Izalci Lucas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Izalci Lucas
Izalci Lucas
Senador pelo Distrito Federal
Período 1 de fevereiro de 2019
até atualidade
Deputado Federal pelo Distrito Federal
Período 29 de abril de 2008
31 de janeiro de 2019
Deputado Distrital do Distrito Federal
Período 1º de fevereiro de 2003
até 31 de janeiro de 2007
Dados pessoais
Nascimento 7 de abril de 1956 (63 anos)
Araújos, MG
Nacionalidade brasileiro
Partido PSDB
Profissão Contador e Professor

Izalci Lucas Ferreira (Araújos, Minas Gerais, 7 de abril de 1956) é um contador, professor e político brasileiro, filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Antes de entrar na vida pública foi líder sindical, época em que criou o cheque-educação, um programa que aproveita as vagas ociosas nas escolas particulares e as oferece para alunos carentes com um desconto que varia de acordo com a disponibilidade da escola e da capacidade de pagamento da família, que inspirou o Programa Universidade para Todos (ProUni).[1]

Izalci é atualmente o presidente da Executiva do PSDB no Distrito Federal.[2]

Nas eleições de 2018, foi eleito senador pelo Distrito Federal[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou sua vida política em 1998 no PSDB do Distrito Federal. Candidatou-se a deputado distrital ficando na primeira suplência. Em 2002 se elegeu deputado distrital período em que foi convidado a assumir a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia. Em 2006, candidatou-se a deputado federal ficando na primeira suplência. Novamente convidado, voltou a assumir a Secretaria de Ciência e Tecnologia do DF. Em 2010 foi eleito deputado federal e reeleito em 2014.

Foi um dos autores da Emenda Constitucional 85, também chamada de PEC da Inovação e presidiu a Comissão que aprovou o Marco Regulatório de Ciência, Tecnologia e Inovação (Lei 13.243/16).[4] Presidiu também a Comissão Mista que ampliou o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC), com oferta de mais bolsas de estudos e aumento do número de instituições ofertantes.[5] Participou como membro das comissões de Educação, Ciência e Tecnologia e da Comissão Mista do Orçamento (CMO), e da CPI da Petrobras. Na atual legislatura, é membro das Comissões de Educação; Ciência e Tecnologia; Fiscalização Financeira e Controle; Finanças e Tributação, e da CPI do CARF.[6]

Apresentou um dos projetos denominados escola sem partido, o de nº 867/2015.[7]

Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[8] Posteriormente, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[8] Em abril de 2017 votou a favor da Reforma Trabalhista.[8] [9]

Em agosto de 2017 votou pelo arquivamento da denúncia de corrupção passiva do presidente Michel Temer.[10][11]

Inquérito do MPF[editar | editar código-fonte]

Em 2016, o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin autorizou a quebra dos sigilos fiscal e bancário de Izalci relativo aos anos de 2009 a 2011. A decisão foi tomada em inquérito instaurado pelo Ministério Público Federal (MPF) para investigar um suposto esquema de desvio de recursos públicos no Programa de Inclusão Digital, da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP/DF).[12] Izalci se disse tranquilo quanto às investigações.

Referências

  1. «Izalci Lucas». huffpostbrasil.com 
  2. Delmo Menezes (5 de outubro de 2017). «Executiva do PSDB chancela o nome de Izalci para presidente do partido no DF». Agenda Capital 
  3. https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2018/10/07/interna_cidadesdf,710924/izalci-surpreende-e-conquista-a-segunda-vaga-para-o-senado-no-df.shtml
  4. «Marco regulatório de ciência, tecnologia e inovação vira lei». Câmara dos Deputados. Consultado em 11 de outubro de 2017 
  5. «Deputado Izalci comenta MP sobre regularização de imóveis urbanos e rurais». Câmara dos Deputados. 5 de maio de 2017. Consultado em 11 de outubro de 2017 
  6. «Discursos e Notas Taquigráficas Sessão: 136.3.55.O». Câmara dos Deputados 
  7. Caio Zinet (9 de novembro de 2015). «Projeto de lei prevê prisão de docente que falar sobre "ideologia de gênero"». educacaointegral.org.br. Consultado em 11 de outubro de 2017 
  8. a b c G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  9. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  10. «Veja como votaram os deputados do DF na análise da denúncia contra Temer». G1 Distrito Federal. globo.com. 2 de agosto de 2017. Consultado em 2 de agosto de 2017 
  11. «Temer tem a pior aprovação desde o fim da ditadura, diz Ibope». Carta Capital. 27 de julho de 2017. Consultado em 2 de agosto de 2017 
  12. Caroline Bchara (16 de março de 2016). «STF autoriza quebra de sigilos fiscal e bancário do deputado federal Izalci Lucas». Metropoles. Consultado em 21 de abril de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Izalci Lucas no Facebook