Chico Rodrigues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Chico Rodrigues
Senador por Roraima
Período 1º de fevereiro de 2019
até atualidade
Governador de Roraima
Período 4 de abril de 2014
até 31 de dezembro de 2014
Antecessor(a) José de Anchieta Júnior
Sucessor(a) Suely Campos
Vice-governador de Roraima
Período 1º de janeiro de 2011
até 4 de abril de 2014
Antecessor(a) José de Anchieta Júnior
Sucessor(a) Paulo Quartiero
Deputado federal por Roraima
Período 1º de fevereiro de 1991
até 1º de janeiro de 2011
Vereador de Boa Vista
Período 1989–1991
Dados pessoais
Nascimento 23 de abril de 1951 (70 anos)
Recife, Pernambuco, Brasil
Alma mater Universidade Federal Rural de Pernambuco
Cônjuge Selma Rodrigues
Filhos Pedro Arthur Ferreira
Partido PMDB (1987-1989)
PTB (1989-1995)
PPB (1995-1997)
PFL (1997)
PTB (1997-1999)
PFL (1999-2007)
DEM (2007-2012)
PSB (2012-2015)
PSDB (2015-2016)
PRP (2016–2017)
DEM (2017–presente)
Profissão engenheiro agrônomo

Francisco de Assis Rodrigues, conhecido por Chico Rodrigues (Recife, 23 de abril de 1951), é um empresário e político brasileiro filiado ao Democratas (DEM), ex-governador do estado de Roraima.[1]

Formação profissional[editar | editar código-fonte]

Filho de Sebastião Rodrigues Silva e Eugênia Andrade Silva. Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal Rural de Pernambuco em 1975, é especialista em desenvolvimento rural e urbano pela Universidade Católica de Pernambuco e pela Organização dos Estados Americanos, fez o curso de Descentralização Política e Federalismo em Berlim e Dresden, Alemanha.[2] Extensionista da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER) no Mato Grosso do Sul e em Pernambuco fez cursos de Política de Desenvolvimento Rural, em Petrolina e de extensão rural no Recife. Durante o governo Marco Maciel foi coordenador estadual do Projeto Sertanejo e diretor-técnico da Companhia de Sementes e Mudas de Pernambuco.[2]

Após migrar para Roraima foi Secretário de Agricultura no governo de Arídio Martins de Magalhães (1983-1985) além de diretor da Escola Agrotécnica de Roraima e coordenador estadual da Comissão de Planejamento Agrícola. Filiado ao PMDB foi eleito vereador em Boa Vista em 1988 migrando para o PTB no ano seguinte. Eleito deputado federal em 1990, votou a favor do impeachment do presidente Fernando Collor em 29 de setembro de 1992. Reeleito em 1994 migrou sucessivamente para o PPB e para o PFL antes de retornar ao PTB, legenda pela qual se reelegeu em 1998 e da qual sairia para voltar ao PFL por onde conquistaria novos mandatos em 2002 e 2006.

Com o surgimento do DEM em 28 de março de 2007 foi seu vice-líder na Câmara dos Deputados[2] e por esta legenda foi eleito vice-governador de Roraima na chapa de José de Anchieta Júnior em 2010 renunciando ao seu mandato parlamentar poucas horas antes da posse no executivo. Com a renúncia do titular assumiu o governo do estado pelo PSB.

Disputou as eleições de 2014 e foi derrotado no 2º turno. Após a derrota, teve seu mandato cassado por decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima no dia 1º de dezembro, por causa de gastos irregulares da chapa da qual era vice na eleição de 2010. Em seu lugar, no dia seguinte, tomou posse o presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, Chico Guerra (PROS).[3]

No dia 29 de setembro de 2015, Chico Rodrigues se filiou ao PSDB. A solenidade de filiação foi acompanhada pelo presidente do PSDB nacional, Aécio Neves e pelo ex-governador de Roraima, José de Anchieta Júnior.[4]

De volta ao DEM, foi eleito Senador no estado de Roraima, nas Eleições Gerais de 2018, no dia 07 de outubro de 2018, com 111.318 votos, o equivalente a 22,75% dos votos válidos,[5] assumindo o cargo a partir do dia 1º de fevereiro de 2019. Logo após a eleição, em março, se tornou vice-líder do governo Bolsonaro por indicação do próprio presidente.[6]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Durante uma operação de busca e apreensão em outubro de 2020, policiais federais encontram dinheiro entre as nádegas do senador.[7] Após isso o senador pediu para sair do cargo de vice-líder do governo no Senado.[8] Em decorrência desse acontecimento o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso determinou o afastamento de seu cargo de Senador por 90 dias. [9]

STF decide não prorrogar afastamento do senador Chico Rodrigues[editar | editar código-fonte]

Após 121 dias afastado do cargo, o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso decidiu no dia 17 de fevereiro de 2021, não prorrogar o afastamento do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) do cargo. No entanto, Barroso decidiu que o parlamentar deve manter-se afastado da comissão que discute a destinação de verbas para o enfrentamento da pandemia de covid-19.[10]

Na decisão, Barroso entendeu que não há indícios de que o senador possa atrapalhar as investigações. Contudo, o parlamentar continua impedido de manter qualquer tipo de contato com os demais investigados.[11]

“Por essas razões, reputo desnecessário, por ora, restabelecer a medida cautelar de afastamento do investigado do exercício do mandato eletivo, sem prejuízo de revisão de tal decisão, caso sobrevenha notícia de alguma irregularidade”, decidiu o ministro.[12]

Referências

  1. Chico Rodrigues
  2. a b c «Banco de dados da Câmara dos Deputados do Brasil (1991-2011): Chico Rodrigues». Consultado em 20 de dezembro de 2012 
  3. Costa, Emily (2 de dezembro de 2014). «Novo governador de RR toma posse após cassação de Chico Rodrigues». G1. Consultado em 2 de dezembro de 2014 
  4. «Chico Rodrigues se filia ao PSDB». Folha Web. 29 de setembro de 2015. Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  5. «Chico Rodrigues e Mecias de Jesus são eleitos ao Senado por Roraima». G1 
  6. «Quem é o vice-líder do governo Bolsonaro no Senado flagrado com dinheiro escondido entre as nádegas». GZH. 15 de outubro de 2020. Consultado em 19 de outubro de 2020 
  7. [1]
  8. «Chico Rodrigues pede dispensa da função de vice-líder do governo no Senado». Senado Notícias. Consultado em 15 de outubro de 2020 
  9. «Barroso determina afastamento de senador Chico Rodrigues do mandato por 90 dias». G1. Consultado em 15 de outubro de 2020 
  10. «STF decide não prorrogar afastamento do senador Chico Rodrigues». Agência Brasil. 17 de fevereiro de 2021. Consultado em 17 de março de 2021 
  11. «STF decide não prorrogar afastamento do senador Chico Rodrigues». Agência Brasil. 17 de fevereiro de 2021. Consultado em 17 de março de 2021 
  12. «STF decide não prorrogar afastamento do senador Chico Rodrigues». Agência Brasil. 17 de fevereiro de 2021. Consultado em 17 de março de 2021 

Precedido por
José de Anchieta Júnior
Governador de Roraima
2014 - 2015
Sucedido por
Suely Campos