Universidade Estadual do Piauí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de UESPI)
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade Estadual do Piauí
UESPI
Fundação 1984
Tipo de instituição Pública, estadual
Localização Teresina, Piauí
Reitor(a) Nouga Cardoso Batista
Vice-reitor(a) Barbara Melo
Total de Estudantes 28428
Afiliações CRUB, RENEX[1] e ABRUEM
Página oficial Site oficial da Universidade Estadual do Piauí

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) é uma instituição de ensino superior pública estadual, com sede na cidade de Teresina, capital do estado do Piauí, mantida pela Fundação Universidade Estadual do Piauí (FUESPI).

História[editar | editar código-fonte]

Vitrine sobre o Vestibular de 2002 em exposição sobre educação no Piauí.

Surgida a partir da criação, em 1984 da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Educação do Estado do Piauí – FADEP, Pela Lei Estadual nº 3.967. No início da década de 1990 a personalidade jurídica evolui para Universidade Estadual do Piauí - UESPI. Em fins da década de 1990 expande sua atuação nas maiores cidades do Piauí, além da Bahia, Pernambuco e Maranhão[2].

Reitores(as)[editar | editar código-fonte]

Prof. Dr. Nouga Batista Cardoso, atual reitor da UESPI (Foto: Antonio Filho Piauiense)
  • Padre Getúlio de Alencar
  • Ivelino Prado
  • Almir Bittencourt[3]
  • Profº. Dr. Jônathas de Barros Nunes
  • Profª. Socorro Cavalcante
  • Profª. Ms. Valéria Madeira Martins Ribeiro(eleita)
  • Profª. Maria Oneide Fialho Rocha (pro tempore)[4]
  • Profº. Ms. Carlos Alberto da Silva Pereira(eleito)
  • Profº. Dr. Nouga Cardoso Batista - 2014 até 2017- (eleito)

Pró-Reitores(as)[editar | editar código-fonte]

Prof. Dr. Nouga Batista Cardoso, atual reitor da UESPI (Foto: Antonio Filho Piauiense)

Campi[editar | editar código-fonte]

Campus Poeta Torquato Neto[editar | editar código-fonte]

É o campus sede da Universidade, onde funciona o Palácio Pirajá que abriga a Administração Superior (Reitoria, Pró-Reitores, Departamentos e Diretorias).

Funcionam no Campus os cursos de:

  • Ciências Contábeis
  • Segurança Pública
  • Administração de Empresas
  • Ciências da Computação
  • Biblioteconomia
  • Direito
  • Comunicação Social – Hab. em Jornalismo e Relações Públicas
  • Engenharia Civil
  • Engenharia Elétrica
  • Licenciatura Plena em Computação
  • Ciências Biológicas
  • Educação Física
  • Licenciatura em Física
  • Química
  • Matemática
  • Letras/Português
  • Letras/Inglês
  • Letras/Espanhol
  • Pedagogia
  • Turismo
  • Geografia
  • História
  • Medicina

Campus Clóvis Moura[editar | editar código-fonte]

Criado em 2001, por meio do Decreto N° 10.690, de 13 de Novembro, o Campus inicialmente recebeu o nome de Campus do Dirceu. Em 2005 a Lei Ordinária Nº 5.451, de 24/05/2005[5], alterou sua denominação para Clóvis Moura(escritor natural da cidade de Amarante).

No Campus, funcionam os cursos de:

  • Geografia
  • História
  • Letras/Português
  • Pedagogia
  • Direito
  • Administração de Empresas
  • Ciências Contábeis
  • Licenciatura Plena em Matemática
  • Administração

Campus Alexandre Alves (Parnaíba)[editar | editar código-fonte]

Criado em 1991, o campus da cidade de Parnaíba é um dos maiores da Instituição e, em 2005, recebeu a denominação de professor Alexandre Alves.

No Campus são ofertados os cursos de:

Campus Drª Josefina Demes (Floriano)[editar | editar código-fonte]

Criado em 1991, o Campus Drª Josefina Demes, localizado na cidade de Floriano (a 240 quilômetros de Teresina), é o segundo maior da Universidade em número de alunos.

Em Floriano funcionam os cursos de:

  • Geografia
  • História
  • Enfermagem
  • Direito
  • Ciências Biológicas
  • Pedagogia
  • Letras/Português
  • Ciências Contábeis
  • Computação
  • Educação Física
  • Administração de Empresas

Drª Josefina Demes foi uma das imigrante árabes de Floriano, sendo a primeira mulher com um título de graduação na região. Era farmacêutica-bioquímica e os florianenses reivindicam para ela a invenção da aguardente alemã, também conhecida como tintura de jalapa.[6]

Campus Professor Barros Araújo (Picos)[editar | editar código-fonte]

O Campus "Professor Barros Araújo", também criado em 1991, fica localizado na cidade de Picos (330 quilômetros de Teresina). O primeiro curso implantado foi o de Ciências Contábeis. Em 1997 acontece a aula inaugural dos cursos de Ciências Biológicas e Direito, e a partir do ano 2000 os outros cursos foram sendo implantados.

