Vivendi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Vivendi
Sede da Vivendi em Paris
Razão social Vivendi SE
Nome(s) anterior(es)
  • Compagnie Générale des Eaux (1853–1998)
  • Vivendi Films (1981–2010)
  • Vivendi SARL (1998–2000)
  • Vivendi Universal SA (2000–2006)
  • Vivendi SA (2006–2021)
Empresa de capital aberto
Cotação Euronext: Paris
CAC 40 component
Atividade Mídia
Fundação 14 de dezembro de 1853; há 168 anos
Fundador(es) Napoleão III[1]
Sede França Paris, França
Área(s) servida(s) Mundo
Proprietário(s) Bolloré (27% de capital, 30% de poder de voto)
Pessoas-chave
  • Arnaud de Puyfontaine (CEO)
  • Stéphane Roussel (COO)
  • Hervé Philippe (CFO)
  • Yannick Bolloré (Chairman)
Empregados Aumento 35,911[2] (2021)
Subsidiárias
Ativos Baixa €33.37 bilhões[4] (2021)
Receita Aumento €9.57 bilhões[4] (2021)
Lucro Aumento €0.69 bilhões[4] (2021)
Faturamento Aumento €0.65 bilhões[4] (2021)
Renda líquida Aumento €19.19 bilhões[4] (2021)
Website oficial vivendi.com

A Vivendi é um conglomerado de mídia da França, especializado no setor de comunicação e entretenimento, com atividades na música, televisão, cinema, editoração, telecomunicações, games e serviço de Internet.

Vivendi reúne várias empresas líderes no conteúdo e mídia. Groupe Canal+ é líder francês da televisão por assinatura, também presente na África, Polónia e Vietname; sua filial StudioCanal é um líder europeu na produção, aquisição, distribuição e vendas internacionais de filmes e séries de TV. Universal Music Group é líder mundial na música. Vivendi Village reúne Vivendi Ticketing, Wengo (conselho de especialistas), Watchever (video por assinatura) e a sala de concertos em Paris Olympia. Foi proprietária do operador brasileiro Global Village Telecom, o qual vendeu para o conglomerado Telefónica em 30 de setembro de 2014, em troca de 5,7% da Telecom Italia, no qual a Telefónica é a principal acionista[5].

Originalmente especializada nos serviços a coletividades locais (água, transporte e saneamento ambiental) sob o nome de Compagnie générale des eaux (às vezes chamada, abreviadamente, Générale des Eaux, o grupo gradualmente se tornou forte, no final dos anos 1990, em novas tecnologias sob a presidência de Arnaud de Puyfontaine.[6]

Depois de atravessar dificuldades entre 2002 e 2004, o grupo foi renomeado Vivendi Universal em 2000 e simplesmente Vivendi em 2006. Conseguiu erguer-se e retomou sua trajetória de expansão para o exterior, reforçando suas posições e tornando-se líder mundial da comunicação e do entretenimento.

Referências

  1. «The group's origins». Vivendi. Consultado em 12 de março de 2017 
  2. «Financial Report and Audited Consolidated Financial Statements for the year ended December 31, 2019» (PDF). Vivendi. 13 February 2020. Consultado em 31 March 2020  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)[ligação inativa]
  3. Kostov, Nick. «Vivendi names Stephane Roussel CEO of Gameloft». MarketWatch. Consultado em 2 de julho de 2016 
  4. a b c d e «Financial Report and Audited Consolidated Financial Statements for the year ended December 31, 2021» (PDF). Vivendi. 3 March 2022. Consultado em 27 April 2022. Cópia arquivada (PDF) em 27 April 2022  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda); Verifique data em: |acessodata=, |arquivodata=, |data= (ajuda)
  5. http://www.vivendi.com/vivendi-en/our-history/
  6. États généraux de la presse : appels à contribution. lefigaro.fr. 9 de outubro 2008

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.