Anísio Auto de Abreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Anísio Auto de Abreu (Teresina, 1864 — Teresina, 6 de dezembro de 1909) foi um jornalista, escritor e político brasileiro, durante a Primeira República, também conhecida como República Velha.[1]

É o patrono da cadeira nº 7 da Academia Piauiense de Letras.[2] Higino Cunha, escritor piauiense e primeiro ocupante da mesma cadeira,[3] escreveu Anísio Abreu, sua obra, sua vida e sua morte.[4]

O político[editar | editar código-fonte]

Em 1892 foi eleito deputado estadual pelo Piauí. Durante seu mandato, participou da elaboração da Constituição estadual. Também foi secretário de polícia durante o governo de Coriolano de Carvalho e Silva.[5]

Em 1894 elegeu-se deputado federal, sendo reeleito três vezes, cumprindo mandato até 1905, tendo sido membro das comissões de Constituição e Justiça, de Finanças e da comissão encarregada de revisar o Código Civil.[6]

Em 1906 foi eleito senador pelo Piauí, exercendo o mandato até 1908, quando renunciou para assumir o governo do estado, sucedendo a José Lourenço de Morais e Silva. Tomou posse em 1 de julho de 1908 e, em 5 de dezembro de 1909, um dia antes de falecer, foi substituído por Manuel Raimundo da Paz.[7]

O jornalista[editar | editar código-fonte]

Como jornalista colaborou em vários periódicos, como Folha do Norte, Diário de Pernambuco (PE), Jornal do Recife (PE), A Província, A Imprensa (PI) e O Debate (RJ).[8]

O escritor[9][editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
José Lourenço de Morais e Silva
Governador do Piauí
1908 — 1909
Sucedido por
Manuel Raimundo da Paz


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.