Engenheiro agrônomo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Flag of Brazil.svgGnome-globe.svg
Esta página ou seção está redigida sob uma perspectiva principalmente brasileira e pode não representar uma visão mundial do assunto.
Por favor aperfeiçoe este artigo ou discuta este caso na página de discussão.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

O Engenheiro Agrônomo é um profissional com formação de ensino superior. Seu campo de atuação é vasto, abrangendo áreas como: fitotecnia, fitossanidade, zootecnia, solos, engenharia rural, meio ambiente, mecanização, economia, agroindústria, entre outras. Para atuar no Brasil, o profissional deve ser registrado no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia - CREA. O dia do Engenheiro Agrônomo é comemorado no dia 12 de outubro;

As atribuições profissionais no Brasil são regulamentadas pelo art. 5º da Resolução 218 de 29 de junho de 1973 do CONFEA,[1] sem prejuízo das previstas no Decreto Federal n.º 23.196 de 12/10/33[2] e da Lei n.º 5.194/1966.[3]

Placa de colação de grau em Engenharia Agronômica na UESPI

Profissão[editar | editar código-fonte]

O nome correto e único do curso que forma os engenheiros agronomos, no Brasil, é Agronomia, conforme o DECRETO-LEI Nº 9.585, DE 16 DE AGOSTO DE 1946, em vigor, que concede o título de Engenheiro Agrônomo aos diplomados por estabelecimentos de ensino superior de Agronomia. Diz seu Art. 1º:

Aos alunos que terminarem o curso da Escola Nacional de Agronomia e dos estabelecimentos congêneres, reconhecidos pelo Governo Federal, será conferido o título de Engenheiro-Agrônomo com direito a registro na Superintendência do Ensino Agrícola e Veterinário, do Ministério da Agricultura, na forma de legislação em vigor.

A Engenharia Agronômica (português brasileiro) ou Engenharia Agronómica (português europeu), portanto, sem suporte legal, poderia designar algum campo restrito e específico da Agronomia que engloba todas as normas daquilo proveniente do campo (produção vegetal e animal) inclusive a moderna ciência pura e aplicada dos sistemas de produção geradas pelo Agro

As atribuições legais dos formados em Agronomia são aquelas definidas pelo no Decreto Federal n.º 23.196 de 12/10/33 combinado pela Lei 5.194/66. As Resolucões 184 e 218 do CONFEA foram revogadas. Percebe-se que o nome do curso Agronomia é que dá o título profissional e não o contrário.

A Engenharia Agronômica, muitas vezes confundido com Agronomia, na verdade não existe. Ressalta-se que a Portaria CES/CNE n. 2 do MEC — que trata do curso de Agronomia — que criou o neologismo Engenharia Agronômica, é hierarquicamente inferior aos Decretos acima citados, não tem poderes conferir outra denominação, como Engenharia Agronômica, ou ser contrária a diplomas legais superiores hierarquicamente.

É uma profissão com capacidade de realizar análise científica, de identificar e resolver problemas, preocupar-se com atualização permanente de conhecimentos e de tomar decisões com a finalidade de operar, modificar e criar sistemas agropecuários e agroindustriais sempre se preocupando com os aspectos sociais e de sustentabilidade.

O conteúdo profissional essencial, é composto de matérias destinadas a caracterização da identidade profissional Agropecuária. Além disso, o profissional conta com matérias de conteúdos profissionais específicos, como engenharia rural, meio ambiente, economia, zootecnia, fitotecnia entre outras..

A Engenharia Agronômica possui grande conhecimento de Engenharia Rural, silvicultura, meio ambiente, biologia vegetal, química, bioquímica, solos, mecanização, irrigação, fitotecnia, fitossanidade, economia rural, meteorologia, interação entre a planta e o solo, manejo de plantas e animais, zoonoses, controle de pragas agrícolas e urbanas, entre muitas outras. É uma profissão ampla em atribuições.

Atividade da Agronomia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Agronomia

(…) Ressalta-se que a agronomia tem ampla diversidade de atribuições, respeitados os limites do artigo 5º da Resolução 218. Além dos trabalhos mais óbvios da profissão, como os ligados à agricultura geral, zootecnia, engenharia rural, horticultura, fruticultura, grandes culturas, solos, mecanização e construções rurais, são também atribuições do Engenheiro Agrônomo os trabalhos profissionais de planejamento, assistência técnica, consultoria, análise de viabilidade técnica e econômica, perícia, ensino, pesquisa e extensão relacionados às atividades acima citadas, assim como a armazéns e armazenagem, tecnologia de alimentos, irrigação e drenagem, ecologia, estudos e avaliação de espécies animais e vegetais, formação, recuperação, e manejo de pastagens e alimentação e reprodução de animais, melhoramento genético de plantas e animais.

Entretanto, é preciso reconhecer que outras profissões têm atribuições em áreas de sombreamento com a Agronomia, quais sejam: engenharia agrícola, civil, florestal, de alimentos, zootecnia, veterinária, agrimensura, economia, administração, biologia, geografia, meteorologia, etc… [4]

Veja também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Engenheiro agrônomo

Referências

  1. [1]
  2. [2]
  3. [3]
  4. Retirado da página 61 do livro PERÍCIA AGRONÔMICA: ELEMENTOS BÁSICOS; escrito pelo Engenheiro Agrônomo Eliezer Furtado de Carvalho e editado pela Gráfica e Editora Vieira, da cidade de Goiânia-GO

Ligações externas[editar | editar código-fonte]