Paulo Magalhães

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o futebolista chileno, veja Paulo Magalhaes.
Paulo Magalhães
Paulo Sérgio Paranhos de Magalhães
Deputado Federal pela Bahia Bahia
Período 1º de fevereiro de 1999
até a atualidade
Deputado Estadual pela Bahia Bahia
Período 1º de fevereiro de 1991
até 1º de fevereiro de 1999
Dados pessoais
Nascimento 28 de novembro de 1952 (64 anos)
Salvador, BA
Progenitores Pai: Ângelo Magalhães
Cônjuge Rita de Cássia Monteiro de Carvalho Magalhães
Partido PFL (1990-2007)
DEM (2007-2011)
PSD (2011-atualidade)
Profissão Administrador de empresas

Paulo Sérgio Paranhos de Magalhães (Salvador, 28 de novembro de 1952) é um administrador de empresas e político brasileiro.[1]

Cursou o Primário nas Escolas Aragão Carneiro e Pequeno Príncipe em 1964 e o Secundário no Colégio Severino Vieira em Salvador de 1971. Formou-se em Administração de Empresas, pela Escola de Administração de Empresas da Bahia de Salvador em 1975. Especializou-se em Administração Hospitalar pela Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos de 1973 a 1974.

Foi eleito deputado estadual pelo Partido da Frente Liberal (PFL), de 1991 a 1995 e reeleito pelo deputado estadual, de 1995 a 1999. Foi eleito pelo Deputado federal pelo Partido da Frente Liberal (PFL), de 1999 a 2003, reeleito pelo Deputado federal pelo Partido da Frente Liberal (PFL), Democratas (DEM) e Partido Social Democrático (PSD), de 2003 a 2007 e 2011.

Foi presidente do Esporte Clube Vitória, entre 1978 e 1979.[2]

Em abril de 2017 votou a favor da Reforma Trabalhista.[3] Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do então Presidente Michel Temer.[4]

Referências

  1. sítio camara.gov.br (Data desconhecida). «Deputado Paulo Magalhães». Consultado em 25 de Novembro de 2012  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. ALBA. Dep. Paulo Magalhães. Acesso em 30 jul 2015.
  3. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  4. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017