Atualmente, o Campus oferece à comunidade os cursos de:

  • Administração de Empresas
  • Agronomia
  • Direito
  • Educação Física
  • Pedagogia
  • Ciências Contábeis
  • Letras/Português
  • Ciências Biológicas
  • Lic. Plena em Computação
  • Comunicação Social – HAB em Relações Públicas e Jornalismo
  • Enfermagem
  • Letras/Espanhol (EaD)
  • Administração Pública (EaD)

Corrente[editar | editar código-fonte]

O Campus de Corrente, está localizado na cidade com o mesmo nome e funciona desde 1993.

Corrente fica a pouco mais de 800 quilômetros de Teresina e lá são ofertados os cursos de:

Bom Jesus[editar | editar código-fonte]

O Campus Universitário da Cidade de Bom Jesus foi instituído em 2000. Lá, são oferecidos os cursos de:

  • Direito
  • Licenciatura Plena em Letras/Português

Campus Heróis do Jenipapo (Campo Maior)[editar | editar código-fonte]

Portal do Campus Herois do Jenipapo em Campo Maior.

O Campus de Campo Maior (82 quilômetros de Teresina) foi criado em 1993; em 11 de dezembro de 2003 a Lei Estadual nº 5.358[7], conferiu a denominação de "Campus Heróis do Jenipapo". São oferecidos pela Universidade em Campo Maior os cursos de:

Campus Professor Wilson Brandão (Valença)[editar | editar código-fonte]

O Campus Universitário da Cidade de Valença do Piauí, foi criado em 2000, oferece à comunidade os cursos de Licenciatura Plena em Matemática e Pedagogia.

Banco artesanal de pedra no campus de Campo Maior.

Piripiri[editar | editar código-fonte]

Biblioteca do campus de Piripiri.

O Campus Universitário da Cidade de Piripiri (160 quilômetros ao Norte de Teresina). Pela Lei Estadual Nº 5.500, de 11 de outubro de 2005[8], passou a denominação personativa de Campus Prof. Antonio Geovanne Alves de Sousa. O Campus Conta com os cursos de:

  • Pedagogia
  • Direito
  • Bacharelado em Ciência da Computação
  • Licenciatura Plena em Letras/Inglês
  • Licenciatura Plena em Letras/Português
  • Licenciatura Plena em Química
  • Licenciatura Plena em Física
  • Licenciatura Plena em Filosofia (EAD)
  • Licenciatura Plena em História (EAD)
  • Licenciatura Plena em Ciências da Computação (EAD)
  • Bacharelado em Administração Pública (EAD)

Curimatá[editar | editar código-fonte]

O Campus Universitário de Curimatá foi instituído em 2000. O Campus conta com o curso de graduação plena em Pedagogia.

Campus Possidônio Queiroz (Oeiras)[editar | editar código-fonte]

Vista da frontaria do campus de Oeiras.

O Campus Possidônio Queiroz, da cidade de Oeiras, foi criado em 24 de janeiro de 2000. Em Oeiras são ofertados os cursos de:

  • Licenciatura Plena em História
  • Pedagogia
  • Computação
  • Licenciatura Letras/Português

Paulistana[editar | editar código-fonte]

O Campus Universitário da cidade de Paulistana (a cerca de 450 quilômetros ao Sul de Teresina). Em Paulistana são oferecidas as graduações em:

  • Matemática
  • Pedagogia.

Campus Professora Nair Bezerra Pereira Alves (Fronteiras)[editar | editar código-fonte]

Criado em 2001, o Campus Universitário de Fronteiras oferece os cursos de:

  • Administração de Empresas
  • Letras/Português
  • Pedagogia

Barras[editar | editar código-fonte]

O Campus Universitário da cidade de Barras, criado em 2001, oferece à comunidade os cursos de:

  • Pedagogia
  • Geografia
  • Ciências Contábeis

Luzilândia[editar | editar código-fonte]

O Campus Universitário da Cidade de Luzilândia foi instituído em 1999 e oferece as graduações de:

  • Computação
  • Pedagogia
  • Letras/Português

Uruçuí[editar | editar código-fonte]

O Campus Universitário da Cidade de Uruçuí oferece à comunidade os cursos de:

  • Agronomia
  • Administração de Empresas
  • Pedagogia

Pesquisa[editar | editar código-fonte]

Vitrine sobre o Vestibular de 2002 em exposição sobre educação no Piauí.

