Jorge Kajuru

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jorge Kajuru
Vereador de Goiânia Bandeira de Goiania.png
Período 1 de janeiro de 2017
até a atualidade
Vida
Nome completo Jorge Kajuru Reis da Costa Nasser
Nascimento 20 de janeiro de 1961 (56 anos)
Cajuru (SP), Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Dados pessoais
Partido PRP (2013-presente)[1]
PSOL[1]
PSB[2]
PPS[3]
Ocupação Jornalista esportivo, radialista e apresentador de televisão

Jorge Kajuru Reis da Costa Nasser, mais conhecido como Jorge Kajuru (Cajuru, 20 de janeiro de 1961), é um jornalista esportivo, radialista, apresentador de televisão, empresário, e político brasileiro, filiado ao Partido Republicano Progressista (PRP). Atualmente é vereador de Goiânia,[4] sendo o vereador mais votado da região.[5]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Quando ainda morava em Goiânia, Kajuru era proprietário da Rádio K (Rádio Clube de Goiás). A rádio foi tirada do ar temporariamente em diversas ocasiões durante o mandato do governador Marconi Perillo, do PSDB. Em 2002 o TRE de Goiás determinou, atendendo representação do governador, o fechamento da rádio por oito dias por reiterados descumprimentos à lei eleitoral.[6]

Em abril de 2005 estreou o programa "Fora do Ar", um talk-show no SBT com Adriane Galisteu Cacá Rosset e Hebe Camargo. O programa saiu do ar em setembro do mesmo ano.[7][8]

Em 1º de dezembro de 2008 lançou a TVKajuru, uma Web TV na Internet, com esporte, novidades, bom humor na Internet.[9] A TV Kajuru está localizada em Ribeirão Preto.

Em 2010, o programa Kajuru na Área para de ser exibido para a região de Campinas (onde ia ao ar pela TVB), e para o estado do Paraná (onde ia ao ar pela Rede Massa), sendo assim o programa continua sendo exibido apenas para as regiões de Ribeirão Preto e de Jaú.[carece de fontes?]

No dia 25 de janeiro de 2010, Jorge Kajuru começa a trabalhar na TV Esporte Interativo, com o programa "Kajuru Sob Controle",[10] que vai ao ar ao vivo e também pelo site da TV Esporte Interativo. Jorge Kajuru apresenta o programa ao lado de Melissa Garcia.[11] Kajuru admite em entrevista ao programa "Jogando em Casa" da TV Esporte Interativo que pela 1° vez na sua carreira pediu um emprego. Mesmo estando na TV Esporte Interativo, Kajuru não para de exibir o programa Kajuru na Área, que continua sendo gravado de segunda a sexta para as regiões de Ribeirão Preto e Jaú.[carece de fontes?]

Em junho de 2010, foi entrevistado pelo jornalista Roberto Cabrini, no Conexão Repórter, do SBT, onde ele anunciou o fim de sua carreira, e que seria sua ultima entrevista concedida.[12]

No dia 10 de janeiro de 2011, o programa "Kajuru Sob Controle" chega à sua segunda temporada. Em uns dos programas, Kajuru se "casa" com sua parceira de programa Melissa Garcia, e com direito a beijo no ar. Em julho do mesmo ano, Melissa viria a ser substituída por Kelly Dias.[13] Durante o ano, Kajuru foi convidado a participar dos programas "Adnet Ao Vivo", comandado por Marcelo Adnet na MTV, Pânico na TV, onde apresentou o quadro "Jô Suado"[14] e "Hebe", de Hebe Camargo, na Rede TV!

