Telemar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Telemar
Razão social Telemar Norte Leste S/A
Empresa de capital aberto
Slogan Soluções para você
Atividade Telecomunicações
Gênero Sociedade anônima
Fundação 1 de junho de 1998
Destino Passou a se chamar de Oi
Encerramento 1 de março de 2007
Sede Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Área(s) servida(s) Parte do território brasileiro
Locais Regiões Norte (parte dos quatro estados), Nordeste (maioria dos nove estados) e Sudeste (parte de três estados)
Produtos Telefonia fixa e móvel
Portal de internet
Subsidiárias Oi
Contax
Internet Group
Hispamar
Gamecorp
Acionistas Telemar Participações S/A
Antecessora(s) Veja abaixo
Sucessora(s) Oi S.A.
Website oficial www.telemar.com.br

A Telemar Norte Leste S/A - Telemar foi uma empresa concessionária de telefonia fundada em 1998 e que a partir de 2007 passou a usar a marca Oi.[1] Sua sede ficava na cidade do Rio de Janeiro.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Área de atuação de linha fixa da Telemar

Em 1998 o Ministério das Comunicações levou a cabo a privatização da Telebrás como tinha sido definido no ano anterior. A telefonia fixa foi dividida em três empresas: Telesp,Tele Centro-Sul e Tele Norte/Leste.[2] A telefonia celular foi separada da fixa para as privatizações, sendo dividida a banda A entre oito consórcios e a banda B em dez consórcios.[3] A Tele Norte Leste S.A foi comprada pelo consórcio liderado pela Andrade Gutierrez Telecom por R$ 3,434 Bilhões.[4] Em abril de 1999 teve o seu nome mudado para Telemar. O nome TELEMAR vem de TELE (Telefonia - O serviço que a empresa presta ou, mais precisamente, "TELE") e quer dizer "distância" e MAR, a região na qual a operadora atuava originalmente, que era o litoral do sudeste, nordeste e norte do Brasil. Hoje atua no país inteiro e na base brasileira de pesquisa Antártida.

Inicialmente a Telemar era composta pelas empresas dos 16 Estados de sua área inicial: a TELERJ, a TELEST, a TELERGIPE, a TELASA, a TELPE, a TELPA, a TELERN, a TELECEARÁ, a TELEPISA, a TELMA, a TELEPARÁ, a TELAMAZON, a TELEAMAPÁ, a TELAIMA, a TELEMIG e a TELEBAHIA.

Em 2001 as 16 empresas que compunham a Telemar foram integradas, dando origem a uma Empresa única. Em 2002, foi criada a "Oi", braço de telefonia móvel da Empresa. Em 2007 a Oi torna-se a marca única da Empresa e de todos os seus serviços (mas muitos ainda costumam a se referir à empresa como Telemar ou Brasil Telecom no caso das regiões Centro-Oeste e Sul);

Em 2008 a Oi iniciou suas operações em São Paulo (Região 3);

Em 2009 foi anunciada a aquisição da Brasil Telecom S/A e a sua subsequente integração às operações da Telemar, dando origem a uma companhia de telecomunicações com controle acionário 100% nacional, presente em todo o território brasileiro e com capacidade, gerencial, operacional e financeira para ampliar suas operações nacional e internacionalmente (citando Fato Relevante de 8 de janeiro de 2009).

Empresas formadoras da Telemar em 1998[editar | editar código-fonte]

Antigo orelhão Telemar.
  • TELAIMA - Telecomunicações de Roraima
  • TELAMAZON - Telecomunicações do Amazonas
  • TELASA - Telecomunicações de Alagoas
  • TELEAMAPÁ - Telecomunicações do Amapá
  • TELEBAHIA - Telecomunicações da Bahia
  • TELECEARÁ - Telecomunicações do Ceará
  • TELEMIG - Telecomunicações de Minas Gerais
  • TELEPARÁ - Telecomunicações do Pará
  • TELEPISA - Telecomunicações do Piauí
  • TELERGIPE - Telecomunicações de Sergipe
  • TELERJ - Telecomunicações do Estado do Rio de Janeiro
  • TELERN - Telecomunicações do Rio Grande do Norte
  • TELEST - Telecomunicações do Espírito Santo
  • TELMA - Telecomunicações do Maranhão
  • TELPA - Telecomunicações da Paraíba
  • TELPE - Telecomunicações de Pernambuco

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Telemar». VIAF (em inglês). Consultado em 24 de novembro de 2019 
  2. «Telebrás enxuga subsidiárias para venda». Folha de S.Paulo. 24 de outubro de 1997. Consultado em 23 de fevereiro de 2020 
  3. «Governo arrecadou US$ 14,58 Bi com bandas A e B». Folha de S.Paulo. Consultado em 23 de fevereiro de 2020 
  4. «Maior holding da Telebrás, Tele Norte Leste obteve o menor ágio da privatização». Folha de S.Paulo. 30 de junho de 1998. Consultado em 23 de fevereiro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]