Piripiri (Piauí)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Piripiri
  Município do Brasil  
Catedral de Piripiri
Catedral de Piripiri
Símbolos
Bandeira de Piripiri
Bandeira
Brasão de armas de Piripiri
Brasão de armas
Hino
Lema "Cidade do meu coração"
"Onde cada amigo é um irmão"
Gentílico piripiriense
Localização
Localização de Piripiri no Piauí
Localização de Piripiri no Piauí
Piripiri está localizado em: Brasil
Piripiri
Localização de Piripiri no Brasil
Mapa de Piripiri
Coordenadas 4° 16' 22" S 41° 46' 37" O
País Brasil
Unidade federativa Piauí
Municípios limítrofes Brasileira, Capitão de Campos, Domingos Mourão, Barras, Batalha
Distância até a capital 160 km
História
Fundação 4 de julho de 1910 (112 anos)
Administração
Prefeito(a) Jove Oliveira (PTB, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 1 408,928 km²
População total (estimativa IBGE/2019[2]) 63 752 hab.
Densidade 45,2 hab./km²
Clima Tropical
Altitude 170 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,635 médio
 • Posição PI: 13º
PIB (IBGE/2016[4]) R$ 642 415,27 mil
PIB per capita (IBGE/2016[4]) R$ 10 246,67

Piripiri é um importante município brasileiro do interior do estado do Piauí, localizada na Região Nordeste do Brasil. Conforme estimativas do IBGE do ano de 2022 sua população era de 63,829 habitantes, sendo a 4ª (quarta) cidade mais populosa do Estado do Piauí, e detentora do 8º (oitavo) maior PIB piauiense[5]. Sendo considerada uma cidade média, figura entre as cinco cidades mais importantes do estado, num município com expressiva relevância estadual e de grande notoriedade regional, complementa a Região Geográfica Intermediária de Parnaíba e Sedia a Região Geográfica Imediata de Piripiri, o que lhe confere o título de cidade polo regional, cuja nesse contexto, tem se fortalecido economicamente, no que se dá pelo desenvolvimento municipal em setores e segmentos diversificados, desde os serviços básicos, como saúde, educação, e ao forte comércio municipal, alinhado ao agronegócio e ao acentuado crescimento imobiliário, seguido pela construção, impulsionam o PIB do município.

Segundo a revista exame, Piripiri encontra-se entre as 50 melhores cidades do interior parar se viver[6]. característica associada ao seu privilegiado posicionamento geográfico no noroeste do Estado do Piauí e ao nordeste do Estado do Ceará o que lhe confere o posto de Cidade-satélite, assim como o município de Crateús do Ceará (lado cearense da Serra da Ibiapaba) a condição de se consolidar como grande polo comercial regional do Piauí como do Ceará, já que ambos os municípios são os dois maiores centros econômicos, culturais, comerciais e populacionais na região da Serra da Ibiapaba (Serra Grande).[7][8]

O clima de Piripiri é tipicamente tropical, quente e seco, com uma temperatura média de 26,2 graus Celsius e com uma altitude de 170 metros, O acesso rodoviário é feito pela BR-222, que liga o Piauí ao Ceará, Maranhão e ao Pará, todavia o município situa-se entre duas grandes capitais da região nordestina, distando 165 km da capital estadual, Teresina, (com acesso principal a cidade no entroncamento da rodovia BR-343) e distando 442 km de Fortaleza, capital do Ceará. (acesso pela rodovia BR-222). o município também compõe a Área de Proteção Ambiental Serra da Ibiapaba.

A cidade é nacionalmente conhecida pelo clube de Futebol da cidade o 4 de Julho Esporte Clube, por ser a cidade natal do humorista João Cláudio Moreno e por comemorar o aniversário de emancipação política no dia 4 de julho, Dia da Independência dos Estados Unidos, Piripiri também é nacionalmente conhecida por suas alcunhas como "A Capital Piauiense do Humor", "Cidade dos quatro iís" "Capital da Serra Grande Piauiense", "Terra de Nossa Senhora dos Remédios" e "Capital do Mundo".[9]

História[editar | editar código-fonte]

Até o início da colonização portuguesa, no século XVI, a região era habitada pelos índios tremembés.[10]

