Nokia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura cidade finlandesa, veja Nokia (cidade).
Nokia Corporation
Nokia wordmark.svg
Slogan "Connecting People" (em Inglês)

“Conectando Pessoas”(em Português)
Cotação NYSE: NOK, Euronext: NOKIA
Indústria Telecomunicações
Tecnologia
Software
Fundação Nokia,  Finlândia (1865)
Fundador(es) Fredrik Idestam
Leo Mechelin
Eduard Polón
Sede Espoo,  Finlândia
Áreas servidas Mundo
Presidente Rajeev Suri
Pessoas-chave Rajeev Suri (Presidente e CEO)
Risto Siilasmaa (Chairman)
Timo Ihamuotila, (CFO)
Empregados 97 000 em Março de 2013
Produtos Torre de Dados 4G-3G, Sistemas Wireless
Bancos de dados Wireless
Switches Wireless
Lucro Aumento € 6,5 bilhões (2014)
Faturamento Aumento € 281 milhões (2014)
Página oficial Nokia

A Nokia Corporation (pronúncia em finlandês: [ˈnɔkiɑ], nóquia), vulgarmente conhecida como Nokia, é uma empresa multinacional finlandesa de telecomunicações e tecnologia, fundada em 1865, que tem sede em Keilaniemi, Espoo, cidade vizinha a Helsínquia, capital da Finlândia.[1] Em 2007 era líder mundial na fabricação de telemóveis, com aproximadamente 40% do mercado de telecomunicações. Em 2014, a Nokia empregava 61,656 pessoas, em 120 países, operava em mais de 150 e tinha receitas anuais de cerca de 12,73 mil milhões de euros. A empresa transaciona as suas ações na Helsinki Stock Exchange e na New York Stock Exchange, tendo sido considerada a 274.ª maior empresa mundial em 2013, de acordo com as suas receitas, pela Fortune Global 500. Faz ainda parte do índice Euro Stoxx 50.[7]

A companhia focou-se em vários ramos de negócios ao longo dos seus mais de 150 anos de história. Originalmente, começou como uma fábrica de papel, focando-se atualmente em infraestruturas de telecomunicações em larga escala e no desenvolvimento de tecnologia avançada e licenciamento de patentes. A Nokia é também um dos maiores contribuidores para o setor de telefonia móvel, tendo ajudado a desenvolver as redes standard de GSM e LTE, e sido também, por um grande período de tempo, a maior fabricante de telemóveis no mundo, bem como de smartphones, nos primeiros tempos do Symbian O.S.. Neste ramo, veio a ser ultrapassada pelos seus rivais, entrando num acordo com a Microsoft, em 2011, para utilizar exclusivamente a plataforma Windows Phone nos seus telemóveis inteligentes. As vendas de telemóveis e o valor de suas ações em Bolsa vieram a cair a pique, pelo que a divisão de dispositivos e serviços da empresa começou a apresentar elevados prejuízos para toda a corporação. Por isso, o quadro de diretores da empresa acordou, a 3 de setembro de 2013, a venda da divisão de aparelhos móveis da Nokia por cerca de US$ 7,2 bilhões[2] à Microsoft. [3]

A Microsoft passou a controlar a Divisão de Dispositivos e Serviços da Nokia a partir do dia 25 de abril de 2014, que foi renomeada de Microsoft Mobile Oy[4]. Em outubro de 2014, a Microsoft anunciou que o Nokia Lumia 730/735 e o Nokia Lumia 830 seriam os últimos smartphones fabricados pela empresa a ostentar o nome Nokia.[5] A marca finlandesa continuou, no entanto, a ser utilizada nos telemóveis básicos.

Desde a venda da sua divisão de telemóveis, a Nokia começou a dar mais foco ao seu negócio de infraestruturas de telecomunicações, marcado pela venda da divisão Here, e pela compra da Alcatel-Lucent, por 15,6 mil milhões de euros, tornando-se a maior fornecedora mundial de equipamentos móveis. A par disto, a companhia desenvolveu o seu negócio de patentes e tecnologia avançada, focando-se na realidade virtual, com o lançamento da primeira câmara especialmente concebida para o efeito, o OZO, e na aposta em tecnologia da saúde, com a compra da empresa francesa Withings, por exemplo. Mais recentemente, a Nokia anunciou o regresso ao mercado de telemóveis ao brigo de um acorde de licenciamento de marca e de patentes à HMD Global.