Em 2013, Jorge Kajuru fez uma revelação ao canal de Internet Esporte Interativo de que Marcella, segunda filha do jogador Túlio Maravilha, na verdade, é fruto de um caso extra-conjugal de Kajuru com Alessandra.[15]

Até junho de 2014, apresentava o programa O incrível Kajuru e o talk-show Kajuru Pergunta.[carece de fontes?] No mês seguinte, Kajuru foi demitido da TV Esporte Interativo e afirmou ter sido uma exigência de José Maria Marin, da CBF e de Carlos Nurzman da COB. Disse ainda ter ficado um ano sem receber pelo blog. Segundo Kajuru, a demissão também teria sido pedida pela agência que cuida da veiculação da propaganda da Sadia. Ao se referir aos assuntos, Kajuru chamou os dois dirigentes de ladrões, no desabafo dado nas redes sociais, em que acusou também a Esporte Interativo de caloteira.[16]

Política[editar | editar código-fonte]

Em 2011, Jorge Kajuru se filiou ao PPS, e segundo o partido, se candidataria ao cargo de vereador nas eleições de 2012[17][18] o que segundo Kajuru, não é verdade, alegando não estar preparado e não ter tempo disponível em razão dos trabalhos como jornalista.[19] Em 2013, voltou a política a pedido do senador Romário pelo PSB.[2] Kajuru teve uma breve passagem pelo PSOL e em 2013 se desfilou do partido para se filiar ao PRP.[1]

Ao final de junho de 2014, Kajuru anunciou sua candidatura para o cargo de Deputado Federal pelo estado de Goiás. Nas eleições, Kajuru obteve mais de 106 mil votos, sendo um dos 10 candidatos a deputado mais votados do estado. Mesmo com a votação expressiva, ele não foi eleito.[20]

Nas eleições de 2 de outubro de 2016, Jorge Kajuru concorreu ao cargo de vereador de Goiânia pelo PRP em coligação com o Democratas para fortalecer a base de vereadores do lado do governador Iris Rezende. Após a apuração de todas as urnas, Kajuru foi eleito com 37.796 votos (5,65% do total), sendo o vereador mais votado da cidade.[21][22]

O Dossiê K foi um livro escrito por Jorge Kajuru com denúncias de corrupção no Governo do Estado de Goiás, na gestão do então governador e candidato à reeleição Marconi Perillo. Em 28 de setembro de 2002 a impressão e distribuição do livro foram proibidas pelo TRE de Goiás até o término do período eleitoral de 2002. A Polícia Militar de Goiás cumpriu mandado de busca e apreensão no Campus 2 da Universidade Federal de Goiás para recolhimento de exemplares do livro que estavam sendo distribuídos gratuitamente. A ação causou controvérsia e notas oficiais de repúdio por parte da direção da Universidade, por ser considerada truculenta e por se tratar a Universidade Federal de território de competência da Polícia Federal.[23] Kajuru foi processado pelo então governador.[24]

Posicionamentos[editar | editar código-fonte]

Kajuru, pelo ímpeto crítico, fez muitas denúncias contra corrupção e más-gestões de governos. É conhecido por dar declarações polêmicas e por se opor ao merchandising em programas jornalísticos. Um levantamento realizado em 2004 mostrava que, até aquele momento, Kajuru respondia por 109 processos, a maioria por injúria e difamação, em quatro estados diferentes. Somente em São Paulo, correm 30 ações criminais contra ele.[24]

Em junho de 2010, em entrevista ao programa Conexão Repórter, do SBT, afirmou que a Seleção Brasileira perderia a Copa do Mundo daquele ano porque, segundo ele, estaria tudo comprado para o Brasil ganhar o Mundial de 2014. Ele voltaria a afirmar isso em entrevista ao mesmo programa em junho de 2014, e também no Esporte Interativo.[25] Contudo, nas semifinais da Copa do Mundo de 2014, o Brasil perdeu para a seleção alemã pelo placar de 7x1[26], e a Alemanha veio a ser a campeã, conquistando seu quarto título mundial.[27][28]

Foi demitido[29][30] (e pediu demissão[31]) de vários locais em que trabalhou, pediu demissão no ar quando trabalhava na RedeTV!.

Desavenças com Bóris Casoy[editar | editar código-fonte]

Em seu programa no SBT Kajuru na Área em 2009, Kajuru fez críticas ao jornalista Boris Casoy por um comentário ofensivo feito pelo jornalista no mesmo ano aos garis no Jornal da Band da Rede Bandeirantes. Para rebater as críticas, em 2013 Boris postou um vídeo no YouTube falando que Kajuru havia recebido dinheiro do bicheiro Carlinhos Cachoeira, quando este foi acusado pelo Blog do Paulinho (que é inimigo de Kajuru) de receber dinheiro e patrocínio da empresa do bicheiro entre 2010 e 2011.

