Acionista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Acionista (AO 1945: acionista) é a pessoa física ou jurídica, proprietária de ações (com o novo acordo ortográfico) de um (ou mais) dos tipos de Sociedades Anonimas ou Sociedade em comandita por ações.

Definição[editar | editar código-fonte]

Linhas gerais[editar | editar código-fonte]

O acionista ou quotista é um sócio capitalista que participa na gestão da sociedade na mesma medida em que detém capital da mesma, tendo por isso, direitos de voto proporcionais à quantidade de acções que possui. Dentro da sociedade, quem detém mais acções, tem direito a maior quantidade de votos.

No caso da sociedade anónima, existe geralmente, um grande número de acionistas que não participam necessariamente na gestão da empresa, cujo único interesse é unicamente o de receber uma retribuição em forma de dividendo em troca do seu investimento, tendo no entanto, um interesse directo no conhecimento do desenvolvimento da sociedade. A informação em tempo útil é considerada a ferramenta preponderante para permitir a tomada de decisão e o seguimento do decurso da gestão da sociedade.

Definição precisa[editar | editar código-fonte]

Numa corporação, cotistas são acionistas mas acionistas nem sempre são cotistas.[1] Um cotista possui parte de uma empresa através da detenção de ações (cotas), enquanto um acionista está interessado no desempenho de uma empresa por outros motivos para além apenas da apreciação das ações.[1]

Sendo assim, acionistas podem ser:[1]

  • funcionários que, sem a companhia, não teriam empregos;
  • detentores de bônus que gostariam de um sólido desempenho da empresa e, portanto, uma redução do risco de perda;
  • clientes em geral que confiam na empresa para fornecer um bem ou serviço específico;
  • fornecedores que confiam na empresa para fornecer um fluxo de receita consistente.

Embora os quotistas sejam acionistas por excelência, sendo portanto afetados diretamente pelo desempenho de uma empresa, tornou-se comum grupos adicionais serem consideradas acionistas também.[1] Por isso, um novo campo, denomiando responsabilidade social corporativa (RSC), tem incentivado as empresas a levar os interesses de todas as partes interessadas (acionistas) em consideração durante os seus processos de tomada de decisão, o qual tinha antes como base unicamente nos interesses dos cotistas.[1] O público em geral é uma dessas partes interessadas.

Por exemplo, quando uma empresa realiza operações que poderiam aumentar a poluição ou tirar um espaço verde de dentro de uma comunidade, o público em geral é afetado.[1] Tais decisões podem ser boas para aumentar os lucros dos cotistas, mas os acionistas podem ser afetados negativamente e, portanto, a RSC cria um clima para as empresas fazerem escolhas que protejam o bem-estar social geral, muitas vezes usando métodos que vão muito além das exigências legais e regulamentares exigidas.[1]

Direitos do accionista[editar | editar código-fonte]

Muitos factores podem determinar ao detalhe os direitos do accionista, mas a legislação do país onde se encontra a sociedade e os estatutos da sociedade definem, normalmente, os principais direitos dos accionistas:

Direitos económicos[editar | editar código-fonte]

  • Direito a subscrever dividendos em função da sua participação e quando a sociedade assim o permita;
  • Direito a receber uma percentagem do valor da sociedade, caso esta seja dissolvida.
  • Direito a vender a sua acção livremente no mercado, direito este por vezes limitado através dos estatutos da sociedade.

Direitos políticos ou de gestão[editar | editar código-fonte]

  • Direito de voto. Normalmente, cada acção equivale a um voto, mas a percentagem pode variar, conforme definição nos estatutos.
  • Direito à informação, com a finalidade de conhecer a gestão da empresa. O accionista que detenha uma determinada percentagem de acções, pode, dependendo da legislação ou dos estatutos da sociedade, exigir auditorias às empresas.

Accionista como investidor[editar | editar código-fonte]

O accionista é também um investidor, dado que emprega uma determinada quantidade de capital com vista a obter um dividendo. O investimento pode ser de renda variável, quando não existe um contrato que especifique que o acionista deve receber quotas fixas proporcionais ao seu investimento. A retribuição do investimento pode ser através de duas formas:

Referências

  1. a b c d e f g Ayton MacEachern (2015). What is the difference between a shareholder and a stakeholder? Investopédia. Visitado em 10 de agosto de 2015.

Ver também[editar | editar código-fonte]