Começo[editar | editar código-fonte]

A empresa, fundada por Fredrik Idestam, empresa de pequeno porte no setor das telecomunicações móveis a nível mundial, foi fundada em 1865, sendo na época uma fábrica de papel. Perto do final do século XIX, a empresa envolveu-se no negócio das botas de borracha e armários de madeira e fundou uma companhia com uma vertente mais tecnológica, já que este produto e os químicos que lhe eram associados constituíam na época o setor tecnologicamente mais desenvolvido. Com a expansão da eletricidade na Finlândia, a partir de 1910 a fabricação de cabos elétricos cresceu consideravelmente, até porque também era preciso suportar as necessidades impostas pelo telefone. Nasceu assim mais uma companhia no grupo finlandês, desta feita dedicada aos cabos elétricos.

Telecomunicações[editar | editar código-fonte]

A Casa Nokia, sede da Nokia no Golfo da Finlândia, em Keilaniemi, Espoo, foi construído entre 1995 e 1997. É o local de trabalho de mais de 1000 trabalhadores da Nokia.

Em 1960 foi criado um departamento de eletrônica na fábrica de cabos, passo que abriu caminho para uma nova era nas telecomunicações. Em 1967 foi formada a Nokia Corporation, constituída pela Companhia Nokia que se dedicava ao negócio do papel e ainda pela fábrica de borracha e pela de cabos. Mas essa mesma década ficou principalmente marcada pela entrada da Nokia no mundo das telecomunicações, onde viria a ganhar grande destaque. Em 1963 desenvolveu um radiotelefone e em 1965 apresentou um modem para transmissão de dados.

Microinformática[editar | editar código-fonte]

Na década de 80 começou a desenvolver-se a indústria da microinformática e a Nokia dedicou-se, com sucesso, à produção de computadores, monitores e até de televisores preparados para as transmissões em alta definição, as ligações por satélite e o teletexto.

Telefonia móvel[editar | editar código-fonte]

Evolução do tamanho dos modelos de celular Nokia

Porém, em 1981, foi criada na Escandinávia a primeira rede internacional para telefones móveis. Coube à Nokia fazer os primeiros telefones para usar em automóveis. Os celulares na altura eram muito grandes e pouco portáteis e foi de novo a empresa finlandesa a inovar ao apresentar, em 1987, um telefone verdadeiramente portátil. A partir de então, a Nokia apresenta inúmeras inovações em aparelhos de comunicação portátil agregando a eles várias funcionalidades, fazendo com que celulares tornem-se aparelhos multiúso. Em 2003, a Nokia lançou seus primeiros celulares com câmera fotográfica digital com resolução de 388x245 pixels, não chegando a 0.1Mpx. Dois anos depois, em 2005, a Nokia lançou modelos com câmera digital VGA com 640x480 pixels, ou 0.3Mpx, além do primeiro com câmera de 1.0Mpx com exclusivo flash embutido. Já em 2006 e 2007 chegaram celulares com câmera de até 3.2Mpx além de MP3, capacidade de armazenamento de 2GB e internet Wi-Fi. Em 2008 a Nokia lança os modelos Nokia N95 e com câmeras de 5.0Mpx e mais tarde o N95 com 8GB capacidade de armazenamento, MP3. E em 2007 o N82 com com câmeras de 5.0Mpx que inclui flash Xenon, memória RAM dobrada para 128 MB, se tornando o melhor Nseries de 2007 e 2008, pois nenhum outro série N havia flash xenon, o que dava mais qualidade em fotos. A Nokia foi também a primeira empresa a lançar celulares com tela de 16 milhões de cores, superando a concorrência que usava até 260 mil cores.