Dias depois, em resposta a Bóris Casoy, Kajuru postou um outro vídeo no YouTube chamando Boris de fascista e pedófilo.

Ao acusar com termos ofensivos, Boris Casoy entrou com processo contra Kajuru por danos morais.[33]

Prisão e condenações judiciais[editar | editar código-fonte]

Em março de 2005 Jorge Kajuru foi condenado a dezoito meses de prisão em regime aberto por difamação à empresa Jaime Câmara Junior (OJC) e contra o presidente da empresa, Jaime Câmara Junior, durante transmissão da Rádio K do Brasil em 24 de janeiro de 2001.[34][35] Foi a primeira condenação definitiva de Kajuru.[36][37]

Em maio de 2005, foi condenado a pagar 100 salários mínimos (30 mil reais) a título de indenização por danos morais ao governador de Goiás, Marconi Perillo. Pesou contra ele uma condenação definitiva em ação movida por Marconi, onde teve de cumprir pena de 1 ano e 6 meses em regime aberto por crime contra a honra.[38]

Kajuru também foi condenado a um mês e cinco dias de detenção em regime aberto por ofender a honra do também jornalista esportivo Milton Neves.[39] Para a apresentadora Luciana Gimenez, o comentarista teve que pagar uma indenização de 40 mil por danos morais, e também será obrigado a pagar juros e correção monetária, contados a partir do início do processo.[40] Segundo o próprio Kajuru, já foram mais de 130 processos contra ele.[41][42]

Desaparecimento[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de julho de 2016, Jorge Kajuru veio a desaparecer, sem dar notícias de seu paradeiro. Contudo, o jornalista reapareceu dois dias depois. Kajuru alegou que esteve escondido no interior de São Paulo, após ter, segundo ele, recebido ameaças de morte.[43][44][45]

