Passagem Franca do Piauí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Passagem Franca do Piauí
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 29 de abril
Fundação 29 de abril de 1992 (27 anos)
Gentílico passagem-franquese
CEP 64395.000
Prefeito(a) Raislan Farias dos Santos (PP)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Passagem Franca do Piauí
Localização de Passagem Franca do Piauí no Piauí
Passagem Franca do Piauí está localizado em: Brasil
Passagem Franca do Piauí
Localização de Passagem Franca do Piauí no Brasil
05° 51' 28" S 42° 26' 24" O05° 51' 28" S 42° 26' 24" O
Unidade federativa Piauí
Mesorregião Centro-Norte Piauiense IBGE/2008 [1]
Microrregião Médio Parnaíba Piauiense IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Barro Duro e Elesbão Veloso
Distância até a capital 104 km
Características geográficas
Área 849,601 km² [2]
População 4,546 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 0,01 hab./km²
Clima Tropical alternadamente úmido e seco, com duração do período seco de seis meses
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,564 baixo PNUD/2000 [4]
PIB R$ 16 283,133 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 835,84 IBGE/2008[5]

Passagem Franca do Piauí é uma cidade e município do estado do Piauí, Brasil. Localiza-se na microrregião do Médio Parnaíba Piauiense, mesorregião do Centro-Norte Piauiense. O município tem cerca de 4 546 habitantes e 1 019 km². Foi emancipada em 1992.

Historia[editar | editar código-fonte]

Em 1912 um cearence chamado de Vicente Cutruco, veio da Serra Grande no Ceará fugindo de uma briga entre duas famílias, venceu a briga e refugiou-se no Piauí em um local sem nome a beira do rio Berlengas um olho d'água permanente, criando uma fazenda e a chamando de cabeça torta, tempos depois colocou o nome de Cocos, devido a grande existência de babaçu na região.

Tempos depois exatamente em 1963 as terras já pertenciam a Joaquim Gomes Calado que vendeu para Francisco das Chagas Melo que conseguiu desenvolver a comunidade. Desmatando e fazendo várias doações de terra para a população e também construiu obras publicas. Fazia casas que serviam de mercado, colégio, igreja e clube. Fez também doações para a construção da escola que hoje corresponde a escola de ensino médio da cidade e a atual secretaria de saúde. Conseguiu água encanada e energia elétrica para a cidade, trazendo o governador do Piauí na época Dirceu Mendes Arcoverde para a inauguração deste.

Emancipação Política[editar | editar código-fonte]

Francisco das Chagas Melo ou apenas Chico Melo como é conhecido pela população passagemfranquese sempre sonhou em transformar o povoado em cidade por isso no dia 19 de Abril de 1992 ocorreu um plebiscito que era a disputa dos nomes para a cidade, nomes que eramPetrônio Portela e Passagem Franca. A maioria da população escolheu e por meio da lei a comunidade passou a se chamar Passagem Franca do Piauí. E no dia 29 de Abril de 1992 o povoado passou a ser cidade.

Administração[editar | editar código-fonte]

Passagem Franca com os seus 24 anos(1992/2016) já possuiu 6 prefeitos que foram:

Duzinho ( 1993 a 1996) • Nunes ( 1997 a 2000) • Duzinho ( 2001 a 2004) Neste mandato o prefeito Duzinho foi afastado do cargo onde o seu vice Chico Tuica assumiu o posto por 7 meses. • Duzinho ( 2005 a 2008) • Monique ( 2009 a 2012) • Raislan (2013 a 2016) e (2017 a 2020)

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município limita-se ao:

Norte - Monsenhor Gil, Beneditinos e Alto Longá; Sul - Jardim do Mulato, Elesbão Veloso e Hugo Napoleão; Leste - São Felix, Elesbão Veloso e Alto Longá; Oeste - Barro Duro e Olho D'água.

A população estimada de 4.546 habitantes, existindo mais homens que mulheres. A principal via de acesso é a BR-316, existindo outras vias secundárias que liga a cidade a zona rural, que compõe de 27 povoados.

  • Vegetação
A vegetação é tipicamente composta por campo cerrado, vegetação rasteira e a caatinga;
  • Recursos Hídricos
Rio Berlenga, Riacho do Brejo, Riacho. Riacho do Covão(conhecido como Banho do Furtuoso),Riacho do Gado, Riacho do Mocambo, Riacho Dantas, Riacho Fundo e o Rio Poti.
  • Clima
clima da cidade é úmido e seco com duração de seca de 6 meses.
  • Fauna:

Possui onças, veados, cutias, pacas, quatitu, tatu, china, peba, tamanduá entre outros.

Economia[editar | editar código-fonte]

A base da economia concentra-se na agropecuária e nos comércios locais.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Piauí é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.