O padre Domingos de Freitas e Silva é considerado o fundador da cidade. Em 1844, ele começou a cultivar as terras que dariam origem ao engenho Anajás, produtor de cachaça e rapadura. Posteriormente, o padre dividiu o terreno da fazenda em lotes e os doou a quem quisesse morar ali, o que deu origem à cidade. Em 1860, Piripiri se tornou distrito de paz. Em 1874, foi elevada à categoria de vila. Em 1884, foi fundada a primeira igreja matriz da cidade. Em 1910, Piripiri tornou-se município autônomo. Em 1954, foi construída a atual igreja matriz da cidade. Em 1987, foi fundado o Museu de Piripiri.[11]

Atrações turísticas[editar | editar código-fonte]

A cidade de Piripiri desenvolve seu potencial turístico com os seguintes atrativos:

Praça da matriz de Piripiri
  • Açude Caldeirão - Está localizado a 9 quilômetros da cidade e conta com uma capacidade de 54 600 000 metros cúbicos de água. Bastante utilizado como fonte de lazer com vários bares e restaurantes, movimentado o ano inteiro.[12]
  • Pilões - Situado no do mato, entre a zona de Piripiri e o açude Caldeirão, é um conjunto de formações rochosas, com fauna e flora do cerrado e água para mergulho. De difícil acesso,sendo feito a pé por veredas entre mato, moitas e pedras.
  • Museu Perypery - Museu que funciona em um prédio que funcionava uma agência bancária e uma casa de festas. Conta com várias peças que resgatam a história de Piripiri.
  • Parque Municipal Cachoeira da Conceição, também conhecida como Cachoeira dos Ricos - Com 28 hectares de floresta nativa, está localizado distante do centro. Possui uma piscina natural e áreas para lazer.
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios - Construída pelos franciscanos na década de 1950 com base na Catedral de São Paulo, em Münster, na Alemanha. É o local onde é realizada a festa religiosa da padroeira da região, atraindo centenas de turistas.
  • Memorial Expedito Resende - Erguido em 1985 e é mantido pelo Governo do Estado. Possui peças em exposição do Embaixador Expedito Resende, um auditório com capacidade para 200 pessoas, e ainda uma biblioteca com cerca de 2 mil obras.
  • Biblioteca Municipal Casa das Letras - Funciona onde era uma antiga Usina de Energia. Recebe vários estudantes e professores por dia. Atualmente conta com uma biblioteca com cerca de 5 mil livros.
  • Praça de Eventos Arimatéa Sousa - Funciona em um local onde se encontrava a antiga Estação Ferroviária da cidade, e conta com um grandioso espaço que recebe eventos de muito público.
  • Açude Anajás - Local que é pouco utilizado como lazer, e principalmente é utilizado por pescadores por ter grande quantidade de peixes.
  • Praça da bandeira - Principal praça em frente à igreja matriz de Nossa Senhora dos Remédios.
  • Santuário de Nossa Senhora dos Remédios - Localizado no Morro da Saudade, possui uma grande estátua da santa padroeira do município.

Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

  • Biblioteca Municipal Casa das Letras, criada por lei municipal em 10 de novembro de 1937[13]
  • Biblioteca da UESPI
  • Biblioteca da Unidade Escolar José Narciso da Rocha Filho
  • Biblioteca Desembargadora Nídia de Assunção Aguiar
  • Biblioteca Centro Educacional SESC LER Piripiri
  • Biblioteca do IFPI

Universidades[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com quatro instituições que oferecem cursos de graduação superior:

Dados meteorológicos[editar | editar código-fonte]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a partir de 1976 a temperatura mínima absoluta registrada na estação meteorológica da cidade foi de 15 °C em 25 de junho de 1984,[14] e a máxima absoluta chegou aos 41 °C em 19 de outubro de 2016.[15] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 176,6 mm em 11 de fevereiro de 2017, superando os 168,5 mm registrados em 26 de janeiro de 2005. Outros grandes acumulados foram 138,8 mm em 18 de dezembro de 2010, 122,8 mm em 2 de abril de 2008, 115,8 mm em 24 de abril de 2009, 113,8 mm em 25 de abril de 2011, 106,7 mm em 11 de março de 2017, 101,6 mm em 27 de fevereiro de 1982 e 101,1 mm em 24 de janeiro de 2004.[16]

Na antiga estação meteorológica do açude Caldeirão, desde 1979 até 2015 (ano de sua desativação) a menor temperatura foi de 11,1 °C em 7 de julho de 1981,[17] e maior atingiu 42 °C em outubro de 2013, nos dias 17 e 18.[18] O maior acumulado de precipitação chegou a 253,4 mm em 26 de janeiro de 2005. Outros grandes acumulados foram 129,4 mm em 1° de abril de 2006, 128,6 mm em 18 de dezembro de 2010 e 118,3 mm em 13 de abril de 2009.[19]