Participações na televisão[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Jorge Kajuru sai do PSOL e se filia ao PRP». Jornal Opção. 3 de outubro de 2013. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  2. a b «Kajuru encerra a carreira na TV e se filia a partido de Romário». O Globo. Globo.com 
  3. «Jornalista Jorge Kajuru se filia ao PPS». PPS. 27 de setembro de 2011. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  4. Pedro Rocha Franco (2 de outubro de 2016). «Jorge Kajuru é o vereador mais votado de Goiânia». O Tempo. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  5. «Kajuru é o candidato a vereador mais votado em Goiânia; veja lista». 3 de outubro de 2016. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  6. Chaves, Adriana (1 de outubro de 2002). «Rádio de Jorge Kajuru é fechada por ordem do TRE de Goiás». Consultado em 19 de agosto de 2010 
  7. «O que Hebe, Galisteu e Jorge Kajuru têm em comum???». Virgula. Uol. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  8. «Você se lembra do programa "fora do ar" do SBT?». rnnoticiastv. 15 de novembro de 2011. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  9. «TV Kajuru estreia dia 1º de dezembro». Blog do Paulinho. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  10. Otto Rezende. «Kajuru detona Esporte Interativo e chama emissora de "TV de rodoviária"». Portal Midia Esporte. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  11. «JORGE KAJURU REESTREIA NA TV, APÓS GRAVES PROBLEMAS DE SAÚDE». O fuxico. 10 de janeiro de 2011. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  12. «Roberto Cabrini entrevista com exclusividade Jorge Kajuru». SBT. 11 de junho de 2010. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  13. Bruno Freitas. «Kajuru diz ter recusado fortuna da Record e revela torcida contra seleção em 2014». Uol. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  14. «Jorge Kajuru apresenta quadro Jô Suado no Pânico na TV». D24am. 21 de novembro de 2011. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  15. «Jorge Kajuru revela ser o pai da segunda filha de Túlio Maravilha». O Dia. iG. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  16. «Após chamar dirigentes da CBF e do COB de "ladrões", Jorge Kajuru é demitido de emissora de TV». VARELA Notícias. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  17. «Jorge Kajuru se filia ao PPS e planeja disputar vaga na Câmara dos Vereadores em 2012». Uol. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  18. «Kajuru se filia ao PPS e mira vaga na Câmara de São Paulo». Terra. 27 de setembro de 2011. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  19. «Jorge Kajuru desmente candidatura a vereador em SP». Jovem Pan. Uol. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  20. Gabriel Vaquer (6 de outubro de 2014). «Jorge Kajuru é bem votado, mas não consegue ser eleito como deputado». NaTelinha. Consultado em 26 de janeiro de 2016 
  21. «Apuração Município Goiânia - GO». Valor Econômico. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  22. «kajuru-e-o-candidato-vereador-mais-votado-em-goiania-veja-lista». Consultado em 13 de Fevereiro de 2017 
  23. Chaves, Adriana (03 de outubro de 2002). «PM invade campus de universidade atrás de livros de Jorge Kajuru». Consultado em 19 de agosto de 2010  Verifique data em: |data= (ajuda)
  24. a b «Jornalistas esportivos disputam partida acirrada nos tribunais». Consultor Jurídico. Consultado em 18 de julho de 2011 
  25. Folha Política (8 de junho de 2014). «Kajuru afirma que Copa de 2014 está comprada para o Brasil; veja o vídeo». Consultado em 11 de outubro de 2015 
  26. «7 curiosidades sobre o 7x1 de Brasil e Alemanha - Ultra Curioso». 8 de julho de 2015. Consultado em 3 de julho de 2016 
  27. «Alemanha é campeã da Copa do Mundo de 2014». Portal Brasil. Consultado em 3 de julho de 2016 
  28. «Jorge Kajuru fala sobre seu retorno à televisão, livro e esportes no Bate-papo UOL». UOL. 18 de dezembro de 2007. Consultado em 15 de fevereiro de 2012 
  29. «Kajuru critica governo de Minas e é demitido da TV Bandeirantes». Consultor Jurídico. 10 de junho de 2004. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  30. «Jorge Kajuru fala sobre sua saída do Esporte Interativo». Midia Esportiva. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  31. «Kfouri e Kajuru deixam a RedeTV!». Estadão. 3 de julho de 2002. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  32. «Kajuru chama Boris de pedófilo». O Tempo. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  33. «Casoy teria pedido R$100 mil em ação a Kajuru,que o teria chamado de "pedófilo, lixo, homossexual e fascista". Veja o vídeo com a suposta acusação». Esportes. R7. 6 de março de 2014. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  34. «Situação de Jorge Kajuru pode piorar». Barra Pesada. Consultado em 18 de julho de 2011 
  35. «Kajuru é condenado a 18 meses de prisão aberta». Terra. 25 de março de 2005. Consultado em 19 de agosto de 2010 
  36. Dines, Alberto (03 de maio de 2005). «O Direito é de fachada e nossa Justiça é uma mentira». Consultado em 19 de agosto de 2010  Verifique data em: |data= (ajuda)
  37. «Kajuru é condenado a prisão em regime aberto por 18 meses». Consultado em 13 de Fevereiro de 2017 
  38. «STJ livra apresentador Jorge Kajuru de dormir em albergue». Última Instância. Consultado em 18 de julho de 2010 
  39. «Kajuru é condenado por ofender a honra de Milton Neves». Consultor Jurídico. Consultado em 18 de julho de 2011 
  40. «Jorge Kajuru terá que pagar R$ 40 mil a Luciana Gimenez». Terra. Consultado em 18 de julho de 2011 
  41. «Tapete vermelho para Kajuru na Câmara». Folhaz. 3 de outubro de 2016. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  42. «Ameaçado de morte, Jorge Kajuru está desaparecido». DiarioSP. Consultado em 13 de fevereiro de 2017 
  43. «Notícia sobre desaparecimento de Jorge Kajuru preocupa amigos». Consultado em 4 de julho de 2016 
  44. «Jorge Kajuru revela que sumiu por ter recebido ameaça de morte». Consultado em 4 de julho de 2016 
  45. «Duro é passar o que passei, diz Kajuru após desaparecimento». Consultado em 4 de julho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Jorge Kajuru