Grace Mendonça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grace Mendonça
Grace Mendonça em 2016
Advogada-Geral da União do Brasil
Período 9 de setembro de 2016
até 31 de dezembro de 2018
Presidente Michel Temer
Antecessor Fábio Medina Osório
Sucessor André Luiz de Almeida Mendonça
Dados pessoais
Nascimento 17 de outubro de 1968 (51 anos)
Januária, Minas Gerais
Nacionalidade brasileira
Alma mater Centro Universitário do Distrito Federal

Instituto Brasiliense de Direito Público

Profissão Advogada e professora universitária

Grace Maria Fernandes Mendonça (Januária, 17 de outubro de 1968) é uma advogada brasileira e foi Advogada-Geral da União do Brasil no governo do Presidente Michel Temer.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Grace formou-se em direito pela Associação de Ensino Unificado do Distrito Federal (atual Centro Universitário do Distrito Federal) em 1990. É especialista em direito processual civil pelo Instituto Brasileiro de Direito Processual (1994) e mestre em direito constitucional pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (2017), tendo sido orientada no mestrado por Paulo Gonet Branco.[1][2]

Foi advogada da Companhia Imobiliária de Brasília (1992-1994), advogada da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Distrito Federal (1994-1995), assessora jurídica da Procuradoria Geral da República (1995-2001) e professora da Universidade Católica de Brasília (2002-2015).[2]

Tornou-se advogada da União em 2001.[2] Foi adjunta do advogado-geral da União e da coordenadora-geral do gabinete do Advogado-Geral da União, chegando a ocupar o cargo de advogada-geral da União de 2016 a 2018.[1]

Em julho de 2019, pediu exoneração do cargo de advogada da União,[3] passando a atuar na advocacia privada.[4]

Advogada-Geral da União[editar | editar código-fonte]

Em 9 de setembro de 2016 foi nomeada Advogada-Geral da União pelo presidente Michel Temer,[5] tornando-se a primeira mulher a assumir como titular o cargo na Advocacia-Geral da União de 2016 a 2018.[1]

Lista Tríplice para o Tribunal Superior Eleitoral[editar | editar código-fonte]

Em 24 de abril de 2019, foi eleita, pelo plenário do Supremo Tribunal Federal, para compor lista tríplice de indicados para ocupar a vaga de ministro titular do Tribunal Superior Eleitoral, na categoria "jurista", em substituição ao ministro Admar Gonzaga Neto.

Grace Mendonça obteve dez votos, enquanto os outros dois membros eleitos - os advogados Carlos Bastide Horbach e Sérgio Silveira Banhos, tendo este último sido nomeado[6] - receberam sete votos cada.[7]

Referências

  1. a b c «Confirmada na AGU, Grace Mendonça é a 1ª mulher ministra no governo». G1. 9 de setembro de 2016. Consultado em 9 de setembro de 2016 
  2. a b c «Currículo na Plataforma Lattes». Consultado em 9 de setembro de 2016 
  3. «Publicada exoneração de Grace Mendonça da AGU». Migalhas. 1 de julho de 2019. Consultado em 1 de julho de 2019 
  4. «Ex-advogada-geral da União Grace Mendonça abre escritório em Brasília». Consultor Jurídico. 26 de agosto de 2019. Consultado em 9 de novembro de 2019 
  5. «Diário Oficial da União». Imprensa Nacional. 9 de setembro de 2016. Consultado em 9 de setembro de 2016 
  6. «Bolsonaro nomeia Sérgio Banhos como novo ministro do TSE». O Globo. 26 de abril de 2019. Consultado em 1 de julho de 2019. Advogada-geral da União na gestão do ex-presidente Michel Temer, Grace Mendonça, chegou a ser a mais cotada para o cargo 
  7. «Supremo Tribunal Federal». portal.stf.jus.br. Consultado em 25 de abril de 2019