Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí

FAPEPI
Organização
Natureza jurídica Fundação pública[2]
Missão Estimular o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do Estado do Piauí; Propiciar a alocação de recursos para o desenvolvimento de pesquisas de interesses do Estado do Piauí e garantir a geração, difusão e transferência de conhecimentos científicos e tecnológicos[3].

mediante apoio à capacitação de recursos humanos e realização de eventos

Dependência Governo do Estado do Piauí
Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico - SEDET
Chefia Francisco Guedes Alcoforado Filho
Localização
Jurisdição territorial  Piauí
Sede Teresina,  Piauí
Histórico
Criação 20 de dezembro de 1993 (23 anos)
Sítio na internet
[1]
Sapiênca, a revista da FAPEPI, numa vitrine de biblioteca municipal.

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI) é uma fundação do governo do estado do Piauí que tem como finalidade estimular o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado do Piauí.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1989 a Constituição do Estado do Piauí de 1989, no artigo 235 já mandava sobre a criação da entidade e em a Lei Estadual N° 4.664 de 20 de dezembro de 1993, sancionada no Palácio Pirajá pelo governador Antônio de Almendra Freitas Neto, regulamenta o mandamento constitucional e cria a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí “Professor Afonso Sena Gonçalves”, inicialmente pertencia à Secretaria da Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia[4][5][6][7].

Competências institucionais[editar | editar código-fonte]

  • Custear total ou parcialmente, projetos de pesquisas individuais ou institucionais, oficiais ou particulares, julgados aconselháveis por seus órgãos competentes;
  • Fiscalizar a aplicação dos auxílios liberados e tomar as providências cabíveis, em caso de aplicações irregulares dos recursos;
  • Manter o cadastro das unidades de pesquisa existentes no Estado, de seu pessoal e de infraestrutura;
  • Manter um cadastro das pesquisas, no Estado do Piauí;
  • Promover estudos sobre o estado geral de pesquisas, no Estado e no país, identificando os campos que devam receber prioridade de fomento;
  • Promover o intercâmbio de pesquisadores através da concessão com complementação de bolsas de estudos ou de pesquisa, no País e no exterior;
  • Promover e subvencionar a publicação e divulgação dos resultados das pesquisas;
  • Apoiar a realização de eventos técnico-científicos, no Estado.

Publicação[editar | editar código-fonte]

A entidade publica as pesquisas na revista SaPIência[8].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Página no Facebook

Referências

  1. OS PRESIDENTES DA FAPEPI. FAPEPI. Acesso em 21 de abril de 2017
  2. 2011 [3> 3>] Verifique valor |url= (ajuda)  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO PIAUÍ “PROF. AFONSO SENA GONÇALVES” - REGIMENTO INTERNO. FAPEPI. Acesso em 21 de abril de 2017.
  4. LEI Nº 4.664, de 20 de dezembro de 1993 – Cria a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí – FAPEPI “Professor Afonso Sena Gonçalves”, Alterada pela Lei nº. 5.312, de 17 de julho de 2003 e pela Lei nº. 5.456 de 30 de junho de 2005. www.fapepi.pi.gov.br. Acesso em 20 de abril de 2017.
  5. SOARES, Nildomar da Silveira. Leis Básicas do Estado do Piauí. Teresina; O autor, 2000
  6. NAPOLEÃO, Hugo (senador). Constituição Estadual. Teresina; Gabinete do senador Hugo Napoleão do Rego Neto; novembro de 1998.
  7. BASTOS, Cláudio de Albuquerque. Dicionário Histórico e Geográfico do Estado do Piauí. Teresina; Fundação Cultura Monsenhor Chaves, 1994.
  8. SaPIência. edição nº 40, XII, julho de 2016. ISSN 1809-0915