Hugo Napoleão (Piauí)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hugo Napoleão (Piauí)
  Município do Brasil  
Símbolos
Hino
Lema Hugo em boas mãos
Gentílico hugo-napoleonense
Localização
Localização de Hugo Napoleão (Piauí) no Piauí
Localização de Hugo Napoleão (Piauí) no Piauí
Hugo Napoleão (Piauí) está localizado em: Brasil
Hugo Napoleão (Piauí)
Localização de Hugo Napoleão (Piauí) no Brasil
Mapa de Hugo Napoleão (Piauí)
Coordenadas 5° 59' 20" S 42° 33' 21" O
País Brasil
Unidade federativa Piauí
Municípios limítrofes São Gonçalo do Piauí, Olho d'Água do Piauí, Passagem Franca do Piauí, Jardim do Mulato e Água Branca
Distância até a capital Não disponível
História
Fundação 2 de dezembro de 1963 (56 anos)
Administração
Prefeito(a) Hélio Rodrigues Alves (PRB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 273,721 km²
População total (IBGE/2010[2]) 3 771 hab.
Densidade 13,8 hab./km²
Clima Caatinga Sertão
Altitude 232 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [3]) 0,575 baixo
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 12 470,262 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 3 299,88

O município está localizado na microrregião do Médio Parnaíba Piauiense, compreendendo uma área irregular de 277,84 km², tendo como limites ao norte os municípios de Água Branca e Olho d’Água do Piauí, ao sul Jardim do Mulato, a leste Passagem Franca do Piauí, e a oeste Jardim do Mulato e São Gonçalo do Piauí.

A sede municipal tem as coordenadas geográficas de 05 o 59’20” de latitude sul e 42 o 33’21” de longitude oeste de Greenwich e dista cerca de 111 km de Teresina.

Os dados socioeconômicos relativos ao município foram obtidos a partir de pesquisa nos sites do IBGE e do Governo do Estado do Piauí. O município foi criado pela Lei nº 2.512 de 02/12/1963. A população total, segundo o Censo 2004 do IBGE, é de 3.739 habitantes e uma densidade demográfica de 13,33 hab/km², onde 20,46% das pessoas estão na zona rural.

Com relação a educação, 60,5% da população acima de 10 anos de idade são alfabetizadas. A sede do município dispõe de energia elétrica, terminais telefônicos, agência de correios e telégrafos, e escola de ensino fundamental e médio. A agricultura praticada no município é baseada na produção sazonal de arroz, feijão, mandioca, milho, tomate e abacaxi.

O nome atual do município não tem nenhuma ligação com sua origem. O nome original era Lagoinha dos Mota, em virtude de uma fazenda existente na área cujo proprietário chamava-se Dorotéo da Mota.

Quando surgiu a ideia de transformar o povoado em cidade veio a necessidade de erguer as edificações em outro ponto que não fosse tão próximo da lagoa. Ainda hoje na cidade existe o bairro Lagoinha dos Mota, onde tudo começou no início do século 19. O primeiro registro para emancipar " Lagoinha" data de 1920.

Os primeiros moradores do povoado foram Manoel Raimundo Costa, Mariano Gomes da Costa, Miguel Mota, neto de Dorotéo da Mota, e Elizeu que foi o primeiro comerciante da área. Lagoinha só conseguiu sua autonomia administrativa em 1963. A ela foi dado o nome oficial de Hugo Napoleão, em homenagem a um embaixador Americano casado com uma piauiense.

Gentílico: hugo-napoleonense

Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Hugo Napoleão, pela lei estadual nº 2512, de 02-12-1963, desmembrado de Regeneração. Sede no atual distrito de Hugo Napoleão (ex-localidade). Constituído do distrito sede. Instalado em 01-04-1964. Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010