casado com D. Sebastiana de Oliveira onde moravam no sítio chamado de corrente de Ramalho. Havia outro colono, pobre e consequentemente sem identificação no sítio cabeça do negro. Sua localização foi bastante isolada, de modo que somente por ocasião das grandes estiagens atrairia maiores investidores. Com a grande seca de 1791 á 1793, chegou a Jardim o primeiro imigrante Padre João Bandeira de Melo, vindo de flores acompanhado de índios e negros onde catequizava os pajeús. Era um homem muito valente e o que fez pela primeira vez foi promover o plantio de alguns cereais e edificar uma casa de barro, no local em que existe a residência do Padre Antônio Manuel de Sousa, que ainda hoje é conservada como monumento histórico. Logo em seguida ele construiu uma capela para Bom Jesus, que assim atraiu para grande número de pessoas, e suas casas foram se agrupando junto à capela. Anos depois, o fundador de Jardim dirigiu-se para Piancó, na Paraíba, seguindo rumo ao Piauí, passando em Porteiras, em cuja capela celebrou uma missa no dia 6 de janeiro de 1821.

Em 1799, o povoado recebeu a visita de Frei Vital de Frascarolo. Sua passagem ficou perpetuada num cruzeiro por ele erguido, no dia 29 de junho à frente da capela, onde foi transplantado no centro do Cemitério de São Miguel e hoje está á frente da Matriz Santo Antônio de Jardim. Em 30 de agosto de 1814, o território foi desmembrado de Crato, quando passou a denominar-se Vila de Santo Antonio do Jardim.

Deve-se sua evolução à categoria de vila, à grande rivalidade entre José Pereira Filgueiras, capitão-mor do Crato, e o sargento-mor José Alexandre Corrêa Arnaud, descendente do povoador de Missão Velha, que saindo da cadeia do Icó, em 1812, conseguiu do Regente Imperial, pessoalmente, a criação do município e sua nomeação para o cargo de capitão-mor da nova vila.

A emancipação política do município ocorreu em 3 de janeiro de 1816, onde, não pôde comparecer o capitão-mor José Arnaud, por ter falecido no seu regresso do Rio de Janeiro. Com seu falecimento, foi nomeado capitão-mor do Município de Jardim, Pedro Tavares Muniz.

No ano de 1933, o município dividiu-se em dois distritos: Jardim e Macapá(atual Jatí). Desmembrado por força da Lei nº 1153, de 22 de novembro de 1951, foi criado um novo distrito denominado até hoje de Jardim-Mirim. No dia 24 de abril de 1916, foi realizada a fundação do Colégio 24 de Abril, pelo Juiz de Direito, Dr. Francisco de Lima Botelho. O Colégio funcionou ininterruptamente até meados de 1923, marcou o período áureo de Jardim. Em 16 de fevereiro de 1937, o município foi dotado de iluminação elétrica, por iniciativa do Prefeito Francisco Ancilon de Alencar Barros.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 07º34'57" sul e a uma longitude 39º17'53" oeste, estando a uma altitude de 648m (680 ou 620 ocupando o 10º lugar entre as demais cidades cearenses). A cidade está localizada no sul do Ceará, na microrregião do Cariri, distante cerca de 542,4 (536)km da capital Fortaleza. Sua área é de 500,9 ( 457,034 ) km². Seus limites são: ao Norte com o município de Barbalha - CE, ao Sul com o estado de Pernambuco, ao Leste com Porteiras - CE, Jati - CE e Penaforte - CE e ao Oeste também com o estado de Pernambuco, cidade de Serrita - PE e Moreilândia - PE.

Relevo[editar | editar código-fonte]

Possui relevo formado por um buraco, representado pela Chapada do Araripe e por algumas serras entre as quais destacam-se Serra do Cruzeiro, Boca da Mata, Boa Vista e Serra do Portal. O ponto que mais chama atenção é o talhado do cruzeiro com 1100m de altitude. Sua vegetação é marcada pela presença da Floresta Nacional do Araripe, que cobre grande parte do município.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é caracterizado por temperaturas amenas que variam de 19 a 28 °C. A temperatura especialmente nos meses de junho-julho pode descer a 15 °C, exigindo que a população vista agasalhos apropriados.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Formada por um rio, o Rio Jardim, periodicamente seco, pelos riachos: Jacundá, Porcos, Gravatá e Boca da Mata e pelo Açude de Florzinha. Do sopé da Chapada há o afloramento dos lençóis freáticos em forma de belíssimas fontes de água cristalinas que são a maior atração turística.

São 72 fontes, destas: 30 secaram, 22 estão atualmente com suas vazões reduzidas e apenas 20 permanecem inalteradas; dentre as quais as mais conhecidas são: Boca da Mata (que abastece a cidade) e Boa Vista (atração turística).

Solos[editar | editar código-fonte]

Bruto não cálcico, Litólico, Eutrófico, Latossolo vermelho-amarelo, distrófico e Vertissolo. De uso potencial em culturas diversificadas, fruticultura, algodão e pecuária extensiva.

Demografia[editar | editar código-fonte]

O município conta com uma população de 26.414 habitantes, uma densidade demográfica de 53,06 hab/km²; sendo que a população está mais centrada na zona rural. O distrito Cidade de jardim é constituído de 6.836 domicílios ocupado, tendo uma população de 26.697 habitantes no ano de 2010, obtendo um crescimento de 1,07% na última década. Nesta cidade se encontra 13.076 homens, correspondendo a 49% de sua população e 13.621 mulheres, equivalendo a 51%. Jardim é um município rural onde 17.699 pessoas situam-se em áreas rurais equivalendo a 66,3% de sua população e apenas 8.998 pessoas 33,7% residem em Áreas urbanas. Apesar de sua maior parte da população residirem e trabalharem no campo, 74,2% de sua economia é baseada na prestação de serviço, tendo como contribuição 17,8% na agropecuária e 8% na indústria.

Economia[editar | editar código-fonte]

Conhecida na região por suas fontes de água mineral, a economia jardinense está baseada principalmente na agricultura: algodão herbáceo e arbóreo, cana-de-açúcar, milho e feijão.[6]

Pecuária: bovinos, suínos e aves.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Jardim tem Santo Antônio como padroeiro e sua principal manifestação folclórica é a Festa dos Caretas, que ocorre na semana de Páscoa, ou Semana Santa, como é conhecida no nordeste.

Há vários eventos na cidade
  • Festa dos Karetas (Semana Santa)
  • Procissão com todos os santos (1 de Janeiro) - Segundo relatos, existente só em jardim.
  • Semana do Município (Janeiro)
  • Celebração da Semana Santa na Matriz
  • Festa Coroação de Nossa Senhora (31 de Maio)
  • Festa do Padroeiro Santo Antônio (13 de Junho)
  • Vaquejada (Novembro)
  • Festa ao Bom Jesus (23 a 31 de Dezembro)
  • Festa dos Lírios (Outubro)
Além das festas tradicionais, a cidade disponibiliza aos moradores e visitantes outras opções de lazer, como os atrativos naturais
  • Nascente Boa Vista
  • Nascente Boca da Mata
  • Nascente Gravatá
  • Nascente Olho D'água
  • Nascente do Toré
  • Sítio Cabeça do Negro

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 9 de setembro de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2011». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 20 de dezembro de 2013 
  6. Jardim no Ceara.com.br
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.