Filizola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Filizola
Empresa privada
Fundação 1886
Fundador(es) Vicente Filizola
Encerramento 2014
Sede São Paulo, São Paulo  Brasil
Produtos Balanças, leitores e impressores de códigos de barras
Website oficial https://filizolabalancas.com

Filizola foi a primeira fabricante brasileira de balanças. A empresa foi fundada em 1886 pelo imigrante italiano Vicente Filizola. Encerrou suas atividades em 2014, devido a problemas financeiros.

História[editar | editar código-fonte]

A empresa foi fundada em 1886 por Vicente Filizola. A primeira balança da Filizola foi construída de forma artesanal.

A primeira ampliação da Filizola se deu em 1920, quando a fábrica da empresa passou a funcionar no bairro do Canindé, em São Paulo. Naquela época, as balanças ainda eram feitas artesanalmente, de ferro. Em 1929, a segunda geração da família começou a administrar a empresa.

Em 5 de abril de 1936, a Filizola completou 50 anos. Foi nesta época que começaram a ser fabricados os primeiros cortadores manuais da companhia. Nesta década, também foram fabricadas as primeiras balanças semiautomáticas vermelhas, que se consagraram por muito tempo como a marca registrada da Filizola.

Já em 1951, a Filizola comemorou a marca histórica de 500.000 balanças produzidas. Dois anos mais tarde, seguindo os avanços tecnológicos, a empresa começou a fabricar os primeiros cortadores elétricos do mercado.

Em 1967, a fábrica da Filizola foi transferida para uma área de 20.000 m2, no bairro do Pari, em São Paulo. Após exaustivas pesquisas, a Filizola lançou, em 1979, a primeira balança eletrônica da América Latina.

A partir dos anos 80, a Filizola passou a produzir também leitores e impressoras de códigos de barras.

Com a chegada do fim dos anos 90, a Filizola teve o início da administração pela terceira geração da família.

Em 2004, a Filizola fechou suas fábricas localizadas no bairro do Pari, em São Paulo e no bairro Vila São João, em Guarulhos (SP) e mudou as operações da empresa para Campo Grande (MS).

Em 2012, com 280 funcionários e duas unidades fabris em Campo Grande (MS), a Filizola entrou em recuperação judicial.[1]

Em 2014, com R$ 25 milhões em dívidas, foi decretada a falência da companhia.[2]

Referências

  1. «Endividada, Filizola entra em recuperação judicial | ERS Consultoria & Advocacia». Endividada, Filizola entra em recuperação judicial | ERS Consultoria & Advocacia. Consultado em 9 de dezembro de 2019 
  2. «Quase 50% das empresas que entram em recuperação judicial no País morre». Jornal O Sul. 13 de outubro de 2019. Consultado em 9 de dezembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]