Ana Arraes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ana Arraes
Ana Arraes
Ministra do Tribunal de Contas da União do Brasil Brasil
Mandato: 26 de outubro de 2011
até atualidade
Nomeação por: Dilma Rousseff
Antecessor(a): Ubiratan Aguiar
Deputada federal por  Pernambuco
Mandato: 1º de fevereiro de 2007
até 20 de outubro de 2011
(2 mandatos consecutivos)
Dados pessoais
Nascimento: 28 de julho de 1947 (70 anos)
Recife, Pernambuco
Cônjuge: Maximiano Accioly Campos (1941-1998)
Alma mater: Universidade Católica do Salvador

Ana Lúcia Arraes de Alencar (Recife, 28 de julho de 1947) é uma ministra do Tribunal de Contas da União [1] e política brasileira, filiada ao Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Família[editar | editar código-fonte]

Ana Arraes é filha do também político ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes de Alencar (1916-2005) e de Célia de Sousa Leão (1924-1961). Do seu casamento com o escritor Maximiano Accioly Campos (1941-1998), teve dois filhos: o economista, governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (1965-2014), morto num acidente aéreo, e o advogado, escritor, membro da Academia Pernambucana de Letras e candidato à prefeitura de Olinda, Antônio Campos (1968).[2]

Em julho de 1964, durante os preparativos para o seu casamento, ainda com 17 anos, dirigiu-se General Olímpio Mourão Filho, um dos líderes do Golpe Militar de 1964, à época comandante-geral do IV Exército, para pedir a presença de seu pai (Miguel Arraes), que na época estava preso na Ilha de Fernando de Noronha. O pedido foi atendido, razão pela qual seu casamento ocorreu na capela da Base Aérea do Recife, em 9 de agosto de 1964, cercada por soldados. Na ocasião seu pai chegou num avião da Força Aérea Brasileira e, logo após o término da cerimônia, foi novamente recolhido à prisão em Fernando de Noronha[3].

Vida política[editar | editar código-fonte]

Filiada ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) desde 1990,[4] época em que seu pai também ingressou no partido. Em 2006, conquistou seu primeiro mandato eletivo, de deputada federal pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB). Naquela época, com 178.467 votos, foi a terceira candidata mais votada de seu estado.[5] Em 2010, com 387.581 votos, reelegeu-se, obtendo a maior votação do estado de Pernambuco e a quinta maior do Brasil.[6]

Foi a segunda deputada federal da história de Pernambuco, a primeira tendo sido Cristina Tavares. Entretanto, foi a primeira a ser eleita para este fim no século XXI.[2]

Concluiu seus estudos de direito em 1998. [4]Em 21 de setembro de 2011, foi escolhida pelo Congresso Nacional ministra do TCU assumindo a vaga aberta pela aposentadoria do ministro Ubiratan Aguiar, tornando-se a segunda mulher na história a ocupar esse posto. A primeira foi Élvia Castelo Branco.[7]

Referências

  1. «TCU referenda Ana Arraes». Sítio do Senado Federal. Consultado em 28 de março de 2013 
  2. a b «Biografia». Página oficial. Consultado em 15 de fevereiro de 2011 
  3. Ana Arraes, acesso em 19 de agosto de 2014.
  4. a b «Biografia: Ana Arraes (PSB/PE)». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 15 de fevereiro de 2011 
  5. «UOL - Eleições 2006 - Apuração - Pernambuco». Consultado em 15 de fevereiro de 2011 
  6. «UOL - Eleições 2010 - Apuração - Pernambuco». Consultado em 15 de fevereiro de 2011 
  7. pernambuco.com (21 de setembro de 2011). «Ana Arraes a nova ministra do TCU». Página oficial. Consultado em 21 de setembro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]