Tecsat

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Tecsat
Empresa privada
Atividade Telecomunicações
Fundação 1985 (38 anos)
Encerramento dezembro de 2007 (15 anos)
Sede Bandeira de São José dos Campos.svg São José dos Campos, São Paulo
Área(s) servida(s)  Brasil
Locais Cobertura nacional
Proprietário(s) Grupo Tectelcom
Produtos Televisão por assinatura

A Tecsat foi uma fabricante brasileira de antenas e receptores de televisão fundada em 1985, na cidade de São José dos Campos, no estado de São Paulo.[1] A empresa era conhecida por seus sistemas de recepção de televisão via antena parabólica e posteriormente, pela empresa de televisão por assinatura homônima fundada pelo grupo em 1998.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A Tecsat surgiu em 1985 como uma divisão do Grupo Tectelcom, fabricando sistemas de recepção para televisão via satélite, antenas parabólicas, decodificadores e receptores de sinal.[carece de fontes?]

Na década de 1990, a empresa passou a operar uma estação de uplink, fabricar receptores DTH (direct to home) para TV por assinatura e equipamentos de fibra óptica.[3]

Em 1991, fechou uma parceria com a Globosat para a fabricação de receptores e antenas para serviço em banda C. Em 2001, venceu uma licitação com o Ministério da Educação para implementar um sistema similar para a TV Escola.[4]

Televisão por assinatura[editar | editar código-fonte]

Em 1996, após o rompimento com o Grupo Globo e não ter conseguido fechar um contrato para fornecimento de equipamentos com as novas operadoras Sky e DirecTV, a Tecsat demonstrava cada vez mais interesse em participar da concorrência com um serviço próprio.

Em 20 de março de 1998, a Tecsat lançava seu próprio serviço de televisão por assinatura, sendo o primeiro serviço totalmente independente a utilizar base de geração e equipamentos fabricados pela própria empresa no Brasil.[2] Inicialmente, a operadora contava com os canais da programadora HBO Brasil em seu line-up como o HBO e HBO 2, E! Entertainment, Sony, Warner, A&E Mundo e CineMAX, além de uma parceria exclusiva com o Conselho Federal de Medicina que gerou o Canal Médico Executivo.[5]

Em 1999 surgiam os primeiros problemas. No mês de julho, a Tecsat foi pressionada a retirar os canais programados pela HBO Brasil do ar, motivada por uma suposta vistoria feita pela programadora no número de assinantes da empresa que sequer foi divulgado.[6] O caso foi parar nas páginas judiciais no dia 9 de agosto do mesmo ano, onde a operadora pedia a volta dos canais em seu line-up.[7] Ainda em agosto de 1999, a Tecsat e o Conselho Federal de Medicina romperam a parceria e o Canal Médico Executivo foi descontinuado.[5]

Em 22 de setembro de 1999, a HBO e a DirecTV anunciaram um contrato de exclusividade para distribuição de seus canais no Brasil,[8] e com isso, em 2000, a Tecsat se lançou como programadora colocando no ar os canais de cinema TecCine e CineHouse, com filmes exibidos anteriormente pela Rede Bandeirantes. No mesmo ano, o canal The Weather Channel retirou o seu sinal da operadora por suposta falta de pagamento, mas, segundo a assessoria da Tecsat, o motivo teria sido a troca pelo canal brasileiro Climatempo.[9]

Nos anos seguintes, a operadora também teve como canais exclusivos o esportivo NSC, a NGT, o Hallmark, o TCM e os canais de cinema adulto CineSex e Canal Adulto. A empresa se tornou conhecida devido aos preços de seus serviços de televisão por assinatura, sendo mais barato que os seus demais concorrentes na época.[carece de fontes?]

Falência[editar | editar código-fonte]

Em 2000, a Tectelcom, fabricante dos receptores e antenas da Tecsat entrou em concordata devido a uma dívida de aproximadamente 3 milhões de reais.[10] Em 2004, um juiz da 2ª Vara Cível de São José dos Campos declarou a falência da empresa acatando o pedido de alguns dos seus credores,[11] porém, cinco dias depois, o presidente da Tecsat conseguiu suspender a falência através de uma liminar.[12]

Em 2006, uma greve de cerca de trezentos trabalhadores parou a produção de antenas e receptores. Os funcionários protestavam contra quatro meses de salários atrasados e devido ao não pagamento do FGTS por parte da empresa.[13]

Em 26 de junho de 2007, com pouco menos de 60 mil assinantes, o contrato com a fornecedora de satélites Intelsat acabava e afetou as operações da Tecsat, tirando o seu sinal do ar.[10] Sem receber sinal e nenhuma justificativa, muitos assinantes registraram reclamações formais na Agência Nacional de Telecomunicações, que cassou a concessão da empresa em dezembro do mesmo ano.[14]

Referências

  1. Região, Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e. «Reunião virtual discute processo da Tecsat, nesta quinta-feira». Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 
  2. a b Possebon, Samuel (2009). TV por assinatura: 20 anos de evolução. [S.l.]: Samuel Possebon. p. 130 
  3. «Tecsat quer crescer no mercado de fibras ópticas». TELA VIVA News. 2 de março de 2001. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 
  4. «Tecsat vence pregão para fornecer equipamentos digitais para TV Escola». TELA VIVA News. 18 de dezembro de 2001. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 
  5. a b Araújo, Mauricio (24 de outubro de 2011). «Concorrência com SKY e DIRECTV abala a TECSAT». TV Magazine. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 
  6. «Folha de S.Paulo - HBO bloqueia canais da operadora Tecsat - 30/07/99». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 28 de setembro de 2015 
  7. «Briga entre Tecsat e HBO vai parar na Justiça». Consultado em 28 de setembro de 2015 
  8. «Folha de S.Paulo - Outro canal: Canais HBO tornam-se exclusivos da DirecTV - 22/09/1999». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 28 de setembro de 2015 
  9. Anna Lee (1 de Fevereiro de 2000). «Weather Channel tira seu sinal da Tecsat». Folhas. Consultado em 1 de janeiro de 2014 
  10. a b Samuel Possebon. TV por assinatura: 20 anos de evolução. Samuel Possebon; 2009. ISBN 978-85-909664-0-1. p. 172.
  11. «Justiça decreta falência da Tectelcom; Tecsat segue funcionando». TELA VIVA News. 6 de fevereiro de 2004. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 
  12. «Tectelcom suspende liminarmente a falência». TELA VIVA News. 12 de fevereiro de 2004. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 
  13. «Greve pára a produção de antenas e receptores na Tecsat». Estadão. 12 de Setembro de 2006. Consultado em 1 de janeiro de 2014 
  14. Araújo, Mauricio (24 de outubro de 2011). «Concorrência com SKY e DIRECTV abala a TECSAT». TV Magazine. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]