BCP (telecomunicações)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde maio de 2010). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
BCP Telecom
Razão social BCP S/A
Indústria Telefonia móvel
Gênero Telecomunicações
Fundação 1998
Encerramento 2003
Sede Brasil São Paulo, SP
Área(s) servida(s)  São Paulo
* Apenas a Grande São Paulo
Alagoas Alagoas
Pernambuco Pernambuco
Paraíba Paraíba
Rio Grande do Norte Rio Grande do Norte
Ceará Ceará
Piauí Piauí
Sucessora(s) Claro

A BCP telecomunicações era uma companhia de celular brasileira, que iniciou suas operações em maio de 1998,[1] e usava a tecnologia TDMA. Foi vendida em 2003 para o grupo mexicano Telmex, e hoje faz parte da operadora Claro controlada pelo grupo América Móvil.[2]

Pioneirismo[editar | editar código-fonte]

Foi a primeira empresa vencedora do leilão de venda do espectro de frequência para celular, até então restrito às empresas que estavam subordinadas a Telebrás,[3] porém, foi a segunda a entrar em operação como concessionária da Banda B, utilizando tecnologia 100% digital TDMA,[3] sem optar pela utilização de rádios analógicos na sua rede.

Área de atuação[editar | editar código-fonte]

Inicialmente começou a operação na área metropolitana de São Paulo (DDD 11)(área de concessão 1) e nos estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí (DDDs 81 ao 89) (área de concessão 10) (oficialmente registrada como BSE).[1][4]

Alô Fácil e Pré-pago digital[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 1998 lançou o Alô Fácil,[1] primeiro celular pré pago 100% digital na região. Esse lançamento veio acompanhado com o de outras operadoras, após a edição da regulamentação da ANATEL sobre o assunto, embora o produto pré-pago já estivesse sendo oferecido pela CTBC há meses em caráter de teste, além de as operadoras Americel e ATL já estarem trabalhando o Pré Pago como portfólio de seus serviços.

Batizado de "celular a cartão" pelo público, foi rapidamente entendido pelos pais como a melhor forma de conceder a comunicação móvel aos seus filhos sem que tivessem surpresas desagradáveis nos gastos.[3]

Capital[editar | editar código-fonte]

Seu capital era dividido da seguinte forma: 44,5% Grupo Safra, 44,5% BellSouth, 6% Grupo OESP, 2,8 Splice do Brasil[4] e 2,2 BSB Participações.[5]

Referências

  1. a b c «Lembra da BCP? Conheça a história de uma das primeiras empresas de telecomunicação do país». Forbes Brasil. Consultado em 27 de Agosto de 2016. 
  2. «America Movil anuncia compra da BCP por US$ 625 milhões». Portal Exame. Consultado em 27 de Agosto de 2016. 
  3. a b c «BCP Telecom». TudoemFoco. Consultado em 27 de Agosto de 2016. 
  4. a b «O que muda na hora de discar». Folha Online. Consultado em 27 de Agosto de 2016. 
  5. «Sirotsky vende sua participação acionária para os sócios na BCP». Folha da Manhã. Consultado em 28 de Agosto de 2016. 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.