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) investe na pesquisa científica em diferentes áreas como forma de expandir continuamente o conhecimento humano, tentando responder diversas questões da sociedade. Assim, a Pesquisa é fundamental na composição da universidade, exigindo ações e estratégias que garantam a oportunidade de uma produção científica de qualidade.

Áreas contempladas na UESPI: Ciências Humanas e Letras, Ciências da Educação, Comunicação e Artes, Ciências da Natureza, Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Médicas, Educação do Campo.

Grupos de Pesquisa: 99.

Projetos de Pesquisa cadastrados: 244.

PIBIC 2013/2014 (Programa de Bolsas de Iniciação Científica): 248.

Bolsistas de Produtividade do CNPq: 02.

Atualmente possui: 2 mestrado acadêmicos (Letras e Química) e 2 profissionais (Letras e Matemática).

Atualmente possui: Professor/Pesquisador 1º Colocado no Ranking do Estado do Piauí (Todas as Áreas) segundo o *Google Acadêmico) https://scholar.google.com.br/citations?mauthors=piau%C3%AD&hl=pt-BR&view_op=search_authors

Professor/Pesquisador da UESPI está entre os mais citados da ciência nacional[editar | editar código-fonte]

Vitrine sobre o Vestibular de 2002 em exposição sobre educação no Piauí.

O ranking foi divulgado pelo Webometrics Ranking of World Universities

[28/05/2015]

O Webometrics Ranking of World Universities divulgou ranking dos cientistas mais citados de instituições brasileiras de acordo com o “Google Scholar Citations” (GSC). Dentre os 6.000 pesquisadores brasileiros ranqueados, apenas 6 pesquisadores são professores das instituições de ensino superior e pesquisa no estado do Piauí, um vinculado a UESPI (Prof. Dr. Laécio Santos Cavalcante), quatro vinculados a UFPI e um vinculado ao IFPI. A UESPI encontra-se em 386º-colocado. Portanto, está entre os 400 (quatrocentos) primeiros colocados em pesquisa dentre todas as Universidades Brasileiras. Veja o posicionamento no ranking nacional, os nomes dos professores, instituições de ensino superior e pesquisa piauiense, Fator H e número de citações na lista abaixo:

RANK NAME ORGANIZATION H-INDEX CITATIONS
386º Laécio Santos Cavalcante Universidade Estadual do Piauí (UESPI) 34 3002
1658º Rivelilson Mendes de Freitas Universidade Federal do Piauí (UFPI) 22 1866
1717º Paulo Michel Pinheiro Ferreira Universidade Federal do Piauí (UFPI) 22 1574
3847º Edson Cavalcanti da Silva Filho Universidade Federal do Piauí (UFPI) 16 685
5198º Alessandro de Lima Instituto Federal do Piauí (IFPI) 13 684
5243º José Machado Moita Neto Universidade Federal do Piauí (UFPI) 13 656

Acesse a lista completa em: http://www.webometrics.info/en/node/102

“Esses fatos reforçam a necessidade da UESPI se expandir e consolidar seus grupos de pesquisa ligados às grandes colaborações nacionais e internacionais. Essa atividade de pesquisa não apenas promove a internacionalização da Universidade como realça a posição da UESPI dentre as instituições mais produtivas do Brasil”, comenta o Reitor: Nouga Cardoso Batista.

Este ranking foi realizado pela primeira vez e baseado a partir de informações coletadas durante a primeira semana de Abril de 2015 e atualizado [28/04/2015] a partir dos perfis públicos dos pesquisadores que atuam em instituições brasileiras.

Os organizadores informam que se trata de um Ranking BETA. Aqueles que desejam mais informações ou encontrarem lacunas ou falhas nos dados apresentados podem escrever para [[5]]

O Webometrics Ranking of World Universities é uma inciativa do Cybermetrics Lab., grupo de pesquisa que integra o Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC), o maior grupo público de pesquisa da Espanha.

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [1]
  2. Revista Terra Querida. órgão de publicidade do governo do estado do Piauí. Edição 08, novembro de 2009.
  3. Estes 3 primeiros reitores são elencados na página 57 de BASTOS, Cláudio de Albuquerque. Dicionário histórico e geográfico do estado do Piauí. Teresina, FCMC/PMT, 1994
  4. O edital do Vestibular 2004 da USPI, homologado pela Resolução CONSUN 034/2003, de 11 de setembro de 2003.
  5. Publicada na edição Nº 98 do Diário Oficial do Estado do Piauí, de 27/05/2005 [2]
  6. SOARES, Sidney. Enciclopédia dos Municípios Piauienses. Fortaleza; Escola gráfica Santo Antonio. 1972
  7. Publicada no Diário Oficial do Estado do Piauí [3]edição N° 238, de 12-12-2003
  8. Diário Oficial do Estado do Piauí, edição numero 195, de 14 de outubro de 2005[4].
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Universidade Estadual do Piauí