Telecomunicações do Piauí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
TELEPISA
Edifício onde funcionou a sede da Telepisa.
Razão social Telecomunicações do Piauí S/A
Nome(s) anterior(es) Telefones do Piauí S/A (1960-1972)
Atividade Telecomunicações
Gênero Sociedade anônima
Fundação 7 de dezembro de 1960 (1960-12-07)
Destino Foi transferida para a Tele Norte Leste, que foi privatizada para o consórcio Telemar (Andrade Gutierrez, Inepar, Macal Investimentos, Fiago Participações e Banco do Brasil, através da Brasilveículos e Companhia de Seguros Aliança do Brasil)
Encerramento 29 de julho de 1998 (1998-07-29)
Sede Teresina,  Brasil
Área(s) servida(s)  Piauí
Locais Teresina, Picos, Altos, Floriano e Água Branca
Proprietário(s)
Presidente Freitas Neto
Serviços Telefonia fixa
Empresa-mãe Telebras (1972-1998)
Subsidiárias Telepisa Celular
Sucessora(s) Tele Norte Leste → TelemarOi

Telecomunicações do Piauí - TELEPISA foi a empresa operadora de telefonia do sistema Telebras[1] no estado do Piauí antes da privatização em 1998,[2] onde as operações na telefonia fixa foram absorvidas pela Telemar, atual Oi.

História[editar | editar código-fonte]

Sua criação foi autorizada pela lei estadual nº 2.060, de 7 de dezembro de 1960 com o nome de Telefones do Piauí Sociedade Anônima[3], posteriormente em 1972 sua denominação foi alterada para Telecomunicações do Piauí S/A.

Em 1973, a TELEPISA tinha 3 607 terminais em operação e, em 1984, esse número já era 41 051.[4]

Em 1998, o Ministério das Comunicações decidiu dividir a Telebras em doze companhias: três holdings das concessionárias regionais de telefonia fixa, essa situação verifica a abertura do mercado, uma holding da operadora de longa distância e oito holdings das concessionárias da telefonia móvel Banda A.

A maior delas era Norte Leste S.A., que era composta pela TELEPISA e por outras empresas: TELERJ, TELEST, TELERGIPE, TELASA, TELPE, TELPA, TELERN, TELECEARÁ, TELEPISA, TELMA, TELEPARÁ, TELAMAZON, TELEAMAPÁ, TELAIMA, TELEMIG e TELEBAHIA. A Norte Leste S.A. é transformada em Telemar em abril de 1999.

Em 2001, as 16 empresas que compunham a Telemar foram integradas, dando origem a uma empresa única. Em 2002, foi criada a "Oi", braço de telefonia móvel da Empresa. Em 2007, a Oi torna-se a marca única da Empresa e de todos os seus serviços (mas muitos ainda costumam a se referir à empresa como Telemar).

Galeria[editar | editar código-fonte]

Orelhão da Telepisa nos 1980s.
Logomarca da empresa em 1972.
Poço de visita em Teresina.
Caixa de linhas em Campo Maior.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. G. Médici, Emílio; Delfim Netto, Antônio; Paulo dos Reis Velloso, João; C. Corsetti, Hygino (11 de julho de 1972). «Lei nº 5.792, de 11 de julho de 1972». Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil da Presidência da República Federativa do Brasil. Consultado em 28 de fevereiro de 2020 
  2. Henrique Cardoso, Fernando; Resende, Iris; Kandir, Antonio; Motta, Sergio; Maria Costin, Cláudia (16 de julho de 1997). «Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997». Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil da Presidência da República Federativa do Brasil. Consultado em 29 de fevereiro de 2020 
  3. Regulamento Geral da Telefones do Piauí S/A publicado em Guia dos Telefones do Piauí de 1972. [S.l.: s.n.] pp. 11–12 
  4. Bastos, Cláudio. Dicionário Histórico e Geográfico do Estado do Piauí. Teresina: [s.n.] 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre telefonia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.