Valmir Assunção

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Valmir Assunção
Deputado Federal Valmir Assunção
Deputado Federal pela Bahia Bahia
Período 1 de Fevereiro de 2011 até
atualmente (2 mandatos consecutivos)
Deputado Estadual pela Bahia Bahia
Período 2005 - 2010 (2 mandatos consecutivos)
Secretário Estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza da Bahia Bahia
Período 2007 - 2010
Dados pessoais
Nascimento 17 de dezembro de 1964 (52 anos)
Itamaraju, BA
Esposa Fabya Reis[1]
Partido PT
Profissão Agricultor
Ativista

Valmir Carlos da Assunção, ou simplesmente Valmir Assunção (Itamaraju, 17 de Dezembro de 1964), é um agricultor e político brasileiro, um dos líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e ex-Secretário Estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza da Bahia, atualmente Deputado Federal por este Estado, filiado ao PT.

Está entre os mais bem colocados do ranking de Deputados Federais do portal Atlas Político, ocupando a oitava posição entre 493 avaliados. O ranking leva em conta fatores como representatividade eleitoral, fidelidade partidária, proporção do dinheiro gasto na campanha por voto obtido, ativismo legislativo e debate parlamentar.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Valmir Assunção é membro da direção nacional do MST desde 1990. Candidatou-se a Deputado Estadual nas eleições de 2002, ficando na suplência, assumindo o cargo em 2005 e conseguindo a reeleição em 2006.[2] Foi Secretário Estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza da Bahia entre 2007 e 2010, durante o primeiro mandato de Jaques Wagner. Em 2010 elegeu-se Deputado Federal pelo PT, sendo reeleito em 2014. Na Câmara dos Deputados foi vice-líder do partido entre 6 de Abril de 2011 e 25 de Março de 2014 e de 3 de Fevereiro a 2 de Março de 2015.[3]

Briga em plenário[editar | editar código-fonte]

Valmir Assunção foi punido, juntamente com Laerte Bessa, pelo desentendimento na sessão extraordinária realizada em 8 de dezembro de 2015, que definiu quais deputados fariam parte da comissão especial responsável por analisar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Conduzida pelo então presidente da Câmara Eduardo Cunha, a reunião foi marcada por intenso bate-boca e empurra-empurra entre os parlamentares das duas chapas inscritas. Descontentes com a decisão de Cunha em promover a escolha por meio de votação secreta, deputados da base aliada de Dilma tentaram impedir o acesso dos demais parlamentares até as cabines de votação. A sessão foi anulada no dia seguinte, por decisão do Supremo Tribunal Federal, que considerou ilegítima a formação de chapa avulsa e também derrubou o caráter sigiloso da votação.[4]

Atividades Parlamentares (legislatura 2015/19)[editar | editar código-fonte]

Obs: Estão listadas apenas as atividades onde o parlamentar foi titular (atualizado em 09/07/16):

  • Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural: 3/3/2015 - 2/2/2016; 3/5/2016 - atualmente;
  • PEC 011/15 - Tribunal Superior do Trabalho: 29/6/2015 - 22/3/2016;
  • Previdência Social: 15/3/2016 - 16/3/2016;
  • Transposição do Rio São Francisco: 3/3/2015 - atualmente.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Referências