GSM[editar | editar código-fonte]

Em 1991 foi adotado o sistema GSM (Global System Mobile Communications - Sistema Global de Comunicações Móveis) em toda a Europa, que permitia, para além do som, a transmissão de dados, o mercado foi regularizado. A Nokia, a primeira empresa a realizar uma chamada em GSM, viu as potencialidades do setor e esta tornou-se na principal área de intervenção do grupo finlandês. Nesse mesmo ano ajudou a instalar o sistema GSM em nove países europeus. A Nokia é a 119ª maior companhia do planeta de acordo com a Fortune 500 de 2007.

SMS[editar | editar código-fonte]

Logo em 1993 foi a Nokia quem, pela primeira vez, transmitiu uma mensagem de texto via celular através do sistema TDMA. Foi o primeiro indício de que seria possível ligar um celular a um computador. Em 1994 lançou a família de celulares 2100 compatível com os principais sistemas existentes no Mundo, incluindo o GSM. Em 1997, a Nokia forneceu sistemas de GSM para 59 operadores de celulares em 31 países. Entretanto, começou a desenvolver celulares bastante inovadores em termos de design, que passaram ser a referência do mercado, colocando a marca no topo das preferências dos utilizadores.

Os celulares Nokia eram vendidos em mais de 130 países e a empresa empregava cerca de 60 mil trabalhadores em todo o Mundo.

Os sistemas operacionais[editar | editar código-fonte]

Originalmente os telefones da Nokia tinham o [6] Nokia OS Sistema Operacional Móvel desenvolvido especificamente para telemóveis Nokia. Os primeiros dispositivo Nseries, com o sistema operacional Symbian OS 8,1 , foram o N70 e o N90 . Subsequentemente o SymbianOS 9 passou a estar disponível para todos os dispositivos posteriores Nseries (exceto o N72, que foi baseado no N70). Os novos dispositivos Nseries incorporaram as revisões mais recentes do Symbian OS 9, que incluem Feature Packs. O N800 , N810 e N900 são as de julho de 2010 os únicos dispositivos Nseries não usar Symbian OS. Eles usam o Linux baseado em Maemo. O [7]Nokia N8 é o primeiro dispositivo a funcionar no Sistema Symbian 3. Nokia revelou que o [8] N8 será o último dispositivo dos N-series (Dispositivos fornecidos com o Symbian OS ). O atual sistema operacional [9] que a Nokia está usando é o Windows Phone para seus dispositivos high-end mais emblemáticos.

Parceria com a Microsoft[editar | editar código-fonte]

Em 2010, surgiram suspeitas de que a Nokia estaria pensando em utilizar o software da Microsoft em seus smartphones. Essas suspeitas, negadas na época, confirmaram-se em 11 de fevereiro de 2011, quando Stephen Elop anunciou que os futuros aparelhos da empresa utilizariam os sistemas produzidos pela Microsoft. Antes da parceria, a Nokia utilizava os sistemas Symbian. O software Windows Phone, que passará a integrar os aparelhos da Nokia, é o mesmo usado por alguns smartphones das marcas LG, Samsung e HTC.[10] Antes, a empresa cogitava a hipótese de fechar um acordo com o Android, plataforma que cresceu 900% de 2010 para 2011.[11] Os funcionários da empresa protestaram após a confirmação da aliança, muitos acreditam que a decisão não foi vantajosa para a Nokia, porém, há os que afirmem que o custo de desenvolvimento de softwares cairá muito para a Nokia.[10] A Nokia viu suas ações caírem 20% logo após o anúncio de parceria. O acordo deve ser concluído pouco meses após a primeira notícia oficial.[12]. O valor de mercado da Nokia diminui de cerca de 75% desde 2007[13].

No primeiro trimestre de 2011, a Nokia viu escapar-lhe a liderança nas vendas de telemóveis na Europa Ocidental [14]

Anunciado no dia 27 de abril de 2012, que depois de 14 anos, a Nokia perde posição para a Samsung e passa a ser a segunda maior fabricante de celulares do mundo.

Até 2014 a Nokia utilizou o Windows Phone na sua série de celulares denominados Nokia Lumia.

Em 3 de setembro a Microsoft anunciou que iria adquirir a divisão de hardware e serviços da Nokia[15].

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Nokia