Dados climatológicos para Piripiri
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 39 37,8 38,6 35,5 37,2 37,4 38 39,4 40,2 41 40,8 40,2 41
Temperatura máxima média (°C) 33,6 32,5 31,9 31,5 32 32,5 33,9 35,5 37 37,4 36,9 35,9 34,2
Temperatura média compensada (°C) 27 26,4 26 26 26,4 26,5 27 27,7 28,6 29 29,1 28,6 27,4
Temperatura mínima média (°C) 22,6 22,5 22,6 22,6 22,5 21,6 21,1 20,9 21,4 22,1 22,6 23 22,1
Temperatura mínima recorde (°C) 16,2 19,8 20,1 18,6 18,4 15 16 16,8 17,4 18,5 18,3 19,6 15
Precipitação (mm) 203,8 237,6 329 311,1 160,3 42,6 12,6 9,8 5,6 21,6 24,9 64,5 1 423,4
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 12 15 20 20 12 5 2 2 1 2 3 5 99
Umidade relativa compensada (%) 72,3 78 83,4 84 79,2 70,1 63,3 55,3 53 53,1 56,2 61 67,4
Horas de sol 188,9 189,3 191 190,1 228,6 250,7 275,3 296,7 293,7 301,1 273,2 247,1 2 925,7
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[20] recordes de temperatura: 09/03/1976-presente)[14][15]

Bairros[editar | editar código-fonte]

Lista de bairros da cidade:[21]

  1. Centro
  2. Prado
  3. Floresta
  4. Vista Alegre
  5. Caixa d'Água
  6. Paciência
  7. Recreio
  8. Germano
  9. Santa Maria
  10. Anajás
  11. São João
  12. Estação
  13. Matadouro
  14. Fonte dos Matos
  15. Petecas
  16. Ytacoatiara
  17. Conjunto Expedito Rezende
  18. Crioli
  19. Morro de Ana
  20. Flor dos Campos
  21. Russinha
  22. Garibaldi
  23. Morro de Saudade
  24. Barcelona
  25. Conceição
  26. Residencial Parque Recreio
  27. Morada dos Alpes
  28. Residencial Petecas

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Piripirienses ilustres[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

Estações de rádios[editar | editar código-fonte]

Emissoras de TV[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  2. «Estimativa populacional 2019 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2019. Consultado em 4 de setembro de 2019 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 3 de agosto de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2016». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 9 de março de 2019 
  5. «Crateús (CE) | Cidades e Estados | IBGE». www.ibge.gov.br. Consultado em 7 de janeiro de 2022 
  6. «50 melhores cidades do interior pra se viver». Consultado em 21 de dezembro de 2019 
  7. (ALC) (2015). Crateús 100 Anos. Crateús - Brasília: Academia de Letras de Crateús (ALC). pp. 29–32 
  8. Filho, João (2013). Nas Águas do Rio Poti. Teresina - Crateús - Fortaleza - Brasilia: Editora Brasil. pp. 47–51 
  9. Panorama, IBGE (7 de abril de 2022). «Panorama IBGE-Piripiri-PI». Consultado em 7 de abril de 2022 
  10. BUENO, E. Brasil: uma história. 2ª edição. São Paulo. Ática. 2003. p. 19.
  11. Cidadeverde.com. Disponível em http://cidadeverde.com/noticias/60638/piripiri-conheca-a-origem-da-cidade-e-a-historia-de-seu-fundador. Acesso em 15 de março de 2017.
  12. «Açude Caldeirão». DNOCS. Consultado em 23 de Agosto de 2019 
  13. BASTOS, Cláudio de Albuquerque. Dicionário Histórico e Geográfico do Estado do Piauí. Teresina; Fundação Cultura Monsenhor Chaves, 1994, página 77
  14. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Piripiri». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 5 de abril de 2018 
  15. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Piripiri». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 5 de abril de 2018 
  16. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Piripiri». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 5 de abril de 2018 
  17. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Caldeirão». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 5 de abril de 2018 
  18. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Caldeirão». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 5 de abril de 2018 
  19. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Caldeirão». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 5 de abril de 2018 
  20. a b «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 24 de março de 2018 
  21. «População dos maiores bairros de Piripiri». Instituto População Net. Consultado em 1 de novembro de 2017 
  22. «João Cláudio Moreno, 41 anos de vida e 18 de carreira». Vermelho. 6 de maio de 2008. Consultado em 6 de julho de